"Novas Diretrizes" Da Administração Trump Animam Os Futuros De Ações dos EUA

"Novas Diretrizes" Da Administração Trump Animam Os Futuros De Ações dos EUA

Haramoto  | 16.05.2019 07:39

ÁSIA: As bolsas da Ásia fecharam sem direção na madrugada de quinta-feira, com os EUA mirando novamente a Huawei na China, aumentando mais ainda as tensões comerciais.

As ações da China continental subiram. O índice composto de Xangai adicionou 0,58% e o Shenzhen Composite subiu 0,44%. Em Hong Kong, o índice Hang Seng subiu 0,31%.

O Nikkei do Japão recuou 0,59%, enquanto o Topix, mais amplo, recuou 0,43% e na Coreia do Sul, o Kospi caiu 1,20%.

O ASX 200 da Austrália, por outro lado, subiu 0,69%, com expectativas de que o Reserve Bank da Austrália seja forçado a antecipar a redução das taxas de juros, a fim de combater o aumento do desemprego. Entre as mineradoras, BHP subiu 0,7%, Fortescue Metals avançou 3,3% e Rio Tinto (LON:RIO) fechou em alta de 0,7%.

A ações das montadoras na Ásia fecharam em baixa nesta quinta-feira. Na Coreia do sul, a Hyundai Motor caiu 0,39% e a Kia Motors recuou 0,95%. No Japão, a Toyota caiu 1,04%, enquanto a Nissan avançou 0,17%, após afundar na sessão de ontem. Os movimentos vieram depois de relatos de que o presidente dos EUA, Donald Trump, planeja adiar adiar novos impostos sobre importações de carros e autopeças da Europa em até seis meses.

As tensões comerciais, no entanto, continuaram a pesar sobre o sentimento dos investidores, uma vez que Trump declarou "emergência nacional" contra ameaças à tecnologia americana.

Após o pedido, o Departamento de Comércio dos EUA colocou a fabricante de tecnologia chinesa Huawei e outras 70 afiliadas em uma lista negra. A medida exigirá que os vendedores dos EUA obtenham licenças do governo dos EUA antes de comercializar produtos para as empresas da lista.

O Departamento de Comércio informou nesta quarta-feira ter motivos razoáveis para acreditar que "a Huawei esteja envolvida em atividades contrárias à segurança nacional dos EUA". Agências de inteligência dos EUA acusam a empresa de colocar acesso "backdoor" em seus dispositivos sob ordens do governo chinês, uma característica que lhes permitiria espionar os usuários desses dispositivos. No entanto, Pequim e Huawei negam que tal diretriz exista.

Analistas do Eurasia descreveram o movimento da administração Trump como uma “grave escalada com a China”. “Os eventos serão altamente prejudiciais para os laços entre EUA e China em um momento particularmente delicado do relacionamento. A China vai ver isso como um ato abertamente hostil e uma grande provocação”. Segundo eles, “é improvável que Pequim continue com negociações comerciais enquanto se sentir refém dos EUA. Mesmo que as negociações prossigam, neste clima hostil é menos provável que Pequim faça concessões significativas aos EUA, especialmente em questões de tecnologia no centro da disputa comercial”.

Enquanto isso, a recente divulgação de dados econômicos mais fracos do que o esperado alimentou temores de que a guerra comercial EUA-China esteja arrastando o crescimento econômico global para baixo.

As vendas no varejo dos EUA caíram 0,2% em abril, informou o Departamento de Comércio na quarta-feira. Economistas consultados pela Dow Jones esperavam um aumento de 0,2%. Na China, os dados divulgados na quarta-feira mostraram que a produção industrial do país e o crescimento das vendas no varejo em abril também estão abaixo das expectativas.

Esses números vieram em meio à uma recente escalada das tensões comerciais entre Pequim e Washington, começando com os EUA que aumentou as tarifas sobre US $ 200 bilhões em importações chinesas na semana passada. Em retaliação, a China elevou as tarifas de US $ 60 bilhões em mercadorias americanas no início desta semana. Os EUA também levantaram a possibilidade de aplicar em mais US $ 300 bilhões em mercadorias da China.

Os EUA e o Japão também estão realizando negociações comerciais e espera-se que as questões comerciais estejam em pauta na reunião do G-20 no final deste mês no Japão.

EUROPA: Os mercados europeus negociam em baixa nesta quinta-feira, apesar da alta na tarde de quarta-feira, depois que a imprensa revelou que os EUA planeja atrasar os impostos sobre automóveis importados da Europa em até seis meses.

O Pan-Europeu STOXX 600 cai cerca de 0,2% no meio da manhã, com as montadoras de autos liderando as perdas, enquanto o setor de recursos básicos tiveram o início mais forte.

As ações da BMW caem 0,2%, enquanto a Daimler cai 0,9% e a Porsche recua 1,1% na Alemanha. A Renault cai 0,9% na França.

Entre as mineradoras listadas em Londres, Anglo American (LON:AAL) sobe 3%, Antofagasta (LON:ANTO) avança 1,4%, bHP adiciona 2,7% e Rio Tinto sobe 2,6%.

O presidente francês, Emmanuel Macron, derramou água fria sobre a ideia de implementar medidas protecionistas em empresas de tecnologia como a Huawei na quinta-feira.

No Reino Unido, os rebeldes que apoiam o Brexit do Partido Conservador da primeira-ministra britânica, Theresa May, disseram na quarta-feira que votariam contra o acordo de divórcio com a União Europeia, que será apresentado ao Parlamento pela quarta vez no próximo mês.

Enquanto isso, a Comissão Europeia está trabalhando em sua maior pressão regulatória sobre o setor bancário desde a crise financeira de 2008, que pode reduzir o acesso da Grã-Bretanha após sua saída do bloco, informou a Reuters.

Na quinta-feira, os reguladores antitruste da UE multaram o Barclays (LON:BARC), o Citigroup, o JP Morgan, o MUFG e o Royal Bank of Scotland num total de 1,07 bilhão de euros (US $ 1,2 bilhão) por manipular o mercado de câmbio à vista de 11 moedas.

O suíço UBS não foi multado, pois alertou os cartéis para a Comissão Europeia. O setor financeiro foi atingido com multas de bilhões de euros em todo o mundo na última década por fraudar benchmarks importantes.

EUA: Os futuros de ações dos EUA reduzem as perdas e estabilizam na manhã desta quinta-feira, depois que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, atacou o grupo de telecomunicações Huawei contra as ameaças à tecnologia americana, aumentando ainda mais as tensões comerciais.

Na quarta-feira, o Dow Jones Industrial Average, DJIA, subiu 115,97 pontos, ou 0,45% e o índice S & P 500 avançou 0,58%, para 2.850,96 pontos. O Nasdaq Composite Index superou seus pares ao subir 1,1%.

A administração Trump lançou um novo tiro na briga comercial com a China na noite de quarta-feira, emitindo uma ordem executiva que proíbe equipamentos de telecomunicações de países considerados "adversários estrangeiros". O movimento parecia direcionado para a Huawei, que está sob pressão da Casa Branca há meses.

A Huawei respondeu que tal medida só colocará os EUA para trás no que se trata sobre desenvolvimento da tecnologia 5G, dado que a gigante de tecnologia chinesa é a "líder incomparável" neste campo.

A decisão executiva surge um dia depois que os mercados receberam relatos de que Trump adiaria a decisão de instituir novas tarifas sobre importações de carros e peças de automóveis por até seis meses. Horas antes, o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, disse que os EUA "provavelmente" se reunirá novamente com a delegação chinesa em Pequim.

Longe dos desenvolvimentos geopolíticos, o calendário econômico desta quinta-feira inclui reivindicações semanais de desemprego, início de casa e licenças de construção para abril, juntamente com um índice de manufatura do Fed de Philly para maio, tudo devido às 9h30.

ÍNDICES FUTUROS - 7h30:Dow: +0,36%SP500: +0,36%NASDAQ: +0,38%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

Haramoto

Artigos Relacionados

Últimos comentários

Adicionar comentário
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Discussão
Escrever uma resposta...
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.

Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos neste site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas neste site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos neste site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos neste site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.

English (USA) English (UK) English (India) English (Canada) English (Australia) English (South Africa) English (Philippines) English (Nigeria) Deutsch Español (España) Español (México) Français Italiano Nederlands Português (Portugal) Polski Русский Türkçe ‏العربية‏ Ελληνικά Svenska Suomi עברית 日本語 한국어 简体中文 繁體中文 Bahasa Indonesia Bahasa Melayu ไทย Tiếng Việt हिंदी
Sair
Tem certeza de que deseja sair?
NãoSim
CancelarSim
Salvando Alterações

+

Baixe o App

Mais informações sobre o mercado, mais alertas, mais opções de personalizar seus ativos em sua carteira, apenas pelo App

Investing.com é melhor no App!

Mais conteúdo, cotações e gráficos mais rápidos e uma experiência melhor estão disponíveis apenas no aplicativo.