Calendário Econômico - Fique por dentro dos assuntos relevantes da semana

Calendário Econômico - Fique por dentro dos assuntos relevantes da semana

Investing.com  | 06.12.2020 13:31

Calendário Econômico - Fique por dentro dos assuntos relevantes da semana

Por Noreen Burke e Leandro Manzoni

Investing.com - Esperanças renovadas de estímulo econômico e o início do lançamento da vacina devem ser o principal foco dos mercados financeiros nesta semana. A pressão está aumentando em Washington para ajudar as pessoas e empresas duramente atingidas pela pandemia, com a economia sofrendo sua pior recessão em décadas.

Os principais índices de Wall Street saltaram para máximas históricos na sexta-feira, mas pode haver mais volatilidade na loja à medida que novas restrições para conter a propagação da Covid-19 entrem em vigor. Situação semelhante ao do Ibovespa, que atingiu ao nível pré-pandemia e está prestes a zerar as perdas do ano, mas o repique do contágio de Covid-19 pelo país, com crescente internações e ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), pode adicionar incertezas quanto à recuperação da economia brasileira no fim de 2020 e início do ano que vem.

Na Europa, as longas negociações do Brexit estão entrando em seus estágios finais e o Banco Central Europeu provavelmente anunciará outra expansão de estímulo na quinta-feira, já que a pandemia continua devastando a economia da área do euro.

Aqui está o que você precisa saber para começar sua semana.

1. Conversas de estímulo ganham impulso em Washington

Dados na sexta-feira mostrando o menor ritmo de crescimento do emprego em seis meses nos EUA reforçou as expectativas dos investidores quanto a um novo projeto de estímulo fiscal para ajudar a reanimar a economia americana. Mais de 13 milhões de pessoas perderão o seguro-desemprego em 26 de dezembro sem uma ação rápida do Congresso.

LEIA MAIS: Opep, estímulos e vacinas levam petróleo aos US$ 50; ouro atingiu barreira após mínimas?

Um plano de ajuda ao coronavírus de US$ 908 bilhões ganhou impulso no Congresso na sexta-feira, após um impasse de meses entre republicanos e democratas sobre o tamanho do pacote potencial.

Mas ainda não está claro se o líder da maioria no Senado, Mitch McConnell, concordaria com um pacote tão grande depois de pressionar para manter os gastos com ajuda humanitária perto de US$ 500 bilhões.

Os dois partidos também enfrentam um prazo até 11 de dezembro para aprovar um orçamento de US$ 1,4 trilhão ou arriscar um fechamento do governo. Analistas políticos disseram que os dois eventos podem estar ligados, mas o Congresso também pode aprovar uma resolução de gastos sem incluir estímulos.

2. Início da vacinação contra Covid-19

O Reino Unido está se preparando para se tornar o primeiro país a imunizar sua população com a vacina desenvolvida pela Pfizer (NYSE:PFE) (SA:PFIZ34) e BioNTech (NASDAQ:BNTX) esta semana, conforme governos em todo o mundo entram em um nova etapa no combate à pandemia.

As primeiras doses estão programadas para serem administradas na terça-feira, com prioridade máxima sendo dada aos maiores de 80 anos, profissionais de saúde da linha de frente e funcionários de lares e residentes.

A Grã-Bretanha deu aprovação de uso emergencial para a vacina Pfizer/BioNTech na semana passada - avançando na corrida global para iniciar o programa de inoculação em massa mais crucial da história.

Nos EUA, a Food and Drug Administration deve votar a autorização de uso de emergência para a vacina Pfizer/BioNTech na quinta-feira e as vacinações iniciais podem começar na sexta-feira com a esperança de atingir cerca de 20 milhões de pessoas até o final do ano.

3. Potencial volatilidade do mercado de ações

Os três principais índices de Wall Street atingiram máximas recordes na sexta-feira, em meio às expectativas de que o relatório de emprego desanimador dos EUA poderia estimular os legisladores a pressionar mais por estímulos. O Ibovespa seguiu os índices de Nova York e fechou com alta de 1,3% a 113.750 pontos, mirando os 114 mil e buscando zerar as perdas do ano, atualmente marcado baixa acumulada de 1,64% em 2020.

Atualizações positivas de vacinas também aliviaram as preocupações dos investidores em torno de dados econômicos sombrios e um aumento maciço de infecções. Mas enquanto uma vacina está a caminho, as restrições permanecerão em vigor até que uma massa crítica da população seja inoculada, o que pode levar vários meses.

Os investidores estarão monitorando de perto os desenvolvimentos políticos em Washington e a logística do lançamento da vacina, bem como o impacto econômico conforme os bloqueios retornem. Na Califórnia, a área da Baía de São Francisco entrará em bloqueio na noite de domingo em meio a um aumento recorde de casos de Covid-19 que ameaçam sobrecarregar hospitais.

No Brasil, a situação não é diferente. Depois de atingir um pico no final de julho, com quase 70.000 casos novos e mais de 1.500 óbitos em um único dia, a Covid-19 parecia estar sendo controlada ao cair para o patamar de 20 mil casos e 425 mortes por dia no final de outubro. Na semana passada, no entanto, o número de casos novos por dia chegou a 34 mil e as mortes ficaram em 510 por dia na média, destacando o repique do surto.

LEIA MAIS: Com aumento de casos entre jovens, festas do fim de ano podem provocar explosão de Covid-19

Em São Paulo, que concentra a maioria dos casos no país, o percentual de jovens de 20 a 29 anos no total de casos de Covid-19 cresceu 25,7% em novembro na comparação com junho, segundo dados da Secretaria Estadual de Saúde levantados pela GloboNews. Hospitais da cidade também apontaram uma redução na média de idade das pessoas internadas devido à doença.

Apesar disso, nas maiores cidades do país as ruas estão cada vez mais próximas da normalidade, com restaurantes e lojas cheios de pessoas muitas vezes sem máscara. Com o aumento de casos e a alta na ocupação de leitos de UTI, autoridades de alguns Estados voltaram a impor medidas para reduzir a circulação de pessoas, incluindo toques de recolher noturnos anunciados esta semana no Paraná e em Santa Catarina e um recuo de fase no plano de reabertura em São Paulo. No Rio de Janeiro, o aumento de casos "já está provocando grande estresse no sistema de assistência à saúde", de acordo com nota técnica de pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

4. Negociações do Brexit próximas do fim

Negociadores do Reino Unido e da União Europeia estavam em negociações de última hora no domingo com o objetivo de chegar a um acordo comercial pós-Brexit antes que um acordo de transição termine em 31 de dezembro.

Se eles não conseguirem chegar a um acordo, um divórcio de cinco anos do Brexit terminará confuso, assim como a Grã-Bretanha e seus ex-parceiros da UE enfrentam o custo econômico da pandemia do coronavírus.

Especialistas alertaram que um cenário de não acordo causaria uma enorme perturbação de longo prazo para a economia britânica. A UE é o maior parceiro comercial da Grã-Bretanha, respondendo por 47% do seu comércio em 2019.

Uma não-negociação chegaria a libras esterlina e também poderia eliminar 2% a mais da produção econômica britânica em 2021, de acordo com o Escritório de Responsabilidade Orçamentária da Grã-Bretanha, ao mesmo tempo em que aumentava a inflação.

5. BCE anuncia nova expansão de estímulo e Copom deve manter taxa Selic em 2%

Com a zona do euro voltando à recessão no quarto trimestre, a presidente do Banco Central Europeu, Christine Lagarde, deve anunciar outra expansão de seu pacote de estímulo em quinta-feira.

A inflação da zona do euro permaneceu em território negativo pelo quarto mês consecutivo em novembro, reforçando as preocupações de que a queda nos preços possa ser mais persistente do que se temia.

A inflação deve ser a principal discussão na reunião de quinta-feira, já que os formuladores de políticas estão cada vez mais preocupados com o fato de que uma recessão profunda e longa torne as forças deflacionárias mais permanentes.

Um dia antes, o Banco Central do Brasil vai divulgar a manutenção, pela terceira vez da taxa Selic em 2% ao ano. Os investidores estarão atentos a possíveis mudanças no comunicado e a sinalizações de conduta futura - sob o forward guidance - do Copom nas próximas reuniões.

A decisão da taxa de juros da Selic ocorre um dia após a divulgação do IPCA de novembro, com a expectativa de uma leve desaceleração para 0,83% em relação a outubro, quando subiu 0,86%. Em termos anualizados, a expectativa é que o IPCA de novembro fique em 3,90%, também marcando uma leve desaceleração de 3,92% do mês anterior.

LEIA MAIS: Empresas que desistiram do IPO este ano vão voltar em 2021, diz economista

A semana terá também divulgação da produção e vendas de veículos de novembro pela Anfavea. Na quinta-feira, será a vez da vendas no varejo de outubro, enquanto na sexta-feira serão conhecidos o volume de setor de serviços de outubro.

- Com informações de Reuters

Relacionadas

Últimos comentários

Adicionar comentário
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Daniel Freiberger
Daniel Freiberger

se a Selic não subir, isso prejudica os bancos, Isso? Se sim dá um Joínha.  ... (Leia Mais)

07.12.2020 01:57 GMT· 2 · Responder
jose eduardo muniz coimbra
jose eduardo muniz coimbra

Gostaria em que fonte e qual data em que ocorreram 70 mil casos.Ao meu ver mais uma informação tendenciosa que mostra a imprensa marrom.Fico no aguardo.  ... (Leia Mais)

07.12.2020 00:43 GMT· 2 · Responder
Nathan Silva
Nathan Silva

Lockdown no Reino Unido. Diversos países com recordes de infecções e mortes. Amanhã ibovespa sobe forte com 99% de chance.  ... (Leia Mais)

06.12.2020 22:45 GMT· 4 · Responder
Luciano Bueno
Luciano Bueno

Trump continua com o genocidio nos EUA, ainda bem que foi expurgado da politica esses valores  ... (Leia Mais)

06.12.2020 21:15 GMT· 2 · Responder
Maurilio Duarte
Maurilio Duarte

O Ditador da Venezuela fala aos pobres, quem não votar morrerá de Fome, e o mundo se cala, isso é uma VERGONHA!  ... (Leia Mais)

06.12.2020 20:51 GMT· 1 · Responder
Maurilio Duarte
Maurilio Duarte

Ditador da Venezuela diz aos pobres quem não votar morrerá de fome e o mundo se cala, é uma vergonha!  ... (Leia Mais)

06.12.2020 20:49 GMT· Responder
Eduardo José Nicolau Feliz
Eduardo José Nicolau Feliz

Ta dizendo que o brazzzil eh a bola da vez. As reformas e privatizacoes avancam. Jair vai respeitar o teto. Dolar 4,50, ibov 130 k fim do mes  ... (Leia Mais)

06.12.2020 20:40 GMT· 5 · Responder
Rafael Rodrigues
Rafael Rodrigues

será que ainda tem gente que opera por essas notícias?não é possível  ... (Leia Mais)

06.12.2020 20:03 GMT· Responder
Discussão
Escrever uma resposta...
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.

Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos neste site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas neste site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos neste site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos neste site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.

English (USA) English (UK) English (India) English (Canada) English (Australia) English (South Africa) English (Philippines) English (Nigeria) Deutsch Español (España) Español (México) Français Italiano Nederlands Português (Portugal) Polski Русский Türkçe ‏العربية‏ Ελληνικά Svenska Suomi עברית 日本語 한국어 简体中文 繁體中文 Bahasa Indonesia Bahasa Melayu ไทย Tiếng Việt हिंदी
Sair
Tem certeza de que deseja sair?
NãoSim
CancelarSim
Salvando Alterações

+

Baixe o aplicativo do Investing.com

Receba gratuitamente cotações, gráficos e alertas em tempo real sobre ações, índices, moedas, commodities e títulos. Acesse gratuitamente as melhores análises e previsões técnicas.

Investing.com é melhor no App!

Mais conteúdo, cotações e gráficos mais rápidos e uma experiência melhor estão disponíveis apenas no aplicativo.