China retira menção a meta para PIB em abertura do Parlamento

China retira menção a meta para PIB em abertura do Parlamento

Reuters  | 22.05.2020 09:05

China retira menção a meta para PIB em abertura do Parlamento

Por Kevin Yao e Judy Hua

PEQUIM (Reuters) - A China desistiu de sua meta de crescimento anual pela primeira vez nesta sexta-feira e prometeu mais gastos do governo conforme a pandemia de coronavírus afeta a segunda maior economia do mundo, adotando um tom sombrio para a reunião do Parlamento deste ano.

A omissão no relatório de trabalho do primeiro-ministro Li Keqiang marca a primeira vez que a China não determina uma meta para o Produto Interno Bruto desde que o governo começou a publicá-las em 1990.

A economia encolheu 6,8% no primeiro trimestre, primeira contração em décadas, afetada pelo surto do novo coronavírus que começou na cidade central chinesa de Wuhan.

"Não determinamos uma meta específica para o crescimento no ano, principalmente por causa da situação global da epidemia e a situação econômica e comércio é muito incerta, e o desenvolvimento da China enfrenta alguns fatores imprevisíveis", disse Li na abertura do Parlamento.

O consumo doméstico, os investimentos e as exportações estão caindo, e a pressão sobre o emprego aumenta de forma significativa, enquanto os riscos financeiros estão aumentando, alertou ele.

A China determinou o objetivo de criar mais de 9 milhões de empregos urbanos este ano, de acordo com o relatório de Li, contra meta de ao menos 11 milhões em 2019 e a mais baixa desde 2013.

Antes do Congresso Nacional do Povo, reunião de uma semana do Parlamento, os líderes chineses prometeram ampliar o estímulo para impulsionar a economia em meio a crescentes preocupações de que as perdas de empregos poderiam ameaçar a estabilidade social.

Pequim também está planejando uma legislação de segurança para Hong Kong, que, segundo Li, fornecerá um sistema jurídico "sólido" e mecanismos de aplicação, mas que, segundo os críticos, poderia reduzir a autonomia da cidade.

ESTÍMULO MONETÁRIO OU FISCAL

A China busca um déficit orçamentário em 2020 de ao menos 3,6% do PIB, contra 2,8% no ano passado.

O governo emitirá 1 trilhão de iuanes em títulos especiais do Tesouro este ano, a primeira emissão desse tipo. A China vai transferir 2 trilhões de iuanes arrecadados do maior déficit orçamentário para 2020 e títulos especiais do Tesouro anticoronavírus para os governos locais, disse Li.

Títulos dos governo locais poderiam ser usados para financiar projetos de infraestrutura, enquanto títulos especiais do Tesouro poderiam ser usados para apoiar empresas e regiões atingidas pelo surto.

O estímulo fiscal no relatório de Li é equivalente a cerca de 4,1% do PIB da China, segundo cálculos da Reuters com base nas medidas fiscais anunciadas.

© Reuters. Trabalhadores usando máscara em local de construção de Pequim

"O orçamento anual aponta para estímulos fiscais este ano, pelo menos em pé de igualdade com os da crise financeira global", escreveu Julian Evans-Pritchard, economista sênior da Capital Economics na China.

A política monetária será mais flexível, disse Li, acrescentando que o crescimento no M2 -- um amplo indicador de oferta de moeda -- e o financiamento social total serão significativamente maiores este ano.

O Banco do Povo da China guiará para baixo sua taxa básica de juros, disse ele. O banco cortou a Taxa Primária de Empréstimo (LPR) em 46 pontos-base desde agosto de 2019.

Relacionadas

Últimos comentários

Adicionar comentário
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Augusto Moser
Augusto Moser

Fácil resolver o problema do crescimento, é só "abolir" a meta... hahah BELA SOLUÇÃO COMUNISTA. HK já era pelo jeito...  ... (Leia Mais)

22.05.2020 15:16 GMT· Responder
Carlos Queiroz
Carlos Queiroz

Os caras propõem "guerra" entre eles, USA X CHINA, e o resto do mundo que se ferra.  ... (Leia Mais)

22.05.2020 11:52 GMT· 1 · Responder
DigitalFx Investing
DigitalFx Investing

Sexta feira da maldade !! Loss a vista kkkkkk  ... (Leia Mais)

22.05.2020 11:29 GMT· Responder
Daniel Cunha
Daniel Cunha

Hoje é bolsa em baixa, sexta-feira, Sao Paulo esta de feriadão forçado, a bolsa de Xangai fechou em super baixa de -5% que é uma queda abrupta, msm com o corona virus solto, a bolsa n caia tanto desde 2015, se analisar as outras bolsas de forma geral estão todas em queda. Ontem nossa bolsa deunuma subida boa, batendo a casa dos 83 mil pontos, hoje acredito que voltaremos a casa dos 80 mil,79 mil, caindo de 2 a 3%.uma Boa sexta a todos nós, e hoje é dia de cautela, de observar e fazer boas operações  ... (Leia Mais)

22.05.2020 10:56 GMT· Responder
Hugo Leonardo Nardes
Hugo Leonardo Nardes

Ontem, a Goldman Sachs falo que o Brasil ia sair da crise tranquilo e analistas recomendavam a PETR4. Hoje, já é o apocalipse zumbi, com a China implodido o planeta e o petróleo caindo. Vai entender!!!   ... (Leia Mais)

22.05.2020 10:54 GMT· Responder
Tobias Bundchen
Tobias Bundchen

Noticia pra chinês dar risada. Obvio que a china ira crescer...estao colocando essa informacao em sigilo para nao criar mal estar maior no mundo !!!  ... (Leia Mais)

22.05.2020 10:50 GMT· Responder
Glauco Endo
Glauco Endo

Hoje sexta negra hold!!!!  ... (Leia Mais)

22.05.2020 10:50 GMT· Responder
Discussão
Escrever uma resposta...
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.

Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos neste site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas neste site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos neste site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos neste site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.

English (USA) English (UK) English (India) English (Canada) English (Australia) English (South Africa) English (Philippines) English (Nigeria) Deutsch Español (España) Español (México) Français Italiano Nederlands Português (Portugal) Polski Русский Türkçe ‏العربية‏ Ελληνικά Svenska Suomi עברית 日本語 한국어 简体中文 繁體中文 Bahasa Indonesia Bahasa Melayu ไทย Tiếng Việt हिंदी
Sair
Tem certeza de que deseja sair?
NãoSim
CancelarSim
Salvando Alterações

+

Baixe o App

Mais informações sobre o mercado, mais alertas, mais opções de personalizar seus ativos em sua carteira, apenas pelo App

Investing.com é melhor no App!

Mais conteúdo, cotações e gráficos mais rápidos e uma experiência melhor estão disponíveis apenas no aplicativo.