Memória Inflacionária Reavivada pelo IPCA Anual e de Dezembro! Dólar Alto é Risco!

Memória Inflacionária Reavivada pelo IPCA Anual e de Dezembro! Dólar Alto é Risco!

Sidnei Nehme  | 14.01.2020 08:42

A intimidade da economia brasileira com a inflação é algo que jamais pode ser menosprezada, faz parte da cultura e da memória da população e das práticas de repercussão imediata de comércio, então, permitir que o preço da moeda americana acelere o conteúdo de disfuncionalidade é turbinar o risco de o país ter um retrocesso nos avanços alcançados nos tempos recentes no quesito.

E como só acontecer nestes casos a retomada do espiral inflacionário se dá de forma mais intensa do que se conseguiu para controlá-la e colocá-la com viés de baixa.

Em tese, “brincar com fogo” no quesito é sempre temerário, pois os preços relativos da economia repercutem em cadeia de forma rápida e irreversível.

A tese “juro baixo dólar alto” pode provocar com a alta do dólar uma sinergia macabra de “juro insustentável baixo com dólar alto” e pode ficar complicado desfazer este nó com impactos inesperados no IPCA.

Há uma queda expressiva de fluxo cambial desde agosto, contudo o Brasil após sofrer a saída soberba de capitais estrangeiros especulativos face à queda substantiva do juro no país, sem que tenha havido concomitante atratividade compensatória para o refluxo com ingressos de investimentos estrangeiros com qualidade dada a ausência de fatores motivadores, tais como repercussão tardia e da perspectiva de crescimento econômico do país em 2020 e retardamento na implementação do programa de privatização de setores fundamentais de infraestrutura.

Ocorreu, portanto, um interregno entre os fluxos, pois não ocorrendo de forma concomitante causaram demanda intensa frente à oferta diminuta, que foi suprida pelo BC na forma “neutra”, ou seja, provendo liquidez mas operacionalmente sem contundência para equalizar a taxa cambial do país à sua efetiva realidade, levando a consolidação do preço com disfuncionalidade, que denotou ser o interesse da autoridade à época, e pela forma da intervenção dando sustentação à situação.

Ao final do ano o próprio mercado acabou por apreciar o real ante o dólar americano e o colocando na paridade R$ 4,01, tendo o BC desde então não mais promovido leilões “neutros” que dariam sustentabilidade ao preço naquele patamar, mas com o retorno à normalidade operacional retomando a demanda ainda sem contraposição da oferta como em perspectiva e com o BC ausente, embora houvesse anunciado que continuaria as intervenções em janeiro, o preço ganhou impulsão de alta e já chega a superar os R$ 4,10, deixando com certa evidência que o preço mais elevado interessa a autoridade monetária.

A atitude tem inúmeros prós e contras, que poderíamos analisar longamente, mas não nos parece que o momento sugira colocar a risco as conquistas recentes no controle do juro e até então da inflação, agora ameaçada pelo resultado do IPCA de dezembro e acumulado no ano, que pode deixar de ser tão pontual (carne) como posto nas análises, e se expandir pelos de principais preços da economia.

As perspectivas de recuperação do fluxo cambial persistem bem como da sensível melhora do fluxo cambial revertendo o quadro negativo recente, o país vem sendo recomendado por grandes instituições financeiras internacionais, mas o cenário não permite deslizes na gestão que possam neutralizar as expectativas.

O país tem a despeito do “gap” negativo no fluxo cambial uma situação absolutamente tranquila no mercado de câmbio, não se justificando a vulnerabilidade presente, que tem fortes sinais de indução especulativa consentida.

Sidnei Nehme

Artigos Relacionados

Últimos comentários

Adicionar comentário
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Leandro Ri
Leandro Ri

O assunto é sobre ECONOMIA, não sobre ESTILO DE ESCRITA. Quem economia, consegue entender o autor. Por outro lado, o texto exige a análise conjunta ECONOMIA-POLÍTICA. 1) A citada STAGFLAÇÃO é o aumento da inflação pelo aumento do dólar, mas com a economia parada e as fábricas com ociosidade. 2) A stagflação foi provocado pelos GOVERNOS DOS GENERAIS e pela Dilma, porque os 2 eram governos intervencionistas na economia e nos preços. 3) Esse intervencionismo, em sua raiz, chama-se SOCIALISMO. 4) O BOLSONARO igual aos GENERAIS GOLPISTAS e à Dilma faz controle de capital, diminui a quantidade de reais em circulação através do dólar alto. gerando inflação por qu importamos tudo da China. 5) O NACIONALISMO do BOLSONARO é um SOCIALISMO TUPINIQUIM disfarçado. 6) País de ignorantes que desconhecem a guerra fria, a revolução industrial inglesa, a queda da URSS, claro que não podiam entender as MENTIRAS e CONTRADIÇÕES do BOLSONARO durante a campanha política e entrevistas. Agora estão pagando.  ... (Leia Mais)

14.01.2020 20:24 GMT· 3 · Responder
MARINHO MULTIBAG
MARINHO MULTIBAG

Não nos esqueçamos que o ministro ja havia dito recentemente que a alta do dolar iria durar um bom tempo, e acho que ele tem razão. Sidnei essa formação de preço do dolar pode ter relação com desmontes de posições em DI juros no medio prazo e estar indo para essa posição em moeda? Pois acredito que bolsa ja andou o que tinha que andar nesses ultimos 10 anos, e os ventos internacionais começam a soprar contra? Caso tenha eu feito comentário fora do razoavel peço desculpas. grande abraço a todos.  ... (Leia Mais)

14.01.2020 17:18 GMT· Responder
Sidnei Horst
Sidnei Horst

Pois é venho batendo nesta tecla faz tempo, a Dupla Guedes e Campos Neto tem atitudes temerarias como as relatadas prlo meu Xara e pelo Felipe, porm vou mais adiante, alem disso estamos dando nossas empresas e investimentos a trocp de bananas para os gringos. Com esse dolar nossas empresas e industrias nao valem nada, pergunto: E assim.que queremos industrializar nosso pais? entendam de uma vez que gera muita divisa é o importador, nao o exportador que é livre de tributos, entao pensem pra quem interessa dolar alto? problema é que quem votou no Bolsonaro nal quer admitir que estamos falhando feio na questao cambio e juros deixando especulacao livre sem tributacao... acordem antes que efeito Dilma X Mantega volte e quebre o pais novamente!  ... (Leia Mais)

14.01.2020 15:49 GMT· 3 · Responder
Heron Custódio
Heron Custódio

A inflação está e ficará sob controle porque o governo deu um freio na demanda governamental, tanto pela diminuição das despesas com investimentos e serviços, como despesas de pessoal. Por outro lado, o choque de demanda da carne, que impactou o índice em dezembro, é passageiro e poderemos até mesmo ver deflação nos próximos meses devido à acomodação/redução do preço da carne e também dos combustíveis.  ... (Leia Mais)

14.01.2020 14:07 GMT· Responder
filipe moreira
filipe moreira

aleluia irmãos! Sidnei me ouviu!! poxa, que satisfação quando o povo entende o q eu to falando e ao invés de achar q eu to querendo colocar água no chopp, percebe que "quem avisa amigo é". O Campos Neto já se provou ser um malabarista monetário faz meses, ele crê que vai reinventar a roda e gerar crescimento via inflação. O que ele vai gerar é staginflaçao que é mto pior que recessão, pq destrói capital político (vide caso Guido Mantega+Dilma 2014/2015, ou caso dos Militares década 80). Num geral, staginflaçao foi responsável por promover tanta insatisfação no povo que a guinada política foi radical. Se tivermos uma nova guinada política em direção ao Bolivarianismo à brasileira, do que vai adiantar ter arrumado a casa com as reformas? Tem hora q jogar na defensiva é o melhor a se fazer!!!!  ... (Leia Mais)

14.01.2020 12:28 GMT· 1 · Responder
Well Pina
Well Pina

Alguém sensato aqui.Parabéns pelo artigo.   ... (Leia Mais)

14.01.2020 12:23 GMT· Responder
Frederico Boumann
Frederico Boumann

O Ministério da Economia junto com o BC deram um "tiro no pé" e com calibre 12. O fato de ter permitido/determinado a absorção da alta total dos preços da proteína animal no IPCA, enterrou de vez a possibilidade de corte de juros na reunião de Fevereiro. Isso sem falar que o fato em si poderá ser usado pela oposição para demonstrar a falta de habilidade do Governo para proteger aos mais pobres.  ... (Leia Mais)

14.01.2020 11:28 GMT· Responder
William Haick
William Haick

Me parece que é a segunda vez nesse governo, permitindo o dolar ganhar força. É muito temerario isso. Sidnei Nehme elucida com clareza isso  ... (Leia Mais)

14.01.2020 10:59 GMT· 3 · Responder
Discussão
Escrever uma resposta...
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.

Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos neste site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas neste site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos neste site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos neste site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.

English (USA) English (UK) English (India) English (Canada) English (Australia) English (South Africa) English (Philippines) English (Nigeria) Deutsch Español (España) Español (México) Français Italiano Nederlands Polski Português (Portugal) Русский Türkçe ‏العربية‏ Ελληνικά Svenska Suomi עברית 日本語 한국어 简体中文 繁體中文 Bahasa Indonesia Bahasa Melayu ไทย Tiếng Việt हिंदी
Sair
Tem certeza de que deseja sair?
NãoSim
CancelarSim
Salvando Alterações

+

Baixe o aplicativo do Investing.com

Receba gratuitamente cotações, gráficos e alertas em tempo real sobre ações, índices, moedas, commodities e títulos. Acesse gratuitamente as melhores análises e previsões técnicas.

Investing.com é melhor no App!

Mais conteúdo, cotações e gráficos mais rápidos e uma experiência melhor estão disponíveis apenas no aplicativo.