Argentina não pode pagar nas atuais condições e deve renegociar com o FMI, diz candidato opositor

Argentina não pode pagar nas atuais condições e deve renegociar com o FMI, diz candidato opositor

Reuters  | 18.08.2019 14:11

Argentina não pode pagar nas atuais condições e deve renegociar com o FMI, diz candidato opositor

BUENOS AIRES (Reuters) - O candidato de oposição à Presidência da Argentina, Alberto Fernández, disse que o país nas atuais condições não pode pagar a sua dívida e que está disposto a participar de uma renegociação com o Fundo Monetário Internacional (FMI), segundo entrevista publicada neste domingo pelo jornal argentino Clarín.

"Eu diria que há uma só realidade indiscutível, e é que a Argentina nestas condições não está podendo pagar as obrigações que assumiu”, declarou Fernández, grande favorito para vencer as eleições de outubro.

“Eu não tenho problema em ajudar o presidente (Mauricio Macri) a renegociar no sentido que eu proponho, mas teria muito problema em ter que ir explicar ao Fundo o que não foi cumprido pelo presidente. Foi isso que expliquei ao presidente”, completou.

A Argentina fechou em 2018 um acordo stand-by com o FMI de 57 bilhões de dólares, no qual o país se comprometeu a um forte ajuste fiscal, que, segundo Fernández, foi um acordo muito “nocivo”.

Fernández, que há uma semana conseguiu ampla vantagem sobre Macri em eleições primárias, afirmou que sem o acordo o país teria cessado pagamentos.

"Temos que entender que estamos praticamente em condições de default, e por isso os bônus argentinos valem o que valem, porque o mundo vê que não é possível pagar. É necessário agir com sensatez, e sensatez é que a Argentina deve cumprir as suas obrigações”, afirmou Fernández, que enfrenta Macri nas eleições gerais de outubro.

Em outra entrevista, Fernández negou que, se eleito, vai fechar a economia. O presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, disse que o Brasil poderia abandonar o Mercosul se surgirem problemas com a Argentina no caso de uma vitória da oposição.

"Se Bolsonaro pensa que vou fechar a economia, e que então o Brasil vai sair do Mercosul, ele pode ficar tranquilo, porque não penso em fechar a economia. É uma discussão boba”, afirmou ele ao jornal La Nación.

Os mercados argentinos entraram em colapso nesta semana depois que Fernández, que tem como vice-presidente da sua chapa a ex-mandatária de centro-esquerda Cristina Fernández de Kirchner, teve 15 pontos percentuais de vantagem sobre Macri nas primárias, o que poderia indicar um triunfo no primeiro turno.

O peso se desvalorizou em 17,58% na semana, com um dólar valendo 55 pesos na sexta-feira, apesar da intervenção do banco central.

Fernández, que durante a campanha disse que o dólar estava sendo sustentado a um valor “fictício”, pediu que Macri siga as recomendações do banco central e cuide das reservas internacionais.

"Se na segunda tivessem posto todas as reservas do país, não tinham parado o preço do dólar”, acrescentou.

Fernández, ex-chefe de gabinete do governo de Néstor Kirchner (2003-2007) e de parte do governo de Cristina Fernández, disse que, segundo os seus cálculos, com um dólar a 57 pesos, a inflação fecharia o ano em mais de 50 por cento.

"Se eu termino o mandato e tenho uma inflação de um dígito eu vou estar muito contente. São quatro anos de muito esforço”, declarou.

(Reportagem de Eliana Raszewski)

Relacionadas

Últimos comentários

Adicionar comentário
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Pedro Quedevez
Pedro Quedevez

calote . 100%, o populismo não tem compromisso. similar ao Brasil, faz uma farra nós primeiros anos e depois quebra tudo.   ... (Leia Mais)

20.08.2019 12:09 GMT· Responder
Pedro Quedevez
Pedro Quedevez

calote . 100%, o populismo não tem compromisso. similar ao Brasil, faz uma farra nós primeiros anos e depois quebra tudo.   ... (Leia Mais)

20.08.2019 12:09 GMT· Responder
Fabio Piloto
Fabio Piloto

Anunciou que a Argentina dará calote na dívida e que não fará ajustes fiscais, ou seja, a irresponsabilidade econômica populista será o fim...  ... (Leia Mais)

19.08.2019 04:04 GMT· Responder
Antônio Magalhães
Antônio Magalhães

A próxima pesquisa de intenções de votos nas próximas eleições argentinas já trará inversão de dados.  ... (Leia Mais)

18.08.2019 17:32 GMT· Responder
Discussão
Escrever uma resposta...
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.

Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos neste site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas neste site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos neste site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos neste site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.

English (USA) English (UK) English (India) English (Canada) English (Australia) English (South Africa) English (Philippines) English (Nigeria) Deutsch Español (España) Español (México) Français Italiano Nederlands Português (Portugal) Polski Русский Türkçe ‏العربية‏ Ελληνικά Svenska Suomi עברית 日本語 한국어 中文 香港 Bahasa Indonesia Bahasa Melayu ไทย Tiếng Việt हिंदी
Sair
Tem certeza de que deseja sair?
NãoSim
CancelarSim
Salvando Alterações

+