China: Qual é o Impacto do País no Preço das Principais Moedas do Mundo?

China: Qual é o Impacto do País no Preço das Principais Moedas do Mundo?

Kathy Lien  | 22.05.2020 16:42

A China é mais uma vez um ponto quente de incerteza geopolítica e agitação social. Nesta semana, o governo chinês divulgou um plano para adotar uma postura mais forte em relação a protestos e dissidentes antigovernamentais em Hong Kong. Ele propôs novas leis de segurança que puniriam a oposição ao continente. 

Embora os detalhes não tenham sido revelados, isso seria um grande golpe para as liberdades civis e a autonomia da cidade-estado, região autônoma chinesa e protetorado britânico até 1997. O medo é que isso provoque uma forte resposta dos EUA, o que poderia ser um motivo para reexaminar o status comercial especial de Hong Kong com os EUA. 

Nas últimas semanas, as tensões aumentaram entre os EUA e a China, com os EUA pedindo. para a China assumir a responsabilidade pelo surto de COVID-19. Os EUA ameaçaram deslistar as empresas chinesas das bolsas de valores americanas, restringir a abertura de capital de novas empresas chinesas nos EUA, limitar a exposição americana aos investimentos chineses, alertar sobre tarifas adicionais / "sanções econômicas" e aprovar um controverso acordo de armas com Taiwan. 

Os investidores temem que esse movimento mais recente em Hong Kong dê aos EUA a oportunidade perfeita para repreender a China, ameaçando revogar o status comercial especial de Hong Kong e deixá-lo sujeito às mesmas restrições que a China.

A questão é quantos problemas as tensões comerciais EUA-China podem causar para os mercados financeiros. A última escalada de retórica levou os dólares australianos e neozelandeses a uma queda acentuada na sexta-feira. 

As ações dos EUA caíram, mas o iene japonês se manteve estável em relação ao dólar. Se os EUA mudassem o status comercial de Hong Kong, o impacto psicológico seria significativo, com moedas e ações caindo drasticamente. 

Mas, a longo prazo, a realidade é que as trocas comerciais entre EUA e Hong Kong são pequenas, de modo que o impacto comercial será limitado. No entanto, o verdadeiro medo é o setor financeiro de Hong Kong e se a China vai retaliar restringindo os negócios americanos em Hong Kong. A mera possibilidade pode causar grandes perturbações nos mercados financeiros.

Não achamos que nenhum dos países vá tão longe. Ameaças podem ser feitas, mas os custos são altos demais, especialmente para a China, que provavelmente acha mais inteligente esperar seis meses para ver se um novo presidente dos EUA é eleito em novembro. 

A guerra comercial EUA-China assombrou os mercados ao longo de 2019, e isso não impediu que as ações subissem para um nível recorde. Portanto, no final do dia, essas manchetes negativas afetarão as moedas e as ações, mas o impacto que as preocupações do mercado com a China devem durar pouco.

O calendário econômico da próxima semana é relativamente leve, com os mercados dos EUA fechados para o Memorial Day na segunda-feira. Os riscos mais importantes de eventos nos EUA serão a confiança do consumidor, que deve ser mais forte, revisões do PIB do primeiro trimestre, renda pessoal e gastos pessoais (que devem ser mais fracos). O presidente do Fed, Jerome Powell, também fala no final da semana. O principal fator para o dólar deve ser o apetite ao risco.

Para o euro, o relatório IFO da Alemanha e os dados de inflação da zona do euro serão os mais importantes. O euro atingiu um teto após subir acima de 1,10 nesta semana. Esperamos que a moeda continue com desempenho superior, especialmente porque esperamos melhorias na confiança dos negócios alemães. 

Não há grandes relatórios econômicos do Reino Unido no calendário, mas quase todos os dados desta semana foram decepcionantes, incluindo as vendas no varejo de hoje, que caíram um valor histórico no mês de abril. É esperado que o Banco da Inglaterra aumente o estímulo no próximo mês e reforce sua mente aberta a taxas negativas. Como resultado, a libra deve continuar a ter um desempenho inferior a outras principais moedas.

As vendas no varejo canadense caíram 10% no mês de março, levando o dólar canadense a uma mínima em relação ao dólar. O declínio foi menor do que o esperado, especialmente quando excluímos as compras de automóveis - os gastos sem automóveis caíram apenas 0,4%. Os números do PIB de março devem chegar na próxima semana, mas o discurso do governador do Banco do Canadá, Stephen Poloz, será o foco principal. Sem grandes relatórios econômicos programados para divulgar, o dólar australiano seguirá os desenvolvimentos em andamento na China. O dólar da Nova Zelândia, por outro lado, possui dados comerciais, um Relatório de Estabilidade Financeira e comentários do governador do Reserve Bank, Adrian Orr.

Kathy Lien

Artigos Relacionados

Últimos comentários

Adicionar comentário
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Discussão
Escrever uma resposta...
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.

Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos neste site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas neste site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos neste site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos neste site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.

English (USA) English (UK) English (India) English (Canada) English (Australia) English (South Africa) English (Philippines) English (Nigeria) Deutsch Español (España) Español (México) Français Italiano Nederlands Português (Portugal) Polski Русский Türkçe ‏العربية‏ Ελληνικά Svenska Suomi עברית 日本語 한국어 简体中文 繁體中文 Bahasa Indonesia Bahasa Melayu ไทย Tiếng Việt हिंदी
Sair
Tem certeza de que deseja sair?
NãoSim
CancelarSim
Salvando Alterações

+

Baixe o App

Mais informações sobre o mercado, mais alertas, mais opções de personalizar seus ativos em sua carteira, apenas pelo App

Investing.com é melhor no App!

Mais conteúdo, cotações e gráficos mais rápidos e uma experiência melhor estão disponíveis apenas no aplicativo.