Fique por dentro de 5 principais notícias do mercado desta segunda-feira

Fique por dentro de 5 principais notícias do mercado desta segunda-feira

Investing.com  | 19.06.2017 06:55

Fique por dentro das 5 principais notícias de hoje sobre os mercados financeiros

Fique por dentro das 5 principais notícias de hoje sobre os mercados financeiros

Investing.com - Confira as cinco principais notícias desta segunda-feira, 19 de junho, sobre os mercados financeiros:

1. Grã-Bretanha e União Europeia iniciam diálogos sobre o Brexit

David Davis, ministro do Brexit da Grã-Bretanha, e Michel Barnier, principal negociador da União Europeia, devem iniciar as negociações sobre a saída do Reino Unido do Bloco nesta segunda-feira em Bruxelas, dando início ao processo de dois anos de divórcio, previsto para acabar em março de 2019.

As discussões acontecem menos de duas semanas após Theresa May e seu Partido Conservador terem perdido sua maioria absoluta no parlamento. Lutando por sua sobrevivência política, May tenta chegar a um acordo com o Partido Unionista Democrático, um pequeno partido protestante da Irlanda do Norte.

A libra esterlina britânica subia 0,2% frente ao dólar, sendo negociada a 1,2806 na manhã de Nova York (GBP/USD).

A moeda não se alterou muito com as notícias de que uma van avançou sobre fiéis que deixavam uma mesquita em Londres nesta segunda-feira, matando ao menos uma pessoa e deixando vários feridos, o que tem sido tratado como um aparente ataque terrorista.

2. Dudley inicia semana cheia de discursos de membros do Fed

William Dudley, dirigente do Fed de Nova York e considerado um aliado próximo à presidente nacional da instituição, Janet Yellen, iniciará uma semana cheia de discursos de membros do Fed nesta segunda-feira ao falar para líderes de empresas e da comunidade em Plattsburgh, Nova York, às 09h (horário de Brasília).

Ainda durante o dia, Charles Evans, presidente do Fed de Chicago, fará discurso sobre as condições econômicas atuais e política monetária em um evento na cidade de Nova York.

Eles serão os primeiros de uma série de membros do Fed com aparições públicas marcadas para esta semana, incluindo o vice-presidente nacional da instituição, Stanley Fischer, e o dirigente Jerome Powell.

Na semana passada, o Fed aumentou os juros conforme amplamente esperado e manteve os planos de realizar outro aumento dos juros até o fim do ano. O banco central também forneceu mais detalhes sobre como planeja reduzir seu balanço patrimonial de US$ 4,5 trilhões.

Apesar da mensagem relativamente enérgica do Fed, agentes do mercado permaneciam em dúvida sobre a habilidade do Fed elevar as taxas tanto quanto gostaria antes do fim do ano devido a uma série de dados econômicos decepcionantes dos EUA.

Operadores de futuros apostam em cerca de 15% de chances de aumento da taxa de juros na reunião do Fed em setembro, de acordo com o Monitor da Taxa da Reserva Federal do Investing.com. Apostas de um aumento em dezembro são vistas em torno de 35% de chances.

O índice dólar, que mede a força da moeda frente a uma cesta ponderada de seis principais divisas, estava pouco alterado em 96,87.

3. Macron obtém maioria parlamentar

Nesta segunda-feira, o governo de Emmanuel Macron, presidente francês, prometia renovar a política na França pois o resultado final mostrava que ele havia obtido a maioria parlamentar dominante que ele queria para que fossem aprovadas suas reformas de longo alcance e favoráveis ao crescimento.

O partido centrista A República em Marcha (LREM) de Macron e seu aliado Modem, de centro-direita, obtiveram 350 dos 577 assentos da câmara. Os resultados surgiram após uma eleição com menor nível de comparecimento em pleito parlamentar na Quinta República.

O euro permanecia estável frente ao dólar em 1,1195, ao passo que as bolsas francesas saltavam 1% e estavam na direção de seu maior aumento desde 5 de maio.

4. Bolsas do mundo em alta

Bolsas de valores de todo o mundo estavam majoritariamente em alta nesta segunda-feira, já que investidores voltavam suas atenções para eventos políticos por toda a Europa enquanto aguardam comentários de importante membro do Federal Reserve.

Em Wall Street, o índice de tecnologia de futuros do Nasdaq 100 apontava para um ganho de 36 pontos, ou cerca de 0,6%, na abertura, o índice blue chip futuros do Dow subia 66 pontos, ou cerca de 0,3%, ao passo que os futuros do S&P 500 avançavam 7 pontos, ou cerca de 0,3%.

Na Europa, as bolsas subiam de forma geral, com o DAX da Alemanha e o FTSE do Reino Unido mantendo-se firmes no azul nas negociações durante a metade da manhã, sustentados por ações de bancos e de varejistas.

Mais cedo, bolsas asiáticas encerraram em território positivo, com o Nikkei do Japão voltando a ficar acima do nível de 20.000 pontos.

5. Petróleo sobe após perdas da última semana

Preços do petróleo se recuperavam das perdas da última semana nesta segunda-feira, mas os ganhos foram limitados pois o mercado avaliava os esforços contínuos de grandes produtores para cortar a produção e reduzir o excesso global frente ao incansável aumento da atividade de extração nos EUA.

O petróleo dos EUA tinha o barril negociado a US$ 45,13, uma alta de US$ 0,16 ou cerca de 0,4%, enquanto o petróleo Brent avançava US$ 0,20 para US$ 47,57.

Na semana passada, o WTI perdeu US$ 1,13, ou cerca de 2,4%, enquanto o Brent perdeu US$ 0,78, ou cerca de 1,6%. Ambos agora registram perdas por quatro semanas seguidas, o que marca a maior sequência de perdas semanais desde agosto de 2015 para o WTI.

Exploradores de petróleo nos EUA aumentaram o número de sondas pela 22ª semana seguida, conforme dados da Baker Hughes, prestadora de serviços de energia, divulgados na sexta-feira, o que significa que ganhos adicionais na produção doméstica estão a caminho.

O aumento da atividade de extração nos EUA e da produção de shale oil tem neutralizado em grande parte os esforços da OPEP e de outros produtores de cortar a produção em uma ação para apoiar o mercado.

Relacionadas

Últimos comentários

Adicionar comentário
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Discussão
Escrever uma resposta...
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.

"Fusion Media ou qualquer pessoa envolvida com a Fusion Media não aceitará qualquer responsabilidade por perdas e/ou danos resultantes do uso de informações contidas neste site, sendo esta na forma de dados, cotações, gráficos e sinais de compra/venda. Por favor, tenha consciência dos riscos e custos referentes à negociação em mercados financeiros, pois este é um dos tipos de investimento mais arriscados que há.
Fusion Media gostaria de lembrar-lhe que os dados contidos neste site não são necessariamente atualizados em tempo real ou precisos. Os preços, índices, futuros e cotações de câmbio são indicativos, sendo assim inapropriados para uso em trading; além disso, os mesmos não são providos por bolsas de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser precisos e podem diferir do preço de mercado. A Fusion Media não aceita nenhuma responsabilidade por quaisquer perdas em negociações que você sofrer como resultado do uso destes dados. A versão em inglês deste contrato é a versão principal, que deverá prevalecer sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
"

English (USA) English (UK) English (India) English (Canada) English (Australia) English (South Africa) Deutsch Español (España) Español (México) Français Italiano Nederlands Português (Portugal) Polski Русский Türkçe ‏العربية‏ Ελληνικά Svenska Suomi עברית 日本語 한국어 中文 香港 Indonesia Malaysia Thailand Vietnam
Sair
Tem certeza de que deseja sair?
NãoSim
CancelarSim
Salvando Alterações

+