Aumentam Esforços para Criar o Dólar Digital, Mas Será que É uma Solução Viável?

Aumentam Esforços para Criar o Dólar Digital, Mas Será que É uma Solução Viável?

Investing.com  | 23.04.2020 10:20

A pandemia mundial de Covid-19 acirrou o debate em torno do lançamento de um “dólar digital”. Mas as prioridades muito mais prementes dos governos nacionais e de uma parcela significativa da comunidade científica neste momento tornam bastante improvável a concretização dessa ideia no futuro próximo.

Mas foram dados novos passos no sentido de adaptar a forma como a moeda de reserva mundial pode ser transferida aos contribuintes americanos e outros indivíduos.

Em março, o senador americano Sherrod Brown (D-OH) apresentou um projeto de lei chamado “Banco para Todos” à Comissão do Senado sobre Assuntos Bancários, Urbanos e Residenciais. O projeto de lei prevê que os bancos participantes, sejam eles federais ou estatais, bem como empresas fiduciárias que são membros de um dos bancos regionais do Federal Reserve (Fed), ofereçam carteiras digitais, mantidas pelo banco central americano, a indivíduos e organizações interessadas em receber diretamente os pagamentos do governo. Isso permitiria que os consumidores abrissem as chamadas “FedAccounts” em seus bancos locais.

Diante do grande estresse gerado pelo atual ambiente econômico, essa ação poderia garantir pagamentos seguros e rápidos a pessoas que necessitam urgentemente de iniciativas governamentais, como o pacote de resgate de US$ 2 bilhões aprovado no mês passado, assim como quaisquer programas de proteção futuros.

Dólar digital é ainda mais útil?

Mas, um dólar digital não seria ainda mais benéfico? Países como a China e a Suécia já começaram a trabalhar no desenvolvimento de versões digitais das suas próprias moedas fiduciárias. Um grupo de pessoas afiliadas à empresa de consultoria multinacional Accenture, em parceria com a Digital Dollar Foundation, acredita que essa iniciativa também seria útil nos EUA. Eles lançaram um projeto para desenvolver o que estão chamando de Moeda Digital do Banco Central dos EUA, também conhecido como “dólar digital”.

Em uma recente publicação do CoinDesk, um dos grupos de interesse da Fundação, o ex-presidente da Comissão de Negociação de Futuros de Commodities dos EUA, Christopher Giancarlo, declarou que “foram feitas propostas para a infraestrutura de pagamento eletrônico à vista do chamado ‘dólar digital’, a fim de distribuí-los diretamente aos consumidores”.

De acordo com a Fundação, sua iniciativa seria útil principalmente para as agências governamentais responsáveis por distribuir benefícios emergenciais a populações vulneráveis, especialmente àquelas pessoas sem acesso a serviços bancários. Eles citam, por exemplo, que a transmissão direta de dólares digitais para smartphones economizaria tempo. Segundo Giancarlo:

“Em uma pandemia em que o vírus [também] é transmitido por transações em dinheiro e moedas de metal, o dólar digital ofereceria uma forma mais conveniente e segura de adquirir alimentos e artigos essenciais.”

Não por acaso, os defensores do criptoespaço consideram que esse movimento é positivo para toda a classe de ativos. Ankit Bhatia, CEO da Sapien Network, acredita que se trata de um fantástico primeiro passo, capaz de fomentar a aprovação regulatória e a adaptação das criptomoedas.

“Isso seria excelente para todo o criptoespaço, pois os comerciantes provavelmente aceitariam como forma de pagamento esses ‘dólares digitais’, muito provavelmente reduzindo a necessidade de dinheiro físico e de bancos privados. Com o registro bancário das transações em dólares digitais, é muito mais difícil haver contravenções, evitando que as pessoas sejam enganadas com dinheiro falso."

Outros especialistas, no entanto, não estão tão convencidos. Cyril Alvarez, diretor de blockchain da 2gether, alerta que, no longo prazo, os dólares digitais poderiam ter alguma repercussão em criptomoedas concorrentes que já estão lastreadas em dólares americanos.

“Isso poderia ter um profundo impacto em moedas estáveis, como Tether e DAI, já que teriam um concorrente direto, lastreado pelo governo dos EUA. A ação poderia inclusive proibir quaisquer stablecoins não nacionais”.

A real questão, observa Alvarez, é o que vai acontecer com as moedas nacionais daqui a 10 ou 20 anos, se as moedas estáveis descentralizadas se tornarem amplamente aceitas e utilizadas. Como os governos poderiam, por exemplo, aplicar sanções contra uma agente estatal ou não estatal sem o controle das chaves privadas? Além disso, o que uma versão digital significaria para a posição do USD como moeda de reserva mundial?

Embora Alvarez não tenha respostas prontas, também acredita que o lançamento de um "dólar digital” está no horizonte:

“Existem muitas questões complexas que ainda precisam de uma resposta, de forma que considero improvável um movimento como esse nos próximos cinco anos.”

Investing.com

Artigos Relacionados

Últimos comentários

Adicionar comentário
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Carlos Monteiro
Carlos Monteiro

Ué, mas já não existe o dolar digital?  ... (Leia Mais)

24.04.2020 03:38 GMT· Responder
Discussão
Escrever uma resposta...
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.

Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos neste site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas neste site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos neste site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos neste site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.

English (USA) English (UK) English (India) English (Canada) English (Australia) English (South Africa) English (Philippines) English (Nigeria) Deutsch Español (España) Español (México) Français Italiano Nederlands Português (Portugal) Polski Русский Türkçe ‏العربية‏ Ελληνικά Svenska Suomi עברית 日本語 한국어 简体中文 繁體中文 Bahasa Indonesia Bahasa Melayu ไทย Tiếng Việt हिंदी
Sair
Tem certeza de que deseja sair?
NãoSim
CancelarSim
Salvando Alterações

+

Baixe o aplicativo do Investing.com

Receba gratuitamente cotações, gráficos e alertas em tempo real sobre ações, índices, moedas, commodities e títulos. Acesse gratuitamente as melhores análises e previsões técnicas.

Investing.com é melhor no App!

Mais conteúdo, cotações e gráficos mais rápidos e uma experiência melhor estão disponíveis apenas no aplicativo.