Futuros dos EUA caem com investidores aguardando os últimos números de desemprego

Futuros dos EUA caem com investidores aguardando os últimos números de desemprego

Haramoto  | 21.05.2020 07:54


ÁSIA: As bolsas da região Ásia-Pacífico fecharam majoritariamente em baixa nesta quinta-feira, com os investidores continuando a monitorar a reabertura das economias em meio à pandemia de coronavírus.


Na China continental, o composto de Xangai caiu 0,55%. O índice Hang Seng de Hong Kong caiu 0,49%.


No Japão, o Nikkei fechou em baixa de 0,21%, enquanto o índice Topix encerrou o pregão em baixa de 0,23%.


Contrariando seus pares regionais, Kospi da Coreia do Sul avançou 0,44.


Na Austrália, o S & P / ASX 200 fechou em queda de 0,41%, em 5.550,40 pontos. Entre as mineradoras, BHP caiu 0,5% e Rio Tinto (LON:RIO) recuou 1,1%. Entre as produtoras de petróleo, Santos subiu 2,7% e Woodside Petroleum avançou 0,9%.


No geral, o índice MSCI Asia ex-Japan foi 0,24% menor.


Os dados comerciais do Japão para abril divulgados pelo Ministério das Finanças do país nesta quinta-feira mostraram que as exportações em abril caíram 21,9% em comparação com o ano anterior, abaixo da queda de 22,7% prevista pelos economistas em uma pesquisa da Reuters. As importações caíram 7%. Essas foram as piores leituras mensais em mais de uma década. O Japão é a terceira maior economia do mundo e entrou em recessão no primeiro trimestre devido paralisações relacionadas ao coronavírus.


Analistas disseram que os dados econômicos “continuam a ficar em segundo plano, à medida que os mercados buscam dados para avaliar a rapidez com que as atividades estão retornando”.


A Associated Press informou que o governo chinês está sendo pressionado a retomar a economia enquanto o Congresso Nacional do Povo está reunindo. A China está pressionando para iniciar a recuperação dos empregos perdidos devido ao fechamento de pandemias. Estima-se que cerca de 30% dos trabalhadores urbanos da China tenham perdido o emprego, disse a Fitch Ratings.


Os investidores também continuaram observando a evolução da pandemia de coronavírus, já que a Organização Mundial da Saúde disse que o número de casos recentemente registrados atingiu um recorde diário nesta semana, à medida que autoridades do mundo todo tentam facilitar as medidas de bloqueio adotadas para conter a propagação do vírus.


Os mercados receberam um impulso no início da semana após a Moderna anunciar um desenvolvimento positivo para uma potencial vacina contra o coronavírus. Na quarta-feira, em resposta a um relatório do STAT News de que os especialistas em vacinas estavam céticos em relação aos dados de vacina da Moderna, o presidente da empresa disse à imprensa que nunca divulgaria dados da vacina para o coronavírus diferente da “realidade”.


EUROPA: As bolsas europeias recuam nesta quinta-feira com o retorno das tensões EUA-China, enquanto outro dado aponta desaceleração da atividade na região da zona do euro em maio.


Os dados do PMI da zona do euro do IHS Markit na manhã de quinta-feira mostraram que a atividade econômica contraiu de maneira menos drástica em maio, com muitos países do bloco tomando medidas para reabrir suas economias.


A leitura do PMI composto, que cobre tanto o setor de manufatura quanto os de serviços, ficou em 30,5, em comparação com a mínima histórica de 13,6 em abril. Embora consideravelmente melhor que as expectativas, o número permanece bem abaixo da marca de 50, que separa contração e expansão.


O índice PMI flash da França subiu para 30,5 em maio, ante 11,1 em abril, o índice PMI composto da Alemanha subiu para 31,4, de 17,4 e o índice PMI flash composto do Reino Unido subiu para 28,9, ante 13,8 em abril.


As perdas também vieram após o Senado dos EUA aprovar uma nova legislação na quarta-feira, que poderia impedir muitas empresas chinesas de listar ações em bolsas americanas ou de angariar fundos de investidores americanos. O presidente dos EUA, Donald Trump, disse que a incompetência da China é responsável por "assassinatos em massa em todo o mundo".


O declínio também ocorre na primeira oportunidade dos traders europeus de reagir em relação à minuta da última reunião do FOMC em relação à fixação das taxas de juros do Federal Reserve, no qual os membros estavam preocupados com a possibilidade de uma potencial segunda onda de infecções que abalasse os EUA e as economias globais.


As infecções globais por coronavírus ultrapassaram a marca dos 5 milhões, de acordo com dados da Johns Hopkins.


Após subir 1% na quarta-feira, o Stoxx Europe 600 cai 0,66%. O alemão DAX 30 cai 1,42%, o CAC 40 da França recua 1,05%, o IBEX 35 da Espanha recua 0,14% e o FTSE MIB da Itália cai 0,69%.


Em Londres, o FTSE 100 cai 0,97%. Entre as empresas de mineração, Anglo American (LON:AAL) cai 1,4%, Antofagasta (LON:ANTO) recua 0,8%, BHP perde 1% e Rio Tinto recua 1,4%. Entre as empresas de energia, as gigantes, BP e Royal Dutch Shell perdem 1,3% e 1,6%, respectivamente.


EUA: Os contratos de futuros vinculados aos principais índices de ações dos EUA caem no início da quinta-feira, com os investidores se preparando para uma nova rodada de resultados corporativos e mais relatórios econômicos, incluindo as reivindicações semanais de desemprego.


Na quarta-feira, o Dow subiu 1,52%, para terminar em 24.575,90. O S&P 500 subiu 1,66%, para terminar em 2.971,61 pontos, seu maior nível de fechamento desde 6 de março, de acordo com a Dow Jones Market Data. O Nasdaq Composite subiu 2,07%, fechando em 9.375,78 pontos.


Ainda na quarta-feira, a ata da última reunião do Fed de abril mostrou que os formuladores de políticas discutiram como convencer o mercado de que o banco central pretendia manter as taxas federais, que atualmente se situam entre 0% e 0,25%, naquelas níveis por um longo tempo.


Na agenda desta quinta-feira, os mercados esperam vários relatórios econômicos, incluindo os números semanais de reivindicações de seguro-desemprego que foram negligenciados principalmente por investidores otimistas em favor de uma crescente reabertura da economia americana.


Espera-se que o relatório semanal desta quinta-feira mostre que cerca de 2,35 milhões de pessoas procuraram os benefícios ao desemprego na semana encerrada em 16 de maio, provavelmente levando o número total de americanos desempregados durante a pandemia do COVID-19, com ajuste sazonal, para quase 40 milhões. Isso é cerca de um em cada cinco trabalhadores da força de trabalho.


Certamente, o número semanal representa uma desaceleração da recente tendência de perda de empregos, mas ainda pode ser um lembrete preocupante do pedágio que a pandemia viral exerceu na economia dos EUA nos últimos meses.


Além das reivindicações de desemprego às 9h30 da manhã, os investidores acompanharão ao mesmo tempo, a divulgação da pesquisa sobre as condições dos negócios na região da Filadélfia. Os PMIs flash da Markit, que fornecem uma leitura antecipada dos setores de serviços e da atividade de manufatura em maio, devem ser divulgados às 10h45, enquanto um relatório sobre as vendas de imóveis existentes para abril é esperado às 11h00, juntamente com outros indicadores econômicos, incluindo licenças de construção e pedidos às fábrica.


Entre os palestrantes do Fed, os investidores assistirão ao evento "Fed Listens" com Powell e Lael Brainard às 15h00, que se concentrará o tema "como a pandemia mudou as perspectivas sobre o mercado de trabalho, a inflação e política monetária", além das famílias e empresas".


Antes disso, o presidente do Fed de Nova York, John Williams, falará às 11 horas e o vice-presidente do Fed, Richard Clarida, às 14 horas.


ÍNDICES FUTUROS - 7h40:
Dow: -0,62%
SP500: -0,63%
NASDAQ: -0,57%


OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

Haramoto

Artigos Relacionados

Últimos comentários

Adicionar comentário
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
marcos santana
marcos santana

Ótimo o texto, obgdo !!!  ... (Leia Mais)

21.05.2020 12:22 GMT· Responder
Discussão
Escrever uma resposta...
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.

Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos neste site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas neste site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos neste site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos neste site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.

English (USA) English (UK) English (India) English (Canada) English (Australia) English (South Africa) English (Philippines) English (Nigeria) Deutsch Español (España) Español (México) Français Italiano Nederlands Português (Portugal) Polski Русский Türkçe ‏العربية‏ Ελληνικά Svenska Suomi עברית 日本語 한국어 简体中文 繁體中文 Bahasa Indonesia Bahasa Melayu ไทย Tiếng Việt हिंदी
Sair
Tem certeza de que deseja sair?
NãoSim
CancelarSim
Salvando Alterações

+

Baixe o App

Mais informações sobre o mercado, mais alertas, mais opções de personalizar seus ativos em sua carteira, apenas pelo App

Investing.com é melhor no App!

Mais conteúdo, cotações e gráficos mais rápidos e uma experiência melhor estão disponíveis apenas no aplicativo.