Ibovespa recua com cautela global sobre negociações comerciais

Ibovespa recua com cautela global sobre negociações comerciais

Reuters  | 13.11.2019 12:04

Ibovespa recua com cautela global sobre negociações comerciais

Por Peter Frontini

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa recuava novamente nesta quarta-feira, em linha com o desempenho dos mercados de ações internacionais, que analisava com cautela os sinais sobre as negociações comerciais entre Estados Unidos e China dados pelo presidente Donald Trump, em discurso na véspera.

O Ibovespa caiu 0,7%, a 106.008 pontos. Na véspera, o índice havia caído 1,5%, descolado das bolsas em Wall Street, em movimento atribuído ao clima ruim na América Latina.

Em declarações mistas, Trump repetiu que os negociadores dos EUA e chineses estão “próximos” de uma “fase um” de um acordo comercial, mas também afirmou que aumentaria as tarifas dos produtos chineses “substancialmente” se não chegassem a um consenso.

Além disso, Trump também “não comentou o adiamento, por seis meses, da imposição de tarifas sobre carros europeus”, que era muito aguardado por investidores, segundo analistas da Terra Investimentos.

No cenário doméstico, dados do varejo indicaram sinais de recuperação no setor, que registrou o melhor resultado para setembro em dez anos, quadro que poderia beneficiar empresas do segmento de consumo.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta quarta-feira que o Brasil está em negociação com a China sobre a possibilidade de livre comércio entre os dois países. Os líderes dos cinco países do BRICS realizam encontro em Brasília para discutir o estímulo de investimentos entre os países, dentre outras pautas econômicas.

DESTAQUES

- BRADESCO PN (SA:BBDC4) perdia 0,6%, em sessão majoritariamente fraca para os bancos, corroborando no viés negativo do índice. SANTANDER BR UNT cedia 0,4% e ITAÚ UNIBANCO PN (SA:ITUB4) apresentava queda de 0,8%.

- COGNA ON recuava 0,8%, após início de sessão muito volátil. A empresa teve lucro líquido ajustado de 208,6 milhões de reais no terceiro trimestre, uma queda de 41,6% sobre o resultado de um ano antes, mas afirmou que espera cumprir suas estimativas de desempenho para o ano ao prever um resultado dos três últimos meses de 2019 bastante forte. No setor, YDUQS (SA:YDUQ3) recuava 0,2%.

- MAGAZINE LUIZA ON (SA:MGLU3) perdia 3,2%, pesando sobre o índice, após a empresa precificar oferta primária a 43 reais por ação.

- BRF (SA:BRFS3) FOODS ON caía 0,6%, enquanto JBS ON (SA:JBSS3) e MARFRIG ON (SA:MRFG3) perdiam 0,1% e 0,8%, respectivamente. Na véspera, as três empresas tiveram plantas aprovadas para exportações para a China. Fontes também disseram que o BNDES pediu propostas a bancos de investimento para iniciar a venda de sua participação na JBS.

- MRV ON (SA:MRVE3) recuava 2,4%, após reportar lucro líquido de 160 milhões de reais no terceiro trimestre, queda de 8% com relação ao mesmo período do ano passado.

- PETROBRAS ON (SA:PETR3) e PETROBRAS PN (SA:PETR4) perdiam 0,5% e 0,8%, respectivamente, em linha recuo dos preços dos contratos futuros do petróleo no exterior.

- QUALICORP ON (SA:QUAL3) ganhava 1%, perto da ponta positiva do índice, completando a sexta sessão consecutiva de alta. Nas cinco anteriores, acumulou um avanço de 3,87%.

- CPFL (SA:CPFE3) ENERGIA ON caía 0,6%, em sessão com o setor de energia em evidência. EQUATORIAL ON (SA:EQTL3) recuava também 0,6%, enquanto COPEL PNB (SA:CPLE6) saltava 4,6%, todas após divulgar balanço trimestral. ELETROBRAS PNB (SA:ELET6) registrava queda de 2,7%.

Relacionadas

Últimos comentários

Adicionar comentário
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Thiago Ribeiro
Thiago Ribeiro

Após IBOV romper vários topos históricos, quase bater os 110k, seria normal uma correção até os 104k, ainda considerando estarmos em temporada de balanços. Melhor comprar a 104k do que no topo.  ... (Leia Mais)

13.11.2019 19:31 GMT· Responder
Fabio Piloto
Fabio Piloto

No Brasil as inseguranças políticas são o principal fator de aversão ao risco. O STF aumentou o risco político ao soltar LULA e os estrangeiros vendo a situação dos outros países da AL fogem do risco.  ... (Leia Mais)

13.11.2019 18:21 GMT· Responder
Cirineu Borges
Cirineu Borges

Eu só queria entender o motivo dessas quedas sucessivas do IBOV e de algumas ações BRF e Bancos não tem explicação!   ... (Leia Mais)

13.11.2019 15:58 GMT· 3 · Responder
Edgard Moreira
Edgard Moreira

concordo Deucir. tão precificando o BR pra entrar  ... (Leia Mais)

13.11.2019 15:20 GMT· 1 · Responder
Krl Marx
Krl Marx

A guerra comercial é falsa e é um acordo entre os EUA e China. Trade war is a hoax.   ... (Leia Mais)

13.11.2019 15:19 GMT· 4 · Responder
Edgard Moreira
Edgard Moreira

exato. preços menores eles entram e puxam . expertise  ... (Leia Mais)

13.11.2019 15:19 GMT· Responder
Deucir Neves da Silva
Deucir Neves da Silva

Cautela global? Como assim? O IBOV derreteu +/- 4mil pontos em três dias e no mesmo período o SP500 quase não mexeu.  ... (Leia Mais)

13.11.2019 15:19 GMT· 1 · Responder
caio antinhani
caio antinhani

O background esta formado para estrangeiros investirem no Brasil, just waiting 114. Até dezembro...  ... (Leia Mais)

13.11.2019 15:12 GMT· 5 · Responder
Discussão
Escrever uma resposta...
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.

Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos neste site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas neste site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos neste site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos neste site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.

English (USA) English (UK) English (India) English (Canada) English (Australia) English (South Africa) English (Philippines) English (Nigeria) Deutsch Español (España) Español (México) Français Italiano Nederlands Português (Portugal) Polski Русский Türkçe ‏العربية‏ Ελληνικά Svenska Suomi עברית 日本語 한국어 中文 香港 Bahasa Indonesia Bahasa Melayu ไทย Tiếng Việt हिंदी
Sair
Tem certeza de que deseja sair?
NãoSim
CancelarSim
Salvando Alterações

+