ABERTURA: Cenário negativo no exterior empurra Ibov futuro para baixo; dólar sobe

ABERTURA: Cenário negativo no exterior empurra Ibov futuro para baixo; dólar sobe

Investing.com  | 13.11.2019 09:27

ABERTURA: Ibov futuro segue exterior e começa a quarta-feira com desvalorização

Investing.com - O índice Ibovespa Futuros inicia a sessão desta quarta-feira com queda de 0,64% aos 106.445 pontos, com o dólar avançando 0,11% a R$ 4,1721 às 09h10. Mais uma vez o desempenho negativo das bolsas pelo mundo deve contaminar o ambiente local, influenciadas pela mensagem dúbia do presidente dos EUA Donald Trump em relação ao acordo comercial com a China. Pesa também, no exterior, a escalada de violência entre manifestantes e a polícia em Hong Kong em meio a protestos contra o governo local aliado de Pequim.

Na cena doméstica, as conturbações políticas nacionais e da América Latina influenciam na avaliação de risco dos investidores. Em relação à instabilidade no continente, o risco não é necessariamente se as manifestações chegarão ao Brasil, mas o país fazer parte do grupo de mercados emergentes que, inicialmente, o investidor não vai diferenciar os que estão com estabilidade política ou não. A temporada de balanços também deve nortear os negócios da jornada.

LEIA MAIS: Turbulência na América do Sul pode afastar investidores do Brasil

- Cenário Interno

Orçamento

O governo autorizou nesta terça-feira a ampliação de 16,768 bilhões de reais das despesas do Orçamento de 2019 em relatório extemporâneo de avaliação de receitas e despesas, que incorporou a arrecadação adicional que ocorrerá com o leilão do excedente da cessão onerosa de petróleo.

O valor liberado, segundo o Ministério da Economia, supera o montante que ainda estava contingenciado para garantir o cumprimento da meta fiscal do ano, de 14 bilhões de reais.

O detalhamento dos valores que serão autorizados em despesas para cada ministério será feito na próxima semana, segundo o relatório.

Pacto Federativo

O Comitê de Secretários de Fazenda dos Estados (Comsefaz) defendeu nesta terça-feira que o colegiado é o “ambiente adequado” para estabelecer os critérios de divisão dos 400 bilhões de reais que poderão ser distribuídos a Estados e municípios em 15 anos com a reformulação do pacto federativo proposta pela equipe econômica na semana passada.

O presidente do comitê, Rafael Fonteles, afirmou que a definição da fatia de receita que ficará para cada Estado será a questão mais relevante.

- Cenário Externo

China e EUA

As ações de Xangai atingiram nesta quarta-feira o nível de fechamento mais baixo em mais de seis semanas em meio a sinais mistos sobre o progresso feito nas negociações comerciais entre Estados Unidos e China, enquanto a intensificação da violência em Hong Kong afetava o sentimento.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse na terça-feira que um acordo comercial inicial com a China está “perto”, mas não ofereceu novos detalhes sobre as negociações, decepcionando investidores com o que foi considerado um discurso sobre as políticas econômicas de seu governo. Além disso, Trump ameaçou retomada das tarifas caso um acordo de interesse dos EUA e dos trabalhadores americanos não seja alcançado com os chineses.

O crescente caos político em Hong Kong ainda reduziu o apetite por risco já que manifestantes contrários ao governo paralisaram partes do centro financeiro asiático pelo terceiro dia e com a mídia estatal chinesa censurando a violência.

Zona do Euro

A produção industrial da zona do euro superou as expectativas e avançou em setembro pelo segundo mês seguido, mostraram nesta quarta-feira estimativas oficiais, uma vez que as quedas na produção da Alemanha e da Itália foram compensadas por aumentos na França e Holanda.

A agência de estatísticas da União Europeia, Eurostat, informou que a produção industrial na zona do euro aumentou 0,1% em setembro sobre o mês anterior, após alta de 0,4% em agosto e ante expectativa de queda de 0,3%.

O aumento inesperado compensou o recuo de 0,5% da produção registrada em julho, fechando o terceiro trimestre de forma positiva.

Bolívia

A senadora boliviana Jeanine Añez, uma opositora de Evo Morales, disse nesta terça-feira em uma sessão legislativa especial que assumirá como presidente interina da Bolívia, após a renúncia e saída do país do líder boliviano em meio a uma crise política.

Añez disse que tinha o direito legal de assumir o cargo, apesar de pouco antes a assembleia não ter conseguido reunir quórum para a sessão devido à ausência de parlamentares leais a Morales.

“Na ausência definitiva do presidente e do vice-presidente ... conforme o texto e o sentido da Constituição, como presidente do Senado, imediatamente assumo a Presidência do Estado prevista na ordem constitucional”, afirmou Añez.

BOLSAS INTERNACIONAIS

Em TÓQUIO, o índice Nikkei recuou 0,85%, a 23.319 pontos. Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 1,82%, a 26.571 pontos. Em XANGAI, o índice SSEC perdeu 0,33%, a 2.905 pontos. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, retrocedeu 0,09%, a 3.899 pontos.

A quarta-feira é negativa para os principais mercados de ações da Europa, com o DAX, de Frankfurt, recuando 0,74% aos 13.185 pontos, enquanto que o FTSE, de Londres, perde 0,50% aos 7.328 pontos. Já em Paris, o CAC cai 0,43% ais 5.894 pontos.

COMMODITIES

A jornada desta quinta-feira foi marcada por uma nova valorização nos preços dos contratos futuros do minério de ferro, que são transacionados na bolsa de mercadorias da cidade chinesa de Dalian. O ativo com maior volume de negócios, com data de entrega para janeiro do próximo ano, avançou 1,08% para 607,50 iuanes por tonelada, o que representa uma variação de 6,50 iuanes em relação ao valor de liquidação da véspera, que foi de 601,00 iuanes/t.

No mesmo sentido, a jornada também foi marcada por importante ganhos nos preços dos papéis futuros do vergalhão de aço, que são transacionados na bolsa de mercadorias de Xangai, também na China. O contrato de maior liquidez, com entrega no próximo mês de janeiro, somou 33 iuanes para 3.442 iuanes por tonelada. Já o de maio de 2020, segundo mais negociado, ganhou 24 iuanes para 3.261 iuanes por tonelada.

MERCADO CORPORATIVO

- Petrobras (SA:PETR4)

A Petrobras (SA:PETR4) anunciou nesta terça-feira que realizará a transferência das atividades administrativas de sua sede em Aracaju (SE) para a base de Carmópolis até março de 2020, justificando ser mais um passo na busca pela otimização de custos.

A companhia informou que está realizando o planejamento para movimentação de seus funcionários, o que inclui a realocação de empregados em outros imóveis em Sergipe ou a transferência de profissionais para outros Estados.

“Essa iniciativa não é pontual em uma região específica e faz parte de uma gestão responsável dos recursos”, afirmou a Petrobras (SA:PETR4), ressaltando o objetivo de reduzir sua dívida.

Neste ano, a petroleira já realizou diversos cortes na área predial, com a desocupação de sua antiga sede administrativa na avenida Paulista, de um edifício em Macaé (RJ) e de diversos escritórios no exterior.

Ativos no Uruguai

A Petrobras (SA:PETR4.SA) iniciou a etapa de divulgação de oportunidade (“teaser”) para a venda de ativos nas áreas de distribuição de combustíveis, lubrificantes e fertilizantes no Uruguai, informou a empresa nesta terça-feira.

De acordo com fato relevante divulgado pela estatal, o objetivo do processo é a venda de 100% das ações detidas por sua subsidiária uruguaia na Petrobras (SA:PETR4) Uruguay Distribuición, cujas operações se concentram na distribuição de combustíveis.

A empresa possui no país vizinho uma rede de 90 estações de serviços, 16 lojas de conveniência, um terminal logístico de lubrificantes, uma planta de querosene para aviação (QAV) e dois terminais logísticos para armazenamento de fertilizantes, informou a petroleira.

- CPFL (SA:CPFE3)

A CPFL Energia (SA:CPFE3), da chinesa State Grid, reportou nesta terça-feira lucro líquido de 748 milhões de reais no terceiro trimestre, alta de 19,4% ante igual período de 2018, com melhor geração de caixa operacional e aumento da receita.

A empresa registrou lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) de 1,618 bilhão de reais no trimestre, avanço de 4,5% no ano a ano, com destaque para o segmento de distribuição.

Segundo a CPFL (SA:CPFE3), o segmento de distribuição teve Ebitda de 846 milhões de reais no período, alta de 17,8% na comparação anual, refletindo principalmente os resultados advindos dos reajustes tarifários das distribuidoras: CPFL Piratininga (outubro 2018), CPFL Paulista (abril 2019) e RGE (junho 2019).

- MRV (SA:MRVE3)

A MRV (SA:MRVE3) teve lucro líquido de 160 milhões de reais no terceiro trimestre, queda de 8% com relação ao mesmo período do ano passado, informou nesta terça-feira a construtora de imóveis residenciais.

O resultado foi impactado com paralisação de repasses para imóveis do programa Minha Casa Minha Vida durante praticamente todo o trimestre, que fez a MRV (SA:MRVE3) ter uma queima de caixa de 198 milhões de reais, ante uma geração de 241 milhões um ano antes.

A companhia apurou lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) de 248 milhões de reais, alta de 4,2% na base anual. Analistas, em média, esperavam lucro líquido de 184,6 milhões de reais e Ebitda de 257,5 milhões, segundo dados da Refinitiv.

- Energia Elétrica

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou a realização do leilão de transmissão 02/2019, que deve ocorrer em 19 de dezembro e gerar até 4,18 bilhões de reais em investimentos, informou o órgão nesta terça-feira.

O leilão contará com a licitação de 12 lotes, com 17 linhas de transmissão e 16 subestações, em projetos que contemplam 12 Estados do país.

“São 20 anos de leilões de transmissão, com muito sucesso. Historicamente, tivemos a ampla participação de proponentes de vários países, o que confirma a robustez e a segurança regulatória de nosso modelo de contratação de energia”, afirmou em nota o diretor-relator da Aneel, Rodrigo Limp.

- Biosev (SA:BSEV3)

A Biosev (SA:BSEV3), uma das maiores processadoras de cana do mundo, registrou prejuízo líquido trimestral de 304,3 milhões de reais, quase o dobro do verificado no mesmo período do ano passado, com o resultado financeiro negativo crescendo 145%, para 738,6 milhões de reais, informou a empresa nesta terça-feira.

A companhia, que tem 88,4% de sua dívida em dólar, indicou que o resultado foi impactado principalmente pela variação cambial, por menores volumes de venda de açúcar e por redução de ganhos com a marcação a mercado e liquidação de operações com derivativos.

O braço de açúcar e etanol da companhia do agronegócio Louis Dreyfus fechou o período com dívida líquida de 5,6 bilhões de reais, alta de 4,1% em relação ao valor registrado no mesmo período na safra passada, com impacto da desvalorização do real frente ao dólar.

Questionado sobre o endividamento em moeda estrangeira, que tem impactado o resultado da companhia, o diretor financeiro da Biosev (SA:BSEV3), Gustavo Theodozio, disse que a empresa não começou nenhuma negociação com os bancos para reduzir a parcela dolarizada da dívida.

- JBS (SA:JBSS3)

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) pediu propostas a bancos de investimento para iniciar a venda de sua participação na processadora de carne JBS (SA:JBSS3) , disseram três fontes com conhecimento do assunto. Espera-se que as propostas sejam entregues nos próximos dias, segundo as fontes, e são o primeiro passo para a contratação de banco para realizar a oferta.

A empresa de participações do BNDES, BNDESPar, tem 21,3% da JBS (SA:JBSS3), mas está pedindo propostas a bancos para venda de apenas uma porção de sua participação, segundo as fontes.

O acordo de acionistas da JBS (SA:JBSS3) exige que a BNDESPar mantenha uma participação mínima de 15% na empresa para continuar com direitos de veto em algumas matérias e a indicação de um membro do conselho da empresa, segundo documentos públicos no site da empresa.

Para cumprir essa regra, a BNDESPar poderia vender uma participação de 6,3% na empresa, correspondente a cerca de 172 milhões de ações, com valor aproximado de 5 bilhões de reais.

Ainda não está claro se a BNDESPar venderá apenas uma parcela da participação ou se poderia aumentar o tamanho da oferta, segundo as fontes. O banco contratado aconselhará a BNDESPar sobre a melhor data para executar a venda. Se ela ocorrer no ano que vem, a empresa poderá vender uma participação maior.

- Eletrobras (SA:ELET3)

O quadro de funcionários da Eletrobras (SA:ELET3), após a projetada privatização da empresa, deverá conter cerca de 10 mil funcionários, disse nesta terça-feira o presidente-executivo da companhia, Wilson Ferreira Jr..

Segundo o executivo, a empresa conta hoje com 13.700 empregados, mas caminha para ter cerca de 12 mil até maio de 2020, sem que haja novos planos de demissão voluntária no horizonte até a meta ser atingida.

“Não há outro plano de desligamento até lá”, disse o CEO da companhia, durante coletiva de imprensa sobre os resultados da empresa no terceiro trimestre.

- Bradesco (SA:BBDC4) e Cielo (SA:CIEL3)

Bradesco (SA:BBDC4), Cielo (SA:CIEL3) e a bandeira de cartões Visa iniciaram nesta terça-feira um sistema que permitirá que clientes paguem compras com uma combinação de cartão de crédito e outros meios.

Segundo os parceiros no negócio, o objetivo é evitar que portadores de cartões desistam de uma compra nos casos em que o valor da transação supera o limite de crédito concedido pelo emissor.

Assim, quando o portador realizar o pagamento com cartão de crédito não tiver limite suficiente para o valor total da compra, o terminal de pagamento emitirá um aviso com o valor parcial que poderá ser aprovado, dando ao comprador a opção de pagar o valor restante de outras formas.

Segundo o superintendente de Produtos da Bradesco (SA:BBDC4) Cartões, Frederico Napoleão, o modelo é similar ao de outros países e ao que já ocorre no Brasil com vouchers de benefícios, como de alimentação, nos quais o terminal de pagamentos aponta o valor disponível quando não há saldo suficiente para pagar toda a compra.

- Aviação

O governo do Rio de Janeiro anuncia nesta terça-feira redução da alíquota do ICMS sobre querosene de aviação com objetivo de atrair mais voos para o Estado, novas companhias aéreas e recuperar espaço perdido ao longo dos últimos anos para São Paulo, disse à Reuters o secretário fluminense de Fazenda, Luiz Claudio Rodrigues Carvalho.

A redução do ICMS vai baixar a alíquota de 13% para até 7%, caso as empresas aéreas atendam alguns compromissos definidos pelo governo.

“Anualmente o governo estadual arrecada 160 milhões com ICMS sobre o QAV (querosene de aviação); estamos reduzindo alíquota com objetivo de aumentar a quantidade de voos. Haverá uma arrecadação direta, indireta, geração de emprego e renda a partir do incentivo”, disse Carvalho à Reuters.

AGENDA DE AUTORIDADES

- Jair Bolsonaro

O presidente inicia o dia com reunião com Paulo Guedes, Ministro da Economia; e André Luiz de Almeida, Advogado-Geral da União, e, em seguida, com Ernesto Araújo, Ministro das Relações Exteriores. Bolsonaro ainda recebe o Presidente da República Popular da China e o Primeiro-Ministro da República da Índia.

O dia será marcado pela reunião dos líderes dos Brics.

- Paulo Guedes

- Seminário “O NDB e o Brasil: Parceria Estratégica para o Desenvolvimento Sustentável”;

- Encontro com o presidente do Novo Banco de Desenvolvimento, K.V. Kamath.

*Com Reuters

Relacionadas

Últimos comentários

Adicionar comentário
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Discussão
Escrever uma resposta...
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.

Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos neste site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas neste site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos neste site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos neste site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.

English (USA) English (UK) English (India) English (Canada) English (Australia) English (South Africa) English (Philippines) English (Nigeria) Deutsch Español (España) Español (México) Français Italiano Nederlands Português (Portugal) Polski Русский Türkçe ‏العربية‏ Ελληνικά Svenska Suomi עברית 日本語 한국어 中文 香港 Bahasa Indonesia Bahasa Melayu ไทย Tiếng Việt हिंदी
Sair
Tem certeza de que deseja sair?
NãoSim
CancelarSim
Salvando Alterações

+