Ações do HSBC e do StanChart caem para mínima de 22 anos após reportagens sobre transações com dinheiro ilícito

Ações do HSBC e do StanChart caem para mínima de 22 anos após reportagens sobre transações com dinheiro ilícito

Reuters  | 21.09.2020 09:40

Ações do HSBC e do StanChart caem para mínima de 22 anos após reportagens sobre transações com dinheiro ilícito

Por Alun John e Sumeet Chatterjee e Lawrence White

HONG KONG/LONDRES (Reuters) - As ações do HSBC (HK:0005) em Hong Kong e do Standard Chartered (LON:STAN) em Londres caíam para mínimas desde pelo menos 1998 nesta segunda-feira, após reportagens afirmando que eles e outros bancos, incluindo Barclays (LON:BARC) e Deutsche Bank (DE:DBKGn), movimentaram grandes somas de fundos supostamente ilícitos ao longo de quase duas décadas, apesar dos sinais sobre a origem do dinheiro.

As reportagens publicadas pelo BuzzFeed e outras empresas de mídia foram baseadas em relatórios de atividades suspeitas (SARs) vazados, apresentados por bancos e outras instituições financeiras à Rede de Execução de Crimes Financeiros (FinCen) do Departamento do Tesouro dos Estados Unidos.

As ações do HSBC em Londres caíam 5,2%, para seu nível intradia mais baixo desde 2009, depois que as ações do banco em Hong Kong tocaram a mínima de 25 anos. Os papéis caíram quase pela metade desde o início do ano.

O StanChart recuava 4,6% em Londres, para seu nível mais baixo desde 1998, em um cenário de uma queda mais ampla no mercado com o índice de bancos europeus STOXX caindo 4,8%.

Mais de 2.100 SARs, que em si não são necessariamente prova de irregularidades, foram obtidos pelo BuzzFeed News e compartilhados com o Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (ICIJ) e outras organizações de mídia.

Em um comunicado à Reuters no domingo, o HSBC disse que "todas as informações fornecidas pelo ICIJ são históricas". O banco disse que, a partir de 2012, embarcou em uma "jornada de vários anos para reavaliar sua capacidade de combater crimes financeiros".

© Reuters. (Blank Headline Received)

O StanChart disse em comunicado que leva sua "responsabilidade de combater crimes financeiros extremamente a sério e investiu substancialmente em programas de compliance".

Os relatórios continham informações sobre mais de 2 trilhões de dólares em transações entre 1999 e 2017, que foram sinalizadas como suspeitas por departamentos internos de compliance das instituições financeiras.

O ICIJ disse que os documentos vazados são uma pequena fração dos relatórios apresentados ao FinCEN. HSBC e StanChart estavam entre os cinco bancos que apareceram com mais frequência nos documentos, informou o ICIJ.

Relacionadas

Últimos comentários

Adicionar comentário
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Android Theodoro
Android Theodoro

Siga o Dinheiro..💵💰  ... (Leia Mais)

21.09.2020 13:24 GMT· Responder
Tiago Santos Castro
Tiago Santos Castro

Esses bancos são um antro de corrupção pertencem a elite mundial é de se eperar  ... (Leia Mais)

21.09.2020 13:24 GMT· Responder
Ruy Novaes
Ruy Novaes

Volte meia ocupam paginas de noticiários com escândalos  ... (Leia Mais)

21.09.2020 12:51 GMT· 1 · Responder
Discussão
Escrever uma resposta...
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.

Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos neste site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas neste site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos neste site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos neste site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.

English (USA) English (UK) English (India) English (Canada) English (Australia) English (South Africa) English (Philippines) English (Nigeria) Deutsch Español (España) Español (México) Français Italiano Nederlands Português (Portugal) Polski Русский Türkçe ‏العربية‏ Ελληνικά Svenska Suomi עברית 日本語 한국어 简体中文 繁體中文 Bahasa Indonesia Bahasa Melayu ไทย Tiếng Việt हिंदी
Sair
Tem certeza de que deseja sair?
NãoSim
CancelarSim
Salvando Alterações

+

Baixe o aplicativo do Investing.com

Receba gratuitamente cotações, gráficos e alertas em tempo real sobre ações, índices, moedas, commodities e títulos. Acesse gratuitamente as melhores análises e previsões técnicas.

Investing.com é melhor no App!

Mais conteúdo, cotações e gráficos mais rápidos e uma experiência melhor estão disponíveis apenas no aplicativo.

';