George Soros Explica a Alta do Bitcoin

George Soros Explica a Alta do Bitcoin

Rodrigo Lima  | 12.08.2019 11:57

Desde o último dia 31 o Bitcoin já acumula mais de 21% de alta, saindo da região dos US$ 9.400 para a região dos US$ 11.600, tendo atingido máximas de US$ 12.400. São vários os fatores que podem ter motivado o recente rali da criptomoeda, com os grafistas apontando principalmente para o golden cross (cruzamento de uma média móvel de curto prazo com uma média móvel de longo prazo) ocorrido no gráfico de três dias no último dia 30. O último golden cross desse timeframe havia ocorrido em fevereiro de 2016, logo antes de um dos maiores ralis da história do Bitcoin.

Golden Cross no gráfico de três dias

Historicamente o golden cross é visto como um indicador extremamente bullish para qualquer ativo. Para os descrentes da análise técnica isso pode parecer bobagem, porém como já expliquei em outro artigo, é bastante plausível que indicadores como estes disparem ordens de compra ou venda para algoritmos, que respondem a uma grande parcela do mercado.

Entretanto, a narrativa comprada para explicar a alta do Bitcoin não reside nos gráficos de candlesticks, mas sim na Casa Branca de Washington. De maneira generalizada, tanto a mídia quanto os analistas atribuíram a alta do Bitcoin ao acirramento da guerra comercial entre EUA e China.

No último dia 31 o presidente do FED, Jerome Powell, anunciou o corte da taxa de juros americana em 25 pontos base. Historicamente cortes de juros são bem recebidos pelo mercado, uma vez que tendem a injetar liquidez e gerar pressão positiva sobre o preço dos ativos de risco, porém não foi isso o que aconteceu. Powell anunciou o corte com um tom “hawkish”, indicando que não se trata do início de um novo ciclo de queda nos juros americanos, o que fez com que os mercados despencassem ao redor do mundo.

Apesar de a medida enfraquecer o dólar perante outras moedas, a China não retaliou a mudança na política monetária americana. Porém no dia primeiro de agosto Donald Trump anunciou um tarifaço de 10% sobre exportações chinesas, fazendo com que o iuan despencasse. Historicamente o banco central chinês vinha mantendo uma política de câmbio fixo, porém como retaliação à política fiscal de Trump, a China não se moveu para conter a desvalorização do iuan, que chegou a romper a barreira de 7 por dólar, valor não atingido desde 2008.

Segundo o que diz a cartilha, ao observarem o derretimento do iuan em relação ao dólar, investidores chineses teriam corrido para o Bitcoin como forma de proteger o seu patrimônio, fazendo com que as cotações disparassem. A narrativa é muito bonita, só tem um pequeno problema: não se adequa à realidade.

Se investidores chineses tivessem corrido para o Bitcoin, seria de se esperar que exchanges com grande concentração de players chineses como a OkCoin e Huobi negociassem Bitcoin com um prêmio significativo, o que não ocorreu. Além disso, devido à sua alta volatilidade, o Bitcoin ainda não é a reserva de valor de escolha dos chineses: para isso, o Tether (USDT) é o rei. E longe de ser negociado por um prêmio, o Tether estava descontado nessas exchanges. Mas então o que raios explica a alta do Bitcoin? Eu particularmente não sei, mas talvez os ensinamentos do megainvestidor George Soros possam nos ajudar.

Cotação do Bitcoin na Bitstamp (azul) e OkCoin (laranja)

Muita gente não sabe, mas George Soros não começou sua carreira no mercado financeiro, mas sim estudando filosofia na renomada London School of Economics. Lá ele seria extremamente influenciado pelo pensamento de Karl Popper, um dos maiores epistemólogos do século XX.

Popper parte da teoria do conhecimento de Kant, de que há limites para o conhecimento humano, que podemos ter conhecimento apenas dos fenômenos: o nôumena, as coisas-em-si, os fundamentos últimos de nossa natureza podem nunca nos serem acessíveis. Como então poderia a ciência progredir rumo a uma melhor compreensão dos fenômenos do mundo?

Para Popper, a ciência se moveria não através de provas, de demonstrações empíricas positivas, mas sim através da falseabilidade de hipóteses, de conjecturas e refutações. É famoso o exemplo do cisne negro: acreditava-se que todos os cisnes seriam brancos, até que foi descoberta a existência de cisnes negros, falseando então a hipótese de que todos os cisnes são brancos. Primeiro surgem-se conjecturas, então elabora-se hipóteses, que são falseadas e portanto refutadas, dando início a um novo ciclo de elaboração de conjecturas. Assim move-se a ciência.

Nas ciências naturais é fácil observar esse processo em ação, mas para as humanidades esse é um arcabouço difícil de ser replicado. Em muitos casos o problema é a infalseabilidade das hipóteses, casos do marxismo e da psicanálise, ambos furiosamente criticados por Popper. Já em outros casos há o problema da reflexividade: se a asserção de previsões sobre um sistema pode alterar o sistema como um todo, toda a capacidade preditiva vai por água abaixo e não pode haver previsões científicas. Por isso seria difícil falar em ciências sociais.

A questão da reflexividade sempre fascinou Soros, que dedicou boa parte de sua vida a estudá-la. Seu livro mais famoso, “A alquimia das finanças”, publicado em 1987, nada mais é do que um grande estudo sobre a reflexividade do mercado financeiro. O título já explicita de que trata o livro: os alquimistas não faziam ciência e seu principal objetivo era o de transformar materiais sem valor em ouro, coisa corriqueira nas bolsas de valores.

No livro, Soros destaca a importância primordial que a reflexividade tem no mercado financeiro: como em uma profecia autorrealizada, se os agentes acreditam que determinado ativo irá cair, ele cai, e vice-versa. Isso ocorre pois os agentes tentam antecipar-se uns aos outros, gerando feedbacks de reflexividade. Por isso, para Soros, a hipótese de mercados eficientes não tem validade, pois se fosse verdadeira, os agentes se adaptariam a ela, tornando então a teoria falsa, em um eterno feedback de reflexividade.

Na última alta do Bitcoin foi exatamente isto o que ocorreu: todo o mercado acreditou que os investidores chineses iriam fugir para o Bitcoin como forma de proteger seu capital da guerra comercial, fazendo com que as cotações disparassem. No fim das contas o investidor chinês não veio, mas será que isso realmente importa? A cotação decolou e o Bitcoin já é negociado a preço de ouro. E uma vez transformado em ouro, não há alquimia capaz de desfazer o processo.

Rodrigo Lima

Artigos Relacionados

Últimos comentários

Adicionar comentário
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Rodrigo Pimenta
Rodrigo Pimenta

Muito boa explicacao!  ... (Leia Mais)

13.08.2019 15:57 GMT· Responder
Erick Kogikoski
Erick Kogikoski

Agora fala qual o objetivo de George Soros.  ... (Leia Mais)

13.08.2019 11:07 GMT· Responder
Marco Polo Baptista
Marco Polo Baptista

Inteligentíssima exposição do tema. Parabéns Rodrigo  ... (Leia Mais)

13.08.2019 09:30 GMT· Responder
Danilo Faggian
Danilo Faggian

Parabéns. Excelente artigo.  ... (Leia Mais)

13.08.2019 04:33 GMT· Responder
Guilherme Seabra
Guilherme Seabra

Ótimo texto, bem concatenado e ainda informativo. Quem reclamou tá é com preguiça de ler.  ... (Leia Mais)

13.08.2019 00:42 GMT· Responder
Hermes Machado
Hermes Machado

Antes de tudo, meus parabéns a Rodrigo Lima pelo esmero dado ao preparar e publicar este excelente artigo. De fato, acontecimentos que repercutem podem influenciar o mercado financeiro criando o efeito cascata. Ainda sim, penso que devemos tomar cuidado antes da tomada de decisão, haja vista, é nesse cenário que grandes players, gestores de OTC's e corretoras associadas prevendo a corrida pela moeda pode preparar em algum momento o bote e despejar milhares de moedas surpreendendo a todos e derrubando a cotação da moeda. De outro modo, quero alertar que para um PUMP , sempre virá um DUMP. Sigo planilhando... Hermes Machado, futurista, perfil na investing.  ... (Leia Mais)

13.08.2019 00:29 GMT· Responder
Fernando Gianvechio
Fernando Gianvechio

forros é um cara tão bonzinho que investiu 800 milhões na Petrobras pouco antes dela não se ar o pré-sal e o seu capital triplicou logo depois investiu mais um pouquinho de dinheiro antes do Obama dizer que ajudaria o Brasil a retirar o petróleo do pré-sal e ganhou mais dinheiro e pois todo esse dinheiro nas instituições apoiadoras do Obama e da Clinton!  ... (Leia Mais)

13.08.2019 00:16 GMT· 1 · Responder
Fernando Gianvechio
Fernando Gianvechio

não quero saber da vida dos Soros.acredito que a alta nos bitcoins vem em decorrência da queda do índice S&P 500 e de bolsas ao redor do mundo, hoje o mercado de ações tem 80 trilhões em investimento, sim um por cento desses 80 trilhões migrar para o Bitcoin, acontecerá um aumento de 300% no capital total investido!  ... (Leia Mais)

13.08.2019 00:12 GMT· 1 · Responder
Hindi Psi
Hindi Psi

excelente texto. inteligente, bem escrito.  ... (Leia Mais)

13.08.2019 00:12 GMT· Responder
Fernando Gianvechio
Fernando Gianvechio

não quero saber da vida dos Soros, acredito que o Bitcoin teve uma alta pois existe 80 trilhões investido em ações e com a queda do S&P e de bolsas ao redor do mundo se 1% por cento do que está investido em ações migrar para o bitcoins ele sai de 200 bilhões e vai para um trilhão!  ... (Leia Mais)

13.08.2019 00:09 GMT· Responder
Gerson Pires
Gerson Pires

Parabéns pelo texto muito bem escrito. Coisa rara hoje em dia.   ... (Leia Mais)

13.08.2019 00:05 GMT· Responder
Luis Feltrin
Luis Feltrin

Nem li nem lerei cansativo demais   ... (Leia Mais)

13.08.2019 00:03 GMT· Responder
carlos lago
carlos lago

Que texto chato  ... (Leia Mais)

12.08.2019 23:55 GMT· Responder
João Manoel
João Manoel

que texto foda  ... (Leia Mais)

12.08.2019 23:44 GMT· Responder
Rubens Biazzetti
Rubens Biazzetti

Otimo texto!   ... (Leia Mais)

12.08.2019 23:38 GMT· Responder
Sam Persi
Sam Persi

explico é oferta e procura e grandes movimentos geram tsunami para cima e para baixo, com tanta imprevisibilidade não faz o meu perfil, estou embolsando meu lucro e ficando só com bolsa e renda fixa que tem mais lógica.  ... (Leia Mais)

12.08.2019 21:06 GMT· Responder
Joao Silva
Joao Silva

Eu vou explicar a baixa: Vai buscar a média de 50  dias no gráfico Semanal (12/08/19 - 17:30hs).  ... (Leia Mais)

12.08.2019 20:30 GMT· Responder
Jandir da Silva
Jandir da Silva

Otimo texto   ... (Leia Mais)

12.08.2019 19:54 GMT· Responder
Kaire Carvalho
Kaire Carvalho

Um dos melhores textos que já li no Blog. Parabéns, belo trabalho!  ... (Leia Mais)

12.08.2019 19:12 GMT· Responder
Marcos Severiano
Marcos Severiano

Texto fantastico! Parabens!  ... (Leia Mais)

12.08.2019 16:49 GMT· Responder
Flávio Augusto Teixeira
Flávio Augusto Teixeira

A expectativa sempre acaba infuenciando ( e muito) a realidade.  ... (Leia Mais)

12.08.2019 16:30 GMT· Responder
Discussão
Escrever uma resposta...
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.

Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos neste site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas neste site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos neste site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos neste site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.

English (USA) English (UK) English (India) English (Canada) English (Australia) English (South Africa) English (Philippines) English (Nigeria) Deutsch Español (España) Español (México) Français Italiano Nederlands Português (Portugal) Polski Русский Türkçe ‏العربية‏ Ελληνικά Svenska Suomi עברית 日本語 한국어 中文 香港 Bahasa Indonesia Bahasa Melayu ไทย Tiếng Việt हिंदी
Sair
Tem certeza de que deseja sair?
NãoSim
CancelarSim
Salvando Alterações

+