Melhores e Piores Papéis da Bolsa em 2020

Melhores e Piores Papéis da Bolsa em 2020

Carlos Heitor Campani  | 20.11.2020 09:49

Olá pessoal! Alguns de vocês devem ter notado que não publiquei a coluna na semana passada. Conforme divulguei em minhas redes sociais (@carlosheitorcampani), por conta de muitos compromissos profissionais tive de remanejar a publicação da coluna para quinzenal (mantendo sempre às sextas-feiras). Não me sentiria confortável em escrever textos rapidamente e sem algo que realmente fizesse valer o tempo de leitura de cada um de vocês. A decisão visa me permitir manter o que julgo ser a alta qualidade dos conteúdos que divido aqui com vocês.

Na última coluna, terminei a série de oito textos sobre Valuation de empresas, projetos e ativos em geral. Se você tem interesse no assunto e não acompanhou, sugiro fortemente a leitura dos oito textos, ao seu tempo. Há conteúdo ali que você não encontrará em livros, pois é fruto de minhas pesquisas e experiência profissional. Hoje, depois de algum tempo, volto a apresentar a análise dos melhores e piores papéis da bolsa em 2020. Para quem está chegando agora na coluna, eu costumo fazer tal análise periodicamente por aqui.

Trabalho com o universo dos 100 ativos (ações e units) que compõem atualmente o IBrX 100. Este índice é mais abrangente do que o Ibovespa e escolhe seus 100 constituintes pelos maiores índices de negociabilidade, funcionando como um ótimo filtro de liquidez. Qualquer análise de ações que não estejam neste índice precisa ser feita com extrema atenção, pois a baixa liquidez esconde riscos que retornos diários não conseguem capturar. É assunto quiçá para outro texto por si só!

A análise parte do preço de fechamento do último pregão em 2019 e vai até o fechamento da última quarta-feira, dia 18 de novembro. É importante notar que utilizo retornos totais, ou seja, que incorporam eventuais dividendos, JCP, desdobramentos, bonificações etc. Com isso, alguns dos retornos apresentados abaixo não serão exatamente iguais à variação da cotação do papel no período em análise. Para aqueles que quiserem a planilha com a análise completa (com todos os 100 papéis), basta acessar meu website (disponível no meu perfil no Investing.com) e procurar pela notícia desta coluna na seção “Na Mídia” (se não funcionar via smartphone, tente via desktop ou laptop). Espero que seja bacana e útil para todos vocês!

Como critério de performance, sempre utilizo o índice Campani. Como explicado em meus textos aqui de 8, 15 e 22 de maio, este índice tem a mesma interpretação que o famoso índice Sharpe (retorno médio por unidade de risco), mas utiliza métricas de retorno e risco conceitualmente corretas e bem fundamentadas (nos textos citados explico claramente porque o Sharpe é fundamentalmente equivocado e pode, muitas vezes, melhorar artificialmente a performance de maus gestores, prejudicando os bons gestores). Listo abaixo os 15 melhores e os 15 piores papéis e, para efeito de análise e comparação, o Ibovespa, o índice SMLL de small caps da B3 (SA:B3SA3) e ainda uma carteira fictícia igualmente ponderada (1/n) com todos os 100 papéis que constituem atualmente o IBrX 100.

15 melhores e 15 piores ações de 2020

Com cotações mais do que dobradas em 2020, duas ações se destacam: Weg (SA:WEGE3) e Magazine Luiza (SA:MGLU3). Quem apostou nesses papéis em 2020 está bastante feliz. Do pelotão dos 15 melhores, outros dois papéis chamam a atenção pela baixíssima volatilidade: Cteep (SA:TRPL4) e Taesa (SA:TAEE11). Esses papéis são os de menores volatilidades dentre todos os analisados! Isso leva a performance lá para cima, ainda mais com retornos agradavelmente positivos (em que pese serem os dois menores retornos da lista dos 15 melhores).

As performances obtidas por esses 15 papéis tornam-se ainda mais significativas quando comparadas ao Ibovespa, que reflete uma performance média de mercado. Este ainda não recuperou o patamar do final de 2019, assim como a maioria dos papéis analisados: mais precisamente 64 deles ainda estão com rentabilidade negativa no ano. Note que a performance do índice de small caps (SMLL) está ligeiramente abaixo do Ibovespa, o que indica que o efeito tamanho (size) apresenta impacto pouco significativo em 2020.

Por sua vez, o índice igualmente ponderado praticamente voltou ao patamar do final de 2019, com índice de performance 4% acima do Ibovespa (1,04 vs. 1,00). Esta maior performance de carteiras igualmente ponderadas (normalmente chamadas de carteiras 1/n) é bastante frequente e amplamente analisada na literatura acadêmica: decorre da maior diversificação em relação a índices ponderados por valor de mercado. Estes últimos, tal como o Ibovespa, são concentrados nas empresas maiores. Além disso, estratégias 1/n seguem o racional de “vender na alta e comprar na baixa”, pois vendem um ativo quando este sobe de preço e compram quando cai de preço. Se você quiser entender mais sobre carteiras igualmente ponderadas (1/n), acesse esse texto da coluna.

Na parte inferior do ranking, o IRB (SA:IRBR3) continua na última colocação (tal como em outras análises que fiz antes por aqui), com uma perda total superior a 80% de seu valor ao final de 2019. Sua volatilidade está altíssima neste ano, sendo a quarta maior dentre todos os 100 papéis analisados (perde apenas para Azul, Gol e CVC). Aliás, a ação da CVC (SA:CVCB3) chama a atenção porque possui a segunda pior rentabilidade com a terceira mais alta volatilidade e ainda assim está à frente de outras sete companhias além do IRB: isso se explica por conta da assimetria dos seus retornos. O papel da CVC tem obtido altas significativas em momentos de subida do mercado, mesmo quando comparadas com as quedas. O problema é que ainda há muito mais quedas do que altas, mas o IC desse papel mostra que se o mercado continuar tendo altas fortes, ele tem maior potencial relativo de recuperação pelas características apresentadas ao longo do ano. Os fundamentos e tudo que temos vivido neste ano explicam esse comportamento e performance.

Algo a ser destacado em relação a análises que fiz anteriormente é a ausência das duas companhias do setor aéreo, Gol (SA:GOLL4) e Azul (SA:AZUL4), da parte inferior do ranking. Elas atualmente estão bem no meio da tabela, entretanto ainda com perdas significativas (de pouco mais de 40% no ano) e as mais altas volatilidades: ao redor de 117%! Mas, tal como no caso da CVC, essa altíssima volatilidade tem assimetria e não pode ser considerada por si só. Devemos sempre lembrar que há dois tipos de volatilidades, que representam dois tipos de risco: o bom e o ruim. Saber “separar o joio do trigo” é fundamental para se analisar corretamente o comportamento de um papel (leia este texto para aprofundar este ponto, que já discuti em diversos momentos diferentes por aqui).

Uma vez mais, para aqueles que desejarem acessar a análise completa, acesse meu site, seção “Na Mídia”, procure a notícia relacionada a este texto e baixe a planilha. A ideia é dividir informação para ajudar a todos! Por fim, fica o convite para me seguir nas redes sociais, nas quais publico bastante conteúdo de educação financeira e de investimentos.

Forte abraço a todos vocês.

* Carlos Heitor Campani é PhD em Finanças, Professor Pesquisador do Coppead/UFRJ e especialista em investimentos, previdência e finanças pessoais, corporativas e públicas. Ele pode ser encontrado em seu site pessoal e nas redes sociais: @carlosheitorcampani. Esta coluna sai a cada duas semanas, sempre na sexta-feira.

Carlos Heitor Campani

Artigos Relacionados

Últimos comentários

Adicionar comentário
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Inaldo Gomes
Inaldo Gomes

Gosto muito de Ler Suas publicações meu Querido  ... (Leia Mais)

01.12.2020 16:09 GMT· Responder
Emanoel Silva
Emanoel Silva

parabéns pelo texto ! você transmitiu perfeitamente suas análises.  ... (Leia Mais)

30.11.2020 14:26 GMT· Responder
João M Silva
João M Silva

Texto muito bom! Técnico, possivlemente a relação das ações podem mudar, mas as ideias colocadas são muito boas. Parabéns  ... (Leia Mais)

29.11.2020 11:54 GMT· Responder
Gustavo Augusto
Gustavo Augusto

A lista de vocês de piores papéis em 2020 está muito incompleta, vou dar uma atualizada. Os piores de 2020 são: ROMI3, LPSB3, SHOW3, CNTO, SQIA3, POSI3 e ENBR3.  ... (Leia Mais)

25.11.2020 00:56 GMT· Responder
MagnataOpcoes
MagnataOpcoes

a Microsoft demorou 15 anos para sair do lugar... analisar apenas rentabilidade nao te deixa analisar uma empresa... são numeros frios que fazem a sardinha vender no fundo..... pena  ... (Leia Mais)

24.11.2020 13:15 GMT· 1 · Responder
Marcos Vinicius
Marcos Vinicius

Acho bem as empresas menos voláteis, mas prefiro deixar isso pra renda fixa....   ... (Leia Mais)

22.11.2020 15:05 GMT· Responder
Paulo Reis
Paulo Reis

boa noite!gostei do seu texto, muito bem explicativo e ainda vou indica- lo pra que pessoas do meu convívio leiam  ... (Leia Mais)

22.11.2020 02:04 GMT· Responder
Márcio Ferreira
Márcio Ferreira

Qual é seu site?  ... (Leia Mais)

21.11.2020 21:43 GMT· 2 · Responder
Euler Washington
Euler Washington

BRAP4, TRPL4, CSNA3, TAEE4, KLBN4, BBAS3, SAPR4, CIEL3 eu quero! O resto pode ficar. Obrigado.  ... (Leia Mais)

21.11.2020 21:31 GMT· Responder
Amaury Junior
Amaury Junior

essa tabela completa com todas as ações está disponível?  ... (Leia Mais)

21.11.2020 21:01 GMT· 1 · Responder
Amaury Junior
Amaury Junior

essa tabela completa com todas as ações está disponível?  ... (Leia Mais)

21.11.2020 21:01 GMT· Responder
airto zanini
airto zanini

Perfeito.  ... (Leia Mais)

21.11.2020 20:34 GMT· Responder
Vanusa Novais
Vanusa Novais

Excelente estudo, agradeco por compartilhar. Abracos   ... (Leia Mais)

21.11.2020 20:08 GMT· Responder
Rodrigo Matos
Rodrigo Matos

kkkkkkk a oi é um bom papel então kkkkk  ... (Leia Mais)

21.11.2020 19:51 GMT· Responder
Cezario Dias
Cezario Dias

parabéns eu gostei, uma análise de mais de 10 meses, tudo que aconteceu no período da pra tirar muitas conclusões.   ... (Leia Mais)

21.11.2020 19:29 GMT· Responder
Julio Cesar
Julio Cesar

darcio desocupado mesmo criticando quem estuda muito para dar uma noticia talvez otima presta atenção si coloca no seu lugar provavelmente ele é ocupado para ter esse ero além que ele não é advogado e muito menos formado em letras o que si interesa é a mensagem que ele passa e o conteudo!   ... (Leia Mais)

21.11.2020 19:18 GMT· 1 · Responder
Victor Sousa
Victor Sousa

TENDENCIOSO  ... (Leia Mais)

21.11.2020 19:15 GMT· 1 · Responder
Darcio Souza
Darcio Souza

Menores volatilidades!!! Meu Deus!!! Onde esse homem estudou? Querem assassinar a lingua portuguesa! Socorro!  ... (Leia Mais)

21.11.2020 19:11 GMT· 1 · Responder
Agnaldo Oliveira Junior
Agnaldo Oliveira Junior

Fabio Imamura, realmente era melhor não ter comentado mesmo. O cara dedica horas para fazer uma análise séria e rica em informações, para vir ser igual você bostejar em forma de comentário. Parabéns pelas colocações Carlos!  ... (Leia Mais)

21.11.2020 19:08 GMT· Responder
Otávio Augusto
Otávio Augusto

quer perder seu dinheiro suado invista em estatais !!!!  ... (Leia Mais)

21.11.2020 19:02 GMT· Responder
Fabio Imamura
Fabio Imamura

Só rindo mesmo kkkkkk, sem comentários.  ... (Leia Mais)

20.11.2020 23:36 GMT· Responder
Discussão
Escrever uma resposta...
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.

Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos neste site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas neste site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos neste site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos neste site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.

English (USA) English (UK) English (India) English (Canada) English (Australia) English (South Africa) English (Philippines) English (Nigeria) Deutsch Español (España) Español (México) Français Italiano Nederlands Português (Portugal) Polski Русский Türkçe ‏العربية‏ Ελληνικά Svenska Suomi עברית 日本語 한국어 简体中文 繁體中文 Bahasa Indonesia Bahasa Melayu ไทย Tiếng Việt हिंदी
Sair
Tem certeza de que deseja sair?
NãoSim
CancelarSim
Salvando Alterações

+

Baixe o aplicativo do Investing.com

Receba gratuitamente cotações, gráficos e alertas em tempo real sobre ações, índices, moedas, commodities e títulos. Acesse gratuitamente as melhores análises e previsões técnicas.

Investing.com é melhor no App!

Mais conteúdo, cotações e gráficos mais rápidos e uma experiência melhor estão disponíveis apenas no aplicativo.