S&P 500 x Bovespa x Bitcoin: Quem Tem o Melhor Desempenho na Crise do Coronavírus?

S&P 500 x Bovespa x Bitcoin: Quem Tem o Melhor Desempenho na Crise do Coronavírus?

Paulo Fiorio  | 24.03.2020 12:24

Os últimos dias foram marcados por muito nervosismo e agitação nos mercados financeiros, seja para quem investe nele ou para quem somente acompanha. Quedas bruscas e fortes no preços dos ativos marcaram o meses de fevereiro e março.

Na tentativa de encontrar algum alívio para a péssima sensação causada pelas grandes perdas no período, figuras influentes do mercado financeiro dispararam comentários negativos sobre o Bitcoin

Nenhuma novidade por aí. É comum que pessoas ataquem aquilo que não conhecem e sigam a opinião da grande maioria, mesmo quando se trata de algo inovador, com potencial de mudar a vida de todos especialmente em tempos de crise.

Por isso, peço que você não se deixe levar por esse tipo de opinião sem antes ler o que tenho a dizer hoje. 

Quero falar sobre fatos e análises.

O Covid-19 escancarou a fragilidade do sistema econômico mundial, bem como sua dependência de intervenções estatais para se manter. Prova disso é a corrida dos Bancos Centrais para conter os impactos da disseminação do novo coronavírus, cortando juros e injetando trilhões de dólares na economia.

A verdade é que essa crise já se desenhava há algum tempo, insinuando-se em um grande sintoma: as principais bolsas mundiais em ascensão por 10 anos sem alcançar a correção esperada para diminuir essa distorção. 

A pandemia — junto com a tensão entre Arábia Saudita e Rússia resultante da disputa pelo preço do petróleo — foram somente o estopim que resultou na atual situação global, a qual se estenderá pelos próximos meses ou anos.

PANORAMA DOS ÚLTIMOS DIAS

Em momentos de crise e pânico como o que testemunhamos neste mês, a volatilidade ganha muita força, levando a movimentos atípicos e grandes quedas no preço dos ativos.

Isso ocorre devido à necessidade dos players (investidores, gestores de fundos e traders) de se desfazer de posições em ativos considerados mais arriscados e correr para ativos mais seguros, como metais preciosos, títulos do tesouro norte-americano e dólar. Esse movimento é chamado flight to quality ou flight to safety, uma corrida por liquidez que também ocorre para cumprir a chamada de margem quando se opera alavancado.

O mercado observou um movimento muito rápido e agressivo: além de sofrer grandes perdas, tiveram até mesmo fundos de investimento quebrando.

E O BITCOIN?

Agora, observe como o Bitcoin se comportou durante os momentos mais fortes de volatilidade nos últimos dias.

Se analisarmos a performance do ativo desde o início de 2020 até o momento que escrevo este texto (23 de março), o Bitcoin apresenta uma variação de -13,48%. O S&P 500, principal índice do mercado acionário americano, apresenta uma desvalorização de -31,12% no mesmo período.

BTC/USD

SPDR S&P 500

Ibovespa

Já a situação do Ibovespa, principal índice acionário brasileiro, é ainda pior: no mesmo período, ele desvalorizou -46,44%.

Esta é a primeira grande crise mundial que o Bitcoin está enfrentando desde sua criação, logo após a crise de 2008. O cenário atual, portanto, pode ser considerado um teste de fogo para sua força.

Por fazer parte de uma nova classe de ativos, o Bitcoin ainda não é a principal escolha de proteção em um momento de insanidade e pânico por liquidez. Porém, a análise comparativa acima deixa claro que quem está investindo na criptomoeda está muito menos desconfortável do que quem investiu no mercado acionário tradicional — o qual já dava demonstrações claras de uma correção, tanto técnicas quanto de fundamentos.

Sim, o Bitcoin passou pelo pico de estresse dos últimos dias com muita volatilidade, como os demais ativos. Mas há uma grande diferença: seu mercado funciona 24 horas, sem limite de queda, circuit breaker ou qualquer outra intervenção de algum órgão central. 

O Bitcoin está sujeito apenas à lei da oferta e demanda e cumpriu muito bem o seu papel, mostrando forte recuperação, bem como mantendo seus fundamentos intactos e o funcionamento normal de sua rede.

MERCADO BRASILEIRO

No cenário nacional, análises já mostravam a exaustão do movimento de alta do Ibovespa que fez seu topo próximo aos 120.000 pontos. Esta alta foi impulsionada em grande parte pela queda da taxa Selic, a qual levou vários investidores pessoa física, acostumados com a tranquilidade da renda fixa, a se arriscar na renda variável em busca de melhores rentabilidades.

Esse movimento aconteceu mesmo com a saída massiva de investidores estrangeiros do Brasil, que em 2019 retiraram R$44,5 bilhões da bolsa nacional. O movimento já dava sinais de que o bull market possivelmente não seria sustentado por muito tempo.

A realidade é que muitas pessoas perderam investimentos expressivos na bolsa de valores com a forte queda dos últimos dias. Agora, em um momento em que muitas empresas podem estar se tornando baratas, essas mesmas pessoas não têm mais caixa para encontrar e aproveitar possíveis oportunidades. 

Tudo isso pela falta de orientação adequada.

Uma bolsa de valores com mais investidores é ótima para o país? Sem dúvida. 

Contudo, muitos entraram na renda variável incentivados por celebridades de internet, que animavam suas audiências a comprar ações e fundos imobiliários sem gerenciamento de risco e preparo adequado. O cenário, portanto, não é nada saudável para o mercado financeiro, que perde investidores que talvez nunca mais voltem devido à frustração de suas primeiras experiências.

Neste momento, o melhor conselho que posso dar é: seja qual for o ativo que você escolher, saiba exatamente no que você está investindo. 

Conheça as características dele e entenda quais os riscos envolvidos.

Não se deixe levar por opiniões tendenciosas e eufóricas. 

Fuja da manada e busque entender onde podem estar as verdadeiras oportunidades de aumentar e proteger seu patrimônio.

O Bitcoin continua firme, com uma capitalização de mercado muito pequena em relação ao seu potencial e pronto para ser uma alternativa em cenários de inflação e arbitrariedades. 

Cabe somente a você analisar os fatos e buscar confiança para tomar as melhores decisões.

Paulo Fiorio

Artigos Relacionados

Últimos comentários

Adicionar comentário
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Rodrigo Rodrigo
Rodrigo Rodrigo

maravilha .... o preço do bitcoin e tão descolado da realidade inicial de 30 dólar quando não existia liquidez que está imune a realidade financeira mundial ....... é a verdadeira mosca branca voando nas alturas que sai da " B.... e pra lá voltará para manter a liquidez e continuar a ser distribuido desde os 50 dólar .... imagine vocês distribuindo arquivinhos de computador com lastro somente em sua própria liquidez duvidosa ... tão rápido sem quem ninguém com um pouco de sensatez deixaria alguns trocados neste ativo só de birra ou para passar um ar de investidor moderno.... lembro bem da época que se alavancou o ativo ao público leigo ...exemplo do apartamento de 80.000 vendido por 200.000 e claro onde o proprietário aceita 100.000 dinheiro e 100.000 em bitcoin  ... (Leia Mais)

29.03.2020 02:02 GMT· Responder
Roberto Stolt
Roberto Stolt

Um ativo performou melhor que os 3 que vc citou: o ouro fisico  ... (Leia Mais)

24.03.2020 20:58 GMT· 1 · Responder
Discussão
Escrever uma resposta...
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.

Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos neste site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas neste site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos neste site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos neste site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.

English (USA) English (UK) English (India) English (Canada) English (Australia) English (South Africa) English (Philippines) English (Nigeria) Deutsch Español (España) Español (México) Français Italiano Nederlands Português (Portugal) Polski Русский Türkçe ‏العربية‏ Ελληνικά Svenska Suomi עברית 日本語 한국어 中文 香港 Bahasa Indonesia Bahasa Melayu ไทย Tiếng Việt हिंदी
Sair
Tem certeza de que deseja sair?
NãoSim
CancelarSim
Salvando Alterações

+

Baixe o App

Mais informações sobre o mercado, mais alertas, mais opções de personalizar seus ativos em sua carteira, apenas pelo App

Baixe o App

Mais informações sobre o mercado, mais alertas, mais opções de personalizar seus ativos em sua carteira, apenas pelo App