RS, GO e MG não devem entrar no regime de recuperação fiscal em 2019, sinaliza Mansueto

RS, GO e MG não devem entrar no regime de recuperação fiscal em 2019, sinaliza Mansueto

Reuters  | 28.11.2019 18:01

RS, GO e MG não devem entrar no regime de recuperação fiscal em 2019, sinaliza Mansueto

BRASÍLIA (Reuters) - Os Estados do Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Goiás não devem entrar no regime de recuperação fiscal (RRF) neste ano apesar do interesse dos entes em fazê-lo, sinalizou nesta quinta-feira o secretário do Tesouro, Mansueto Almeida.

Em coletiva de imprensa, Mansueto reconheceu que havia no início do ano a expectativa de ingresso dos três entes no RRF, que tem como benefício a suspensão por três anos do pagamento das dívidas junto à União em troca da adoção de medidas de ajuste fiscal.

"Isso não aconteceu, possivelmente estamos alocando isso para o próximo ano", afirmou o secretário.

Em relatório sobre o desempenho das contas públicas em outubro, o próprio Tesouro apontou que "o atraso da assinatura do ingresso de novos Estados no regime de recuperação fiscal" será um dos fatores que contribuirá para um resultado primário melhor que a meta do setor público consolidado.

Hoje, apenas o Rio de Janeiro está no regime.

Mansueto afirmou que o Rio Grande do Sul está "muito avançado" no processo de adesão ao RRF. Um dos empecilhos, contudo, é que pelos critérios contábeis adotados pelo próprio Estado, ele não estaria em desequilíbrio fiscal.

Para entrar no regime, é necessário que a receita corrente líquida (RCL) anual do Estado seja menor do que a dívida consolidada ao final do último exercício, que a soma das suas despesas com pessoal, juros e amortizações seja igual ou maior que 70% da RCL e que o valor total de obrigações seja superior às disponibilidades de caixa.

Mansueto afirmou ainda que Minas Gerais tem que aprovar mudanças em assembleia para efetivar sua entrada e que Goiás ainda tem que apresentar seu plano para entrar no RRF.

LIBERAÇÃO DE RECURSOS

Mansueto também enfatizou que o governo irá fazer grande liberação de recursos na sexta-feira e alguns ministérios serão contemplados com mais do que o limite de empenho previsto no Orçamento, abrindo caminho para o pagamento dos chamados restos a pagar --despesas empenhadas e não pagas em anos anteriores.

Isso virá após o governo ter anunciado mais cedo neste mês o total descontigenciamento do Orçamento de 2019, possibilitado por receitas levantadas com leilões de petróleo, com destaque para o certame da cessão onerosa.

Para efetivar esse descontingenciamento e especificá-lo por pastas, o governo precisa editar um decreto, o que fará na sexta-feira.

"Amanhã deve sair o decreto de programação financeira e vai ter uma liberação bastante robusta, uma liberação substancial. A ampliação de limite de pagamentos, em alguns casos, vai ser superior ao que alguns ministérios têm de orçamento. Quando a gente faz isso, lembrem-se que é para pagar restos a pagar", afirmou Mansueto.

"Então esperamos que no mês de dezembro tenhamos um pagamento de restos a pagar bastante expressivo em alguns ministérios", acrescentou ele.

Segundo Mansueto, parte grande da expansão do limite de pagamento será para o Ministério de Minas e Energia, para pagamento a Petrobras (SA:PETR4) no âmbito da renegociação do contrato de cessão onerosa. Outros ministérios beneficiados serão da Defesa e do Desenvolvimento Regional.

Mansueto também destacou que, por decreto editado pelo governo anterior, haverá um volume expressivo de restos a pagar a ser cancelado, na casa de 17 bilhões de reais, referentes a saldo inscrito até dezembro de 2016.

(Por Marcela Ayres, com reportagem adicional de Gabriel Ponte)

Relacionadas

Últimos comentários

Adicionar comentário
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Discussão
Escrever uma resposta...
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.

Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos neste site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas neste site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos neste site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos neste site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.

English (USA) English (UK) English (India) English (Canada) English (Australia) English (South Africa) English (Philippines) English (Nigeria) Deutsch Español (España) Español (México) Français Italiano Nederlands Português (Portugal) Polski Русский Türkçe ‏العربية‏ Ελληνικά Svenska Suomi עברית 日本語 한국어 简体中文 繁體中文 Bahasa Indonesia Bahasa Melayu ไทย Tiếng Việt हिंदी
Sair
Tem certeza de que deseja sair?
NãoSim
CancelarSim
Salvando Alterações

+

Baixe o aplicativo do Investing.com

Receba gratuitamente cotações, gráficos e alertas em tempo real sobre ações, índices, moedas, commodities e títulos. Acesse gratuitamente as melhores análises e previsões técnicas.

Investing.com é melhor no App!

Mais conteúdo, cotações e gráficos mais rápidos e uma experiência melhor estão disponíveis apenas no aplicativo.

';