Será que os Ursos Levarão o Petróleo Abaixo de US$ 35?

Será que os Ursos Levarão o Petróleo Abaixo de US$ 35?

Investing.com  | 09.09.2020 16:26

Até mesmo os ursos do petróleo podem ter sido surpreendidos pela queda nos preços da commodity ontem. A queda, quando finalmente chegou, foi em tamanha velocidade que os investidores que tentaram, sem sucesso, vender a descoberto no mercado desde a recuperação do preço do petróleo em maio provavelmente ficaram um pouco pasmos.

Os investidores com uma visão conservadora do petróleo, em meio à pior pandemia da história e um mercado de combustível de aviação que permanece em ruínas, podem ter achado o petróleo mais aceitável em US$ 35 - US$ 40 por barril em vez de US$ 40 a US$ 45.

O comportamento do mercado de petróleo nos últimos quatro meses foi obscurecido pela euforia, em vez de estatísticas convincentes sobre o impacto das reaberturas de negócios após os bloqueios para o combate à Covid-19 em março deste ano.WTI Diário

A imagem foi ainda mais distorcida pela queda de 38 milhões de barris de petróleo em um período de seis semanas por refinarias dos EUA que pareciam estar operando a todo vapor no verão local, sem reconhecer que as restrições do combate à pandemia estavam alterando significativamente o comportamento dos consumidores.

Uma morna recuperação de empregos nos EUA desde julho - apesar de o desemprego ter retornado a um único dígito - e um dólar ressurgente se somaram e às desgraças das commodities e ao petróleo limitado a US$ 40.

As rodas finalmente saíram do mercado na semana passada, quando o chefão da Opep, a Arábia Saudita, cortou o preço de venda de seu petróleo ostensivamente para preservar ou ampliar sua participação no mercado. A ação saudita veio semanas depois que a aliança global de produtores da Opep, chamada Opep+, disse que estava reduzindo os cortes de produção observados desde maio.

Essas ações nefastas foram seguidas pelas refinarias dos EUA, reduzindo sua utilização de petróleo bruto em 5% em apenas uma semana, quando a temporada de pico do verão local chegou ao fim. O retorno do Índice Dólar à sua alta de 93 e a derrota das ações em Wall Street completaram uma tempestade perfeita para as compras de petróleo bruto.

A questão, porém, é: a liquidação se esgotou? E, se não, quão baixo poderia ir?

Nas negociações asiáticas de quarta-feira, o benchmark do petróleo dos EUA West Texas Intermediate se agarrou à mínima de 12 semanas de US$ 36,13, atingida na sessão anterior. Com os analistas esperando que dados da indústria e do governo nos próximos dois dias mostrem outro milhão de barris em extrações de petróleo bruto para a semana passada, o WTI pode de fato estar à beira de uma recuperação.

Mas o analista de petróleo James Hyerczyk disse em um post na FXEmpire que a faixa principal do WTI era ampla, entre US$ 23,26 e US$ 43,78.

Preço-Alvo Principal de Downside do WTI: US$ 31,10

A retirada de terça-feira dos principais fundos de US$ 39 e US$ 37,56 desencadeou stop-loss que ajudaram a acelerar a pressão negativa. Se o momento de baixa parecia testar o fundo em 12 de junho de US$ 35,25, ele será seguido por uma violação potencial do fundo de 28 de maio de US$ 32,66, escreveu Hyerczyk.

Ele adiciona:

 

“A faixa principal é de US$ 23,26 a US$ 43,78. Sua zona de retração de US$ 33,52 a US$ 31,10 é o principal alvo de desvantagem e área de valor. Representa de 50% a 61,8% de todo o rali de abril a agosto, portanto, uma retração nesta área ofereceria uma grande oportunidade para novos compradores entrarem no mercado em antecipação a uma eventual recuperação da economia global.”

 

Mas, se o WTI se sair melhor, ele pode manter sua faixa de curto prazo de US$ 32,66 a US$ 43,78.

Hyerczyk observou que, na terça-feira, o mercado ultrapassou sua zona de retração em US$ 38,22 a US$ 36,91. “A reação do investidor a esta zona deve determinar o próximo movimento de curto prazo.”

'Velas diminuindo' do WTI, mais desvantagens podem surgir

Rajan Dhall, outro analista técnico de petróleo bruto, disse que as ações do WTI certamente sugeriram mais desvantagens por vir. Dahll escreveu em um post na FX Street:

 

“Desde o rompimento da média móvel simples de 55, houve um forte movimento inferior, passando de US$ 40 por barril, para chegar a uma mínima de US$ 36,43 por barril. As velas estavam diminuindo de tamanho levando à liquidação, o que sugere que a corrida de alta estava perdendo o fôlego. Dito isso, a ação de preço sem brilho durou mais do que alguns esperavam.”

 

Dhall acrescentou que o Índice de Força Relativa do petróleo dos EUA foi estendido na área de sobrevenda e o histograma de Divergência de Convergência de Média Móvel estava no vermelho, com linhas de sinal cruzadas abaixo do nível médio.

 

“O foco principal agora será se o preço pode parar no nível de Fibonacci de 38,2%, que conflui com uma antiga zona de resistência de abril”, escreveu ele. “O nível foi usado algumas vezes além dessa, então pode ser significativo no futuro enquanto o preço despenca.”

 

Brent em Contango, sugerindo que o excesso de oferta pode retornar

Analistas da Bloomberg observaram que o spread de três meses do Brent negociado em Londres estava se aproximando do maior contango - uma situação em que o preço futuro estaria acima do preço à vista futuro esperado.

Essa foi uma indicação de que os temores de excesso de oferta podem voltar a assombrar o mercado, de acordo com a Bloomberg.

O Brent perdeu 5,6% na semana passada e fechou em queda de US$ 2,23 na sessão de terça-feira, ou 5,3%, em US$ 39,78, após uma mínima da sessão em US$ 39,31. Nas negociações asiáticas de quarta-feira, ele pairava em US$ 39,70.

A agência de classificação Fitch, por sua vez, elevou sua previsão para 2020 para o Brent, enquanto reduziu as projeções para 2022 para o benchmark global de petróleo.

A Fitch disse que prevê uma média de US$ 41 por barril para o Brent em 2020, ante sua previsão de junho de US$ 35 por barril. Ela revisou a previsão de preço de 2022 para US$ 50 dos US$ 53 anteriores.

Investing.com

Artigos Relacionados

Últimos comentários

Adicionar comentário
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
José Carlos da Silva
José Carlos da Silva

Será Barani!  ... (Leia Mais)

10.09.2020 13:03 GMT· Responder
Cleber Neves
Cleber Neves

Nao sei vcs, mas eu gosto de combustivel barato. a questao é: o barril a 10 dolares a gasolina cai pra 2,50 ou sobe pra 7?   ... (Leia Mais)

10.09.2020 12:21 GMT· Responder
Marcos Souza
Marcos Souza

quabdo chegar aos 35 agente conversa.  ... (Leia Mais)

10.09.2020 00:00 GMT· Responder
Christian Aquino
Christian Aquino

Agora ainda tem que aprovar o comentario aff   ... (Leia Mais)

09.09.2020 22:54 GMT· Responder
Christian Aquino
Christian Aquino

Ja está ficando muito parecido com o grupo de emissoras Rede Globo sempre com informaçoes negativas parabéns  ... (Leia Mais)

09.09.2020 22:53 GMT· Responder
Senhor Bulboss
Senhor Bulboss

Respondendo ao questionamento de forma objetiva: Não levarão.  ... (Leia Mais)

09.09.2020 21:28 GMT· 2 · Responder
Discussão
Escrever uma resposta...
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.

Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos neste site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas neste site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos neste site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos neste site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.

English (USA) English (UK) English (India) English (Canada) English (Australia) English (South Africa) English (Philippines) English (Nigeria) Deutsch Español (España) Español (México) Français Italiano Nederlands Português (Portugal) Polski Русский Türkçe ‏العربية‏ Ελληνικά Svenska Suomi עברית 日本語 한국어 简体中文 繁體中文 Bahasa Indonesia Bahasa Melayu ไทย Tiếng Việt हिंदी
Sair
Tem certeza de que deseja sair?
NãoSim
CancelarSim
Salvando Alterações

+

Baixe o aplicativo do Investing.com

Receba gratuitamente cotações, gráficos e alertas em tempo real sobre ações, índices, moedas, commodities e títulos. Acesse gratuitamente as melhores análises e previsões técnicas.

Investing.com é melhor no App!

Mais conteúdo, cotações e gráficos mais rápidos e uma experiência melhor estão disponíveis apenas no aplicativo.