Fed Realiza Corte de Juros Esperado e Vincula Política Monetária à Inflação

Fed Realiza Corte de Juros Esperado e Vincula Política Monetária à Inflação

Darrell Delamaide/Investing.com  | 31.10.2019 03:46

Os observadores do Federal Reserve (Fed) fazem um pente-fino de cada declaração do Comitê Federal de Mercado Aberto (FOMC, na sigla em inglês) para descobrir até as mais diminutas mudanças. Desta vez as flutuações na política monetária estavam fáceis de encontrar, já que a maior alteração saltava aos olhos.

Como sempre, o FOMC continuará monitorando os dados sobre a perspectiva econômica. Mas na declaração desta quarta-feira, o Fed cortou a frase "e atuará conforme necessário para sustentar a expansão".

Nada mais. O comitê já fez o que tinha que fazer. Agora utilizará todos aqueles dados econômicos para “avaliar a trajetória da faixa-alvo de juros dos fundos federais". No que depender do Fed, a atual política monetária está “apropriada”.

Durante a coletiva de imprensa de ontem, após a decisão, o presidente da instituição, Jerome Powell, deixou claro que o banco central norte-americano voltará a adotar a mesma postura paciente do início do ano, quando ainda não havia realizado os três cortes consecutivos de 25 pontos-base na taxa referencial de juros, incluindo o desta quarta-feira.

Nem a insistência um tanto desesperada dos jornalistas em saber do presidente o que viria no futuro conseguiu demovê-lo da posição de que o melhor a fazer neste momento é não fazer nada. Powell observou que alguns dos riscos à economia global haviam arrefecido.

A expectativa agora é que a China e os EUA fechem algum tipo de acordo para aliviar as tensões comerciais. Além disso, o risco de um Brexit sem acordo parece ter sido eliminado. “Ainda resta um risco grande”, reconheceu Powell, mas a economia está mostrando resiliência.

Então, que tipo de risco faria o Fed reduzir ainda mais os juros? Ou será que o crescimento contínuo inspiraria o Fed a reverter os cortes de juros, elevando-os novamente?

PCE Index 2017-2019

“Nada disso”, respondeu Powell a essas questões. Não é a economia que direciona os movimentos de juros, mas a inflação. “Por isso, acredito que precisaríamos ver uma alta realmente significativa e persistente na inflação antes de considerarmos qualquer elevação de juros para combater as preocupações com o aumento de preços", afirmou o presidente.

Como a inflação medida pelas despesas com consumo pessoal, indicador preferencial do Fed, foi de apenas 1,4% nos 12 meses até agosto, parece pouco provável que o alvo “simétrico” de 2% (com alguns meses de tolerância acima desse patamar) seja superado.

SPX 15 Minute Chart

Os formuladores da política do banco central norte-americano, evidentemente, estão torcendo contra qualquer expectativa de que a inflação realmente siga nessa direção. Mas isso não deve acontecer em breve.

De fato, foi uma coletiva de imprensa bastante monótona, já que a decisão já havia sido telegrafada com antecedência e, por isso, era amplamente aguardada. Quando se acabou com incerteza sobre o terceiro corte de juros e a inflação foi citada como a única razão possível para voltar a subir os juros, os investidores levaram o S&P 500 a uma nova máxima recorde.

Houve duas dissensões entre os membros votantes do FOMC, uma vez que Eric Rosengren e Esther George, diretores dos bancos regionais de Boston e Kansas City respectivamente, que já não haviam gostado do corte de juros em setembro, gostaram ainda menos dessa redução para 1,50-1,75.

Ainda há mais uma reunião do FOMC neste ano, nos dias 10 e 11 de dezembro, mas não se espera qualquer mudança na política monetária, a menos que ocorra algum desenvolvimento dramático na economia. Essa reunião, no entanto, será acompanhada de projeções econômicas sobre o crescimento e as taxas de juros dos 17 membros do FOMC e passará por intenso escrutínio em busca de pistas do que pode vir em 2020.

Darrell Delamaide/Investing.com

Artigos Relacionados

Últimos comentários

Adicionar comentário
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Discussão
Escrever uma resposta...
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.

Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos neste site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas neste site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos neste site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos neste site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.

English (USA) English (UK) English (India) English (Canada) English (Australia) English (South Africa) English (Philippines) English (Nigeria) Deutsch Español (España) Español (México) Français Italiano Nederlands Português (Portugal) Polski Русский Türkçe ‏العربية‏ Ελληνικά Svenska Suomi עברית 日本語 한국어 中文 香港 Bahasa Indonesia Bahasa Melayu ไทย Tiếng Việt हिंदी
Sair
Tem certeza de que deseja sair?
NãoSim
CancelarSim
Salvando Alterações

+

Baixe o App

Mais informações sobre o mercado, mais alertas, mais opções de personalizar seus ativos em sua carteira, apenas pelo App

Baixe o App

Mais informações sobre o mercado, mais alertas, mais opções de personalizar seus ativos em sua carteira, apenas pelo App