Trigo: Clima Favoreceu e Cultivo da Nova Safra Avançou no Sul em Maio

Trigo: Clima Favoreceu e Cultivo da Nova Safra Avançou no Sul em Maio

Cepea  | 17.06.2020 08:59

As estimativas brasileira e mundial de trigo seguem otimistas, e, no Brasil, os preços atrativos devem resultar em maior área com a cultura. Na última semana do mês de maio, o clima favoreceu, e o cultivo da nova safra de trigo avançou no Sul do País. Diante disso, estimativas passaram a indicar produção elevada. Em temos mundiais, dados do USDA sinalizam que a produção de trigo deve aumentar, assim como o consumo, as vendas e os estoques do cereal. Dados da Conab apontam que a área de trigo no País deve ser de 1,09 milhão de hectares, 2,4% acima da temporada anterior. As áreas do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina devem se manter estáveis, enquanto a do Paraná deve crescer 5,5%. A produtividade média nacional está estimada em 2,6 t/ha, 3% maior que em 2019. Com isso, a oferta está prevista em 5,43 milhões de toneladas, 5,4% superior à da safra passada. A Conab também revisou os dados de oferta e demanda para a temporada 2019 (agosto/19 a julho/20), elevando o consumo para 12,5 milhões de toneladas e as importações para 7,2 milhões de toneladas.

Enquanto isso, a escassez de trigo no mercado nacional e a demanda aquecida mantiveram firmes as importações do cereal. Conforme resultados preliminares da Secex, até a terceira semana de maio, as importações de trigo apresentavam média diária de 20,1 mil toneladas, contra 18,4 mil toneladas em maio de 2019. Os preços de importação estavam em US$ 221,80/t, FOB origem, 6,1% abaixo dos registrados no mesmo período do ano passado. O mercado doméstico seguiu operando com volume restrito e valores firmes. No acumulado do mês (de 30 de abril a 31 de maio), os preços no mercado de lotes no Rio Grande do Sul, em Santa Catarina, Paraná e em São Paulo subiram 9,1%, 8,3%, 8,1% e 4,9%, respectivamente. No mesmo período, o preço do grão no mercado de balcão (valor pago ao produtor) registrou alta de 5,8% no Paraná, de 5% em Santa Catarina e de 3,3% no Rio Grande do Sul. Quando comparadas as médias mensais de abril e de maio, nota-se alta de 7,2% no Paraná, com o trigo a R$ 1.265,69/tonelada em maio. No Rio Grande do Sul, a média de maio foi 9,5% superior à de abril, a R$ 1.123,91/t. No mesmo comparativo, em São Paulo, o aumento foi de 5,7%, com o trigo a R$ 1.266,98/tonelada. Em Santa Catarina, a média foi 9,1% maior, com o trigo a R$ 1.150,19/tonelada.

DERIVADOS – No comparativo com a média de abril, as cotações de todas as farinhas seguiram firmes em maio. A sustentação dos preços foi consequência da diminuição dos negócios realizados e da baixa oferta de trigo em grão, fatores que reduziram a liquidez nesta cadeia produtiva. Houve relatos de parada industrial no Sul do País, no intuito de conter a covid-19 e também de resguardar os estoques de trigo até a próxima safra. Em relação aos farelos, a demanda permaneceu aquecida em maio, e a expectativa é de um aumento ainda maior nas próximas semanas, devido à aproximação do inverno. Em maio, as cotações das farinhas destinadas à panificação, bolacha salgada, pré-mistura, massas em geral, bolacha doce, massas frescas e integral subiram 6,46%, 4,93%, 4,86%, 4,60%, 4,51%, 3,91% e 2,94%, respectivamente. Para os farelos, houve valorização de 9,93% para o a granel e de 5,64% para o ensacado.

PREÇOS INTERNACIONAIS – Considerando-se as médias de abril e de maio, os primeiros vencimentos do trigo Soft Red Winter, negociado na CME Group, e do Hard Red Winter, na Bolsa de Kansas, se desvalorizaram 4,8% e 2,8%, respectivamente, a US$ 5,1515/bushel (US$ 189,29/t) e a US$ 4,6640 /bushel (US$ 171,37/t) em maio. O relatório mensal do USDA para o mês de maio projetou alta na produção mundial da safra 2020/2021, impulsionada por importantes regiões exportadoras, com destaque para Argentina, Austrália, Canadá, Cazaquistão e Rússia. Em contrapartida, as produções dos Estados Unidos e da Ucrânia devem cair ligeiramente. A produção mundial está prevista em 768,5 milhões de toneladas – novo recorde –, com aumento de 0,5% frente ao ano anterior. O suprimento abundante por parte dos exportadores tende a gerar uma concorrência crescente por participação de mercado, apesar de a demanda também ser projetada para ser recorde.

Ainda conforme o USDA, o consumo deve crescer 0,47%, somando 748,4 milhões de toneladas. No geral, a demanda por ração deve cair 4,1%, a 137,5 milhões de toneladas, mas o consumo para alimentação, sementes e indústrias deve crescer 1,6%, para 610,9 milhões de toneladas. Mesmo assim, os estoques de passagem devem continuar aumentando. A relação estoque/consumo final deve passar para 41,4%, um recorde histórico. Já na Argentina, a maior fornecedora de trigo ao Brasil, a Bolsa de Cereais de Buenos Aires aponta que a semeadura da safra 2020/2021 foi iniciada, e a área estimada é de 6,8 milhões de hectares. Os preços FOB, divulgados pelo Ministério da Agroindústria, recuaram 1,8% de abril para maio, a US$ 239,78/tonelada.

Cepea

Artigos Relacionados

Últimos comentários

Adicionar comentário
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Discussão
Escrever uma resposta...
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.

Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos neste site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas neste site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos neste site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos neste site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.

English (USA) English (UK) English (India) English (Canada) English (Australia) English (South Africa) English (Philippines) English (Nigeria) Deutsch Español (España) Español (México) Français Italiano Nederlands Português (Portugal) Polski Русский Türkçe ‏العربية‏ Ελληνικά Svenska Suomi עברית 日本語 한국어 简体中文 繁體中文 Bahasa Indonesia Bahasa Melayu ไทย Tiếng Việt हिंदी
Sair
Tem certeza de que deseja sair?
NãoSim
CancelarSim
Salvando Alterações

+

Baixe o aplicativo do Investing.com

Receba gratuitamente cotações, gráficos e alertas em tempo real sobre ações, índices, moedas, commodities e títulos. Acesse gratuitamente as melhores análises e previsões técnicas.

Investing.com é melhor no App!

Mais conteúdo, cotações e gráficos mais rápidos e uma experiência melhor estão disponíveis apenas no aplicativo.