ABERTURA: Ibovespa futuro cai com nova preocupação com coronavírus; dólar sobe

ABERTURA: Ibovespa futuro cai com nova preocupação com coronavírus; dólar sobe

Investing.com  | 13.02.2020 09:19

ABERTURA: Ibovespa futuro inicia em queda com nova preocupação com coronavírus

Por Gabriel Codas

Investing.com - A jornada desta quinta-feira começa com perdas para o índice futuro do Ibovespa, recuando 1,22% aos 116.185 pontos às 09h12. Já o dólar comercial sube 0,33% a R$ 4,3692, ultrapassando a barreira dos R$ 4,37 e atingir novo recorde intradia. A alta do dólar segue tendência do exterior de fortalecimento da moeda americana ante novos dados preocupantes com avanço do novo coronavírus, chamado agora oficialmente de Covid-19. Além disso, contribui para a alta da moeda americana declarações do ministro da Economia Paulo Guedes e do presidente do Banco Central, que não veem com preocupação o rompimento de máximas históricas nominais da moeda americana (mais informações abaixo).

A cautela deve prevalecer na sessão de hoje com notícias sobre os novos casos de coronavírus, com a temporada de balanços local permanecendo no radar dos investidores.

- Cenário Interno

Serviços

Em dezembro de 2019, o volume do setor de serviços variou -0,4% em frente ao mês anterior, segundo decréscimo seguido neste tipo de indicador, com uma perda de 0,5% verificada entre novembro e dezembro, o que reduz parte ganho acumulado entre setembro e outubro (2,2%).

Na série sem ajuste sazonal, no confronto com igual mês do ano anterior, o volume de serviços avançou 1,6% em dezembro de 2019, alcançando, portanto, a quarta taxa positiva consecutiva. No acumulado do ano, o volume de serviços expandiu 1,0%, interrompendo sequência de 4 anos sem crescimento: 2015 (-3,6%), 2016 (-5,0%), 2017 (-2,8%) e 2018 (0,0%).

Câmbio

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, reiterou na noite de quarta-feira, em entrevista à GloboNews, que a desvalorização da taxa de câmbio tem ocorrido sem piora em medidas de risco e que o importante para o BC é como esse movimento influencia as expectativas de inflação, segundo ele ancoradas.

As declarações de Campos Neto sinalizam que a autoridade monetária não vê disfuncionalidades na atual sequência de altas do dólar para sucessivas máximas recordes nominais, o que aponta uma não urgência de intervenção no mercado cambial.

O presidente do BC começou a entrevista de cerca de 1 hora dizendo que o “câmbio é flutuante”, afirmação repetida pelo menos outras três vezes.

“O câmbio é flutuante. Então faz parte de uma política que o BC vem adotando que chamamos de política de separação. Você usa os juros para a política monetária, o câmbio é flutuante, e as ações macroprudenciais são para estabilidade financeira”, disse Campos Neto.

Relação dívida/PIB

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta quarta-feira que a dívida bruta em relação ao Produto Interno Bruto (PIB) voltará a cair em 2020 após recuo em 2019 e pontuou que, com os juros básicos mais baixos, a economia com o pagamento de juros da dívida pública será de 120 bilhões de reais este ano.

“Dívida já caiu ano passado, logo no primeiro ano (de governo) quebramos essa dinâmica. Ideia que Brasil estava se endividando em bola de neve trincou. Vamos fazer cair de novo este ano”, afirmou ele, em evento em Brasília.

Em 2019, a dívida ficou em 75,8% do PIB, abaixo do nível de 76,5% em 2018, na esteira da venda de reservas pelo Banco Central e da antecipação de pagamentos pelo BNDES ao Tesouro.

Guedes afirmou que o BNDES vai mandar à União “bastante dinheiro” em 2020, mas não especificou o montante que será devolvido.

Reforma Administrativa

O ministro da Economia, Paulo Guedes, reiterou nesta quarta-feira que a reforma administrativa proposta pelo governo vai mexer em critérios de estabilidade para futuros servidores, sem afetar direitos adquiridos ou alterar salários.

O objetivo da reforma, segundo o ministro, é estabelecer um Estado com meritocracia e um menor número de carreiras. “Em vez de 300 carreiras, que fossem 20, 30”, afirmou o ministro, em discurso durante evento em Brasília.

Guedes reafirmou que, quando usou o termo “parasita” ao falar sobre a reforma administrativa na semana passada, se referia ao Estado brasileiro, e não aos servidores.

“Quando os gastos com funcionalismo devoram 95%, 100% da receita, o Estado está virando parasitário. Não é o funcionário público, é o Estado”, afirmou.

- Cenário Externo

Coronavírus

A província chinesa epicentro do surto do novo coronavírus relatou um aumento recorde no número de novas mortes provocadas pela infecção e milhares de novos casos da doença nesta quinta-feira, sugerindo uma crise muito maior do que a imaginada para a China e para o mundo.

Autoridades de saúde de Hubei disseram que 242 pessoas morreram por causa do vírus similar ao da gripe na quarta-feira, o crescimento mais acentuado na contagem diária desde que o patógeno foi identificado em dezembro. Aumento de novos casos e mortes provocadas pela doença é resultado de um novo método de diagnóstico.

Isso levou o número total de mortos por causa do recém-descoberto vírus na China para 1.367, um aumento de 254 em relação à véspera, disse a Comissão Nacional de Saúde.

O salto nos números veio um dia depois de os mercados financeiros se animarem após a China relatar o menor número de novos casos em duas semanas, dando credibilidade à previsão do principal conselheiro médico do país para o surto de que a epidemia poderia terminar em abril.

China

O governo da China vai se esforçar para alcançar as metas econômicas e de desenvolvimento social para 2020 apesar dos problemas causados pelo surto de coronavírus, informou nesta quinta-feira a televisão estatal.

Citando declarações durante reunião de um comitê do governo sobre o surto de coronavírus presidida pelo primeiro-ministro, Li Keqiang, a emissora informou que cada província deverá definir medidas diferenciadas e direcionadas para conter o vírus.

O coronavírus já matou quase 1.400 pessoas e infectou dezenas de milhares.

Zona do euro

A Comissão Europeia manteve nesta quinta-feira sua previsão econômica de crescimento moderado na zona do euro para este ano e em 2021, mas elevou levemente sua projeção para a inflação, observando que a disseminação do coronavírus é o principal risco negativo.

Em uma perspectiva provisória para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) e a inflação ao consumidor para os 19 países que usam o euro para 2020 e 2021, a Comissão disse que o crescimento na zona do euro permanecerá em 1,2% neste ano e no próximo, assim como em 2019.

“As perspectivas para 2020 e 2021 permanecem inalteradas ... à medida que acontecimentos mais positivos são compensados por eventos negativos em outros lugares”, afirmou a Comissão, braço executivo da UE.

Argentina

A Argentina está disposta a pagar suas dívidas, mas não tem dinheiro para fazê-lo, disse o ministro da Economia do país, Martín Guzmán, na quarta-feira, alertando para uma “profunda reestruturação da dívida” à frente.

Em discurso ao Congresso, Guzmán culpou as políticas de austeridade prescritas pelo Fundo Monetário Internacional pela crise de crédito.

Porém, num momento em que autoridades do FMI chegam a Buenos Aires para uma semana de negociações sobre a renovação de empréstimos e títulos, Guzmán disse que há “um entendimento mútuo crescente” sobre como lidar com o problema.

A Argentina diz que precisa reestruturar 100 bilhões de dólares em dívidas, incluindo 44 bilhões devidos ao fundo, seu maior credor único. O governo, que assumiu em dezembro, prometeu não continuar pagando o que chama de carga insustentável de dívida que herdou da administração anterior.

BOLSAS INTERNACIONAIS

Em TÓQUIO, o índice Nikkei recuou 0,14%, a 23.827 pontos. Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 0,34%, a 27.730 pontos. Em XANGAI, o índice SSEC perdeu 0,71%, a 2.906 pontos. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, retrocedeu 0,62%, a 3.959 pontos.

Na Europa, a jornada também se mostra negativa, com o DAX, de Frankfurt, recuando 1,01% aos 13.611 pontos, enquanto que o FTSE, de Londres perde 1,62% aos 7.412 pontos. Já em Paris, o CAC cede 1,11% aos 6.037 pontos.

COMMODITIES

A jornada desta quinta-feira teve mais uma valorização importante para os preços dos contratos futuros do minério de ferro, que são negociados na bolsa de mercadorias da cidade chinesa de Dalian. O ativo com o maior volume de negócios, com data de vencimento para maio, teve valorização de 1,63% para 624,50 iuanes por tonelada, ganhos de 10 iuanes em relação ao valor de liquidação da véspera, de 614,50 iuanes/t.

No caso do vergalhão de aço, a sessão teve como principal característica rumos opostos para os papéis futuros, que são transacionados na bolsa de mercadorias de Xangai, também na China. O contrato com maior liquidez, com entrega para maio de 2020, cedeu 9 iuanes para 3.395 iuanes por tonelada, enquanto que o de outubro, segundo em volume, somou 3 iuanes para 3.437 iuanes por tonelada.

O preço do barril do petróleo apresenta queda na quinta-feira, com o tipo Brent caindo 0,99%, ou US$ 0,54, a US$ 55,25, enquanto que em Nova York, o WTI cai 0,55%, a US$ 0,28, a US$ 50,91.

MERCADO CORPORATIVO

- Suzano (SA:SUZB3)

A Suzano (SA:SUZB3) divulgou nesta quarta-feira lucro líquido de quarto trimestre de 2019 dentro do esperado pelo mercado, uma queda de 61% sobre o mesmo período do ano anterior gerada por queda no preço da celulose.

A companhia, que também produz papel, teve lucro líquido de 1,175 bilhão de reais de outubro a dezembro, ante expectativa média de analistas compilada pela Refinitiv de 1,77 bilhão.

Já o resultado operacional da companhia medido pelo Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado, foi de 2,465 bilhões de reais, também próximo à média das previsões, de 2,439 bilhões.

Na comparação com o quarto trimestre de 2018, o Ebitda da Suzano (SA:SUZB3) mostrou queda de 31%. “A redução é explicada, principalmente pelo menor preço líquido da celulose em dólares (36%)”, disse a Suzano no balanço.

Os preços da celulose despencaram no ano passado em meio ao excesso de estoques na cadeia mundial, que obrigou a Suzano (SA:SUZB3) a anunciar em novembro estratégia para vender ativos florestais e cortar investimentos. A companhia anunciou em dezembro plano de investimento de 4,4 bilhões de reais para este ano ante total revisado para baixo de 5,7 bilhões em 2019.

- Totvs (SA:TOTS3)

A Totvs (SA:TOTS3) mais que dobrou seu lucro no quarto trimestre, refletindo a combinação de aumento de receitas, controle de custos e melhora do resultado financeiro.

A produtora de softwares de gestão anunciou nesta quarta-feira que seu lucro ajustado de outubro a dezembro somou 71,3 milhões de reais, alta de 107,8% ante igual etapa de 2018. O número que ficou levemente abaixo da previsão média de analistas consultados pela Refinitiv, de 73,87 milhões de reais.

O resultado operacional da companhia medido pelo lucro antes de impostos, juros, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado somou 118,3 milhões de reais no período, aumento de 51,5%, e pouco acima da previsão média de 116,13 milhões de reais. A margem Ebitda deu um salto de 4,5 pontos percentuais no comparativo anual, para 18,9%

Numa mão, a receita líquida de Totvs (SA:TOTS3) subiu 7,5% ano a ano, para 579,3 milhões de reais. Na outra, os custos tiveram retração de 2,3%, para 191,46 milhões de reais.

- Eletrobras (SA:ELET3)

A estatal Eletrobras (SA:ELET3) inicia neste mês uma primeira rodada de demissões adicionais às realizadas por meio de programas de desligamento voluntário lançados no passado, em medida que visa atingir meta de redução do quadro de pessoal, informou a empresa à Reuters nesta quarta-feira, confirmando comunicados internos sobre o assunto.

O corte deve atingir quase 70 funcionários neste ano, especialmente na subsidiária da região Norte da companhia, maior elétrica da América Latina e que está nos planos de privatização do governo federal. Há ainda potencial de demissão de mais de 400 empregados em 2021, se a empresa mantiver suas metas.

A elétrica ressaltou em nota à Reuters que um acordo coletivo (ACT) assinado com mediação do Tribunal Superior do Trabalho (TST) estabeleceu um quadro de referência para a companhia de 12,5 mil empregados efetivos no período de janeiro a abril de 2020 e de 12.088 para entre maio e abril de 2021, contra 12.568 funcionários atualmente.

- Petrobras (SA:PETR4)

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, decidiu que ao menos 90% dos funcionários da Petrobras (SA:PETR4) deverão manter as atividades mesmo em meio a uma greve iniciada por sindicatos de trabalhadores em 1º de fevereiro, segundo decisão judicial.

A determinação, que reforça uma liminar concedida anteriormente pelo ministro do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Ives Gandra Martins Filho, abre também a possibilidade de a Justiça suspender o movimento ao considerá-lo abusivo, disse uma fonte da empresa.

“O STF reconheceu que as entidades sindicais estão descumprindo a manutenção de 90% do efetivo e assegurou que o TST possa adotar as medidas necessárias para fazer cumprir a decisão”, disse a Petrobras (SA:PETR4) em nota, mais tarde.

- Mineração

O projeto de lei que libera a exploração mineral em terras indígenas é uma proposta do governo federal e não das mineradoras, afirmou o diretor-presidente do Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram), ao defender que as empresas apenas estudarão investimentos nas regiões se o tema estiver “apaziguado” com a sociedade.

Ao falar com jornalistas nesta quarta-feira, Flávio Penido lembrou que o PL, enviado pelo governo ao Congresso na semana passada, vai além do setor minerário, e autoriza também a liberação de outras atividades econômicas em terras indígenas, incluindo agricultura, pecuária e a exploração do turismo.

A proposta é uma das promessas de campanha do presidente Jair Bolsonaro, vista como uma reivindicação vinda principalmente de garimpeiros e empresas de exploração mineral, mas recebida com restrição por boa parte das comunidades indígenas.

AGENDA DE AUTORIDADES

- Jair Bolsonaro

O presidente da República começa o dia recebendo o ministro Abraham Weintraub (Educação), se reunindo em seguida com Rubens Ometto Silveira Mello, Presidente do Conselho de Administração das Empresas do Grupo Cosan (SA:CSAN3). A agenda do dia chega ao fim com reunião com André Luiz de Almeida, Advogado-Geral da União.

- Paulo Guedes

- Audiência com o presidente da Península Participações, Abílio Diniz;

- Almoço na Sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo – Fiesp;

- Audiência com o CEO da N-Ideias, Nizan Guanaes.

Com Reuters.

Relacionadas

Últimos comentários

Adicionar comentário
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Jorge Lazaro
Jorge Lazaro

Hora de VENDER. Não perca seu dinheiro suado!  ... (Leia Mais)

13.02.2020 13:44 GMT· Responder
Jose Frajtag
Jose Frajtag

O numero de infectados foi distorcido. Deu um salto devido a um novo método mais rápido para detectar a doença. Mas o numero de mortos assusta!  ... (Leia Mais)

13.02.2020 13:23 GMT· Responder
Tiago Santos Castro
Tiago Santos Castro

A midia gosta de tocar o terror, kkkk ontem estavam com noticias otimistas hoje e so tragedia kkkkkk. e cada uma.  ... (Leia Mais)

13.02.2020 13:22 GMT· Responder
Trump Trade r
Trump Trade r

Dicotomia entre comportamento da Bovespa e o dólar sinaliza incoerências e riscos (Escrito por: Sidnei Nehme) — — — Assistimos a dicotomia entre o comportamento da Bovespa e do preço do dólar, ambos sobem, um pelo deslocamento do investidor pessoa física como novo personagem, o outro pela ausência de ingressos massivos de moeda estrangeira. Há um esforço do governo em propagar “juro baixo e câmbio alto” como DOGMA, em um contexto de artificialismo promovido colocando em riscos uma perspectiva. Se a Bovespa perder sustentação no viés de alta pela mudança das perspectivas atuais que tem POUCO LASTRO em fundamentos críveis, os investidores pessoas física poderão “debandar” no primeiro solavanco, enquanto o dólar poderá continuar evoluindo seu preço até se tornar propagador da nossa velha conhecida INFLAÇÃO.  ... (Leia Mais)

13.02.2020 13:07 GMT· 1 · Responder
Discussão
Escrever uma resposta...
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.

Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos neste site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas neste site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos neste site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos neste site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.

English (USA) English (UK) English (India) English (Canada) English (Australia) English (South Africa) English (Philippines) English (Nigeria) Deutsch Español (España) Español (México) Français Italiano Nederlands Português (Portugal) Polski Русский Türkçe ‏العربية‏ Ελληνικά Svenska Suomi עברית 日本語 한국어 中文 香港 Bahasa Indonesia Bahasa Melayu ไทย Tiếng Việt हिंदी
Sair
Tem certeza de que deseja sair?
NãoSim
CancelarSim
Salvando Alterações

+

Baixe o App

Mais informações sobre o mercado, mais alertas, mais opções de personalizar seus ativos em sua carteira, apenas pelo App