Dólar tem maior queda em dois anos e meio com exterior e BC

Dólar tem maior queda em dois anos e meio com exterior e BC

Reuters  | 12.01.2021 17:40

Dólar tem maior queda em dois anos e meio com exterior e BC

Por José de Castro

SÃO PAULO (Reuters) - Um forte movimento de realização de lucros ditado pelo exterior levou o dólar à maior queda em dois anos e meio nesta terça-feira, com a moeda devolvendo em apenas um dia mais da metade do ganho acumulado nas primeiras sessões de 2021 e também repercutindo falas de um diretor do Banco Central.

O dólar à vista caiu 3,32%, a 5,3208 reais na venda, na maior baixa percentual diária desde 8 de junho de 2018 (-5,59%). Ao longo da jornada, a cotação oscilou entre 5,4948 reais (-0,15%) e 5,3192 reais (-3,35%).

O real liderou, com folga, os ganhos entre as principais moedas globais, depois de encabeçar as perdas nas últimas sessões. A moeda brasileira era seguida no dia por rublo russo (+1,9%), rand sul-africano (+1,8%), peso mexicano (+1,3%) e dólar australiano (+1%) --divisas de risco e que, portanto, se beneficiam de expectativas de crescimento econômico.

Luciano Rostagno, estrategista-chefe do banco Mizuho, considerou que a maior parte da baixa do dólar nesta sessão veio do exterior, onde a moeda caía de forma generalizada depois de um rali nos primeiros dias do ano. "Existe a perspectiva de mais estímulo global e isso é positivo para mercados e ativos emergentes, como o real", disse.

Na véspera, o dólar havia saltado 1,60%, a 5,5033 reais na venda, maior nível desde 5 de novembro (5,5455 reais). A moeda vinha de alta de 6,01% no ano até segunda-feira, valorização reduzida a 2,49% aos preços desta terça.

O tombo do dólar se deu ainda em meio a declarações do diretor de Política Monetária do Banco Central, Bruno Serra.

Em live, o diretor afirmou que os juros de 2% não são para situações normais no Brasil e que é natural imaginar que o "estímulo extraordinário" que o BC está concedendo à economia via política monetária será retirado de cena em algum momento.

Os comentários vieram no dia em que o IBGE divulgou que a inflação medida pelo IPCA teve em 2020 a maior taxa em quatro anos, ficando acima da meta de 4%.

Uma das discussões no mercado é se o Banco Central poderia ser forçado a antecipar a normalização da política monetária, cujo início está previsto atualmente para agosto, com base em estimativas compiladas pela pesquisa Focus.

O mercado tem avaliado que parte da pressão sobre o real desde o ano passado decorre do baixo nível de juros, com a Selic na mínima histórica de 2% deixando a moeda brasileira como opção barata para hedge ou mesmo como fonte de financiamento.

O próprio diretor Bruno Serra colocou a redução do diferencial de taxas como fator a explicar o patamar atual do dólar, além de incerteza fiscal, mudança nas regras de tributação de hedge e redução da dívida em dólar por parte de algumas empresas.

"Considero que o BC deveria iniciar o processo de normalização monetária em março ou maio, o que deve aliviar, caso não ocorram mais surpresas fiscais negativas, as pressões no câmbio, na inclinação da curva de juros e no gerenciamento da dívida pública", comentou no Twitter Sergio Goldenstein, consultor independente e estrategista na Omninvest Independent Insights e ex-chefe do Departamento de Operações de Mercado Aberto do Banco Central.

© Reuters. REUTERS/Lee Jae-Won

"O problema com o real continua. Apesar da elevação recente dos preços das commodities e da melhoria dos termos de troca (vide preço do minério), o desempenho absoluto e relativo continua ruim", acrescentou Goldenstein.

O Barclays (LON:BARC) espera que o BC comece a elevar os juros em agosto, com a Selic fechando o ano em 3,75%, ante os atuais 2%. Mas o banco entende que os números de inflação divulgados mais cedo podem levantar questionamentos sobre a manutenção na próxima semana do forward guidance --orientação futura, segundo a qual não pretende reduzir o grau de estímulo monetário desde que determinadas condições sejam satisfeitas.

O Comitê de Política Monetária (Copom) se reúne nos dias 19 e 20 de janeiro para decidir sobre o rumo da Selic.

Relacionadas

Últimos comentários

Adicionar comentário
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
JRomeu Oliveira
JRomeu Oliveira

Dólar de R$ 5,32 ainda é uma catástrofe. Banco Central queimando as reservas.  ... (Leia Mais)

12.01.2021 22:37 GMT· Responder
Julius Capri
Julius Capri

Inflação nominal provocada pela desvalorização do dólar e a política pra beneficiar exportadores, pois não houve aumento significativo de demandas, tem nada a ver com atividade econômica essa inflação,é puramente uma estratégia pra beneficiar o agro negócio.   ... (Leia Mais)

12.01.2021 22:13 GMT· 1 · Responder
Mn nov
Mn nov

Até então o estagiário do BC sempre negava que o dólar alto estava sendo muiiiito influenciado pelos juros absurdamente baixos. O que pressionou o IGPM a 26% !  ... (Leia Mais)

12.01.2021 21:39 GMT· 1 · Responder
Fernando Borelli
Fernando Borelli

Ao meu ver os benefícios da queda de juros quanto à dívida do país já se foram e é necessário iniciar o ajuste para cima.  ... (Leia Mais)

12.01.2021 21:22 GMT· Responder
julio eller
julio eller

Quando a bolsa sobe e dólar cai ninguém lembra da covid   ... (Leia Mais)

12.01.2021 21:16 GMT· Responder
ronaldo lima
ronaldo lima

Hehehe.. dólar deu aquela subida... fazendo muitos comprarem, e agora terão que vender lá em baixo se não quiserem tomar mais prejuizo. Dolar está mirando 4.70 e 4,00 ainda este ano. esse é o mercado, um monte de gente perde e uma meia dúzia ganha.  ... (Leia Mais)

12.01.2021 20:59 GMT· 1 · Responder
Discussão
Escrever uma resposta...
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.

Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos neste site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas neste site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos neste site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos neste site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.

English (USA) English (UK) English (India) English (Canada) English (Australia) English (South Africa) English (Philippines) English (Nigeria) Deutsch Español (España) Español (México) Français Italiano Nederlands Português (Portugal) Polski Русский Türkçe ‏العربية‏ Ελληνικά Svenska Suomi עברית 日本語 한국어 简体中文 繁體中文 Bahasa Indonesia Bahasa Melayu ไทย Tiếng Việt हिंदी
Sair
Tem certeza de que deseja sair?
NãoSim
CancelarSim
Salvando Alterações

+

Baixe o aplicativo do Investing.com

Receba gratuitamente cotações, gráficos e alertas em tempo real sobre ações, índices, moedas, commodities e títulos. Acesse gratuitamente as melhores análises e previsões técnicas.

Investing.com é melhor no App!

Mais conteúdo, cotações e gráficos mais rápidos e uma experiência melhor estão disponíveis apenas no aplicativo.