Bitcoin: Apesar de Alta, Dados Revelam Período de Acumulação

Bitcoin: Apesar de Alta, Dados Revelam Período de Acumulação

Rodrigo Lima  | 08.07.2019 08:32

Após um grande inverno vivido em 2018, a rede Bitcoin voltou a crescer a passos largos no primeiro semestre de 2019. Diversos indicadores da blockchain voltaram a se aproximar das máximas históricas, ocorridas em dezembro de 2017, no auge do maior rali já visto na história do Bitcoin. Dentre os principais indicadores que retornaram aos níveis de dezembro de 2017 podemos destacar o número de endereços ativos; número de transações na rede e o realized cap, que mede o valor em dólar injetado na rede Bitcoin, que se encontra próximo à máxima de US$ 90 bi.

Realized cap. Fonte: Coinmetrics

Alguns indicadores chegaram mesmo a superar suas máximas históricas, como o hash rate, que quantifica o processamento da rede. O crescimento da hash rate também levou a dificuldade de mineração para novas máximas. A subida de ambos indicadores pode ser explicada pelo crescimento da receita dos mineradores, que subiu consideravelmente nos meses de maio e junho, apesar de ainda longe do seu topo histórico. Todos esses indicadores corroboram a tese de maior interesse em mineração, o que ajuda a tornar a rede cada vez mais segura a ataques.

Receita dos mineradores ao longo do tempo. Fonte: Blockchain.info

Apesar da grande alta de junho, o valor médio por transação em dólares se encontra na faixa dos US$10.000, bem distante dos US$50.000, máxima histórica em 2017, o que significaria que a transação média encontra-se na faixa de 1 BTC, distante dos 2,5 BTC atingidos em dezembro de 2017. Essa queda poderia indicar que players que passaram por um grande período de acumulação não estão dispostos a se desfazer de grandes quantias de BTC.

Número de transações na rede Bitcoin. Fonte: Coinmetrics

O Bitcoin days destroyed (BDD), que é obtido multiplicando a quantia de bitcoins transacionada pela quantidade de dias desde sua última transação, segue caindo, demonstrando que grandes quantias de Bitcoin não estão sendo transferidas pela blockchain e que holders de longo prazo não estão despejando Bitcoin no mercado. Isso parece indicar que a grande movimentação de preços deve estar ocorrendo nas exchanges e não nos mercados de OTC (over the counter), que envolveriam a transferência pela blockchain.

Evolução dos BDD ao longo do tempo. Fonte: OXT

De fato, analisando as hodl waves, que avalia quando as UTXOs (unspent transaction outputs, o saldo das wallets) foram movidas pela última vez, observamos que houve pouca movimentação nos holders de longa data (acima de dois anos). As maiores movimentações parecem estar acontecendo nas faixas de 18 meses e um ano, o que é natural já que se trata de novos entrantes realizando lucro de curto prazo.

Mudança de moedas ao longo do tempo. Fonte: Woobull

Do lado dos preços e dados on-chain, temos análises conflitantes. O múltiplo de Mayer, obtido dividindo o preço atual do Bitcoin pelas médias móveis de 200 dias, vem se aproximando de 2,4, valor que historicamente indicou sobrevalorização do BTC. De fato, no dia 26 de junho ele superou os 2,4, o que explicaria a queda ocorrida no dia, quando o BTC caiu de US$13.800 para a região dos US$11.700

Preço e múltiplo de Mayer. Fonte: Woobull

A NVT é um indicador que pretende funcionar como o P/L do Bitcoin, obtido dividindo o valor de mercado pelo valor em dólares transferido em transações através da blockchain. Ajustando-se a NVT por uma média móvel de 90 dias, obtém-se a NVTS, indicador que historicamente tem conseguido prever sobrevalorização do Bitcoin quando se encontra superior a 100. A NVTS tem chegado próximo desse valor, tendo atingido 99,6 no dia 26/06, dia em que o múltiplo de Mayer também rompeu seu limiar de segurança e enfrentamos uma queda de cerca de 17% do preço.

NVTS e preço. Fonte: Woobull

Se o múltiplo de Mayer e a NVTS indicam um cenário de risco, o MVRV (market value to realized value) pinta um outro quadro. Obtido dividindo o valor de mercado do Bitcoin pelo valor das moedas (UTXOs) da última vez que foram movidas, espera-se estimar o valor pelo qual as moedas teriam sido adquiridas, avaliando a relação da cotação atual com o valor injetado em dólares na rede Bitcoin. Historicamente o MVRV indica subvalorização do Bitcoin quando se encontra inferior a 1 e sobrevalorização quando se encontra superior a 4. Atualmente ele se encontra ainda bastante inferior a 3, o que indicaria que o Bitcoin ainda teria muito espaço para se valorizar.

MVRV e preço. Fonte: Coinmetrics

Dessa forma, os indicadores parecem sugerir que mesmo apesar da alta recente, assim como a ligeira correção subsequente, a comunidade vem passando por um crescente período de acumulação, sem sinal de que players antigos estejam prontos a despejar grandes quantias de BTC no mercado. Informações como essas ajudam a consolidar uma tendência de alta generalizada, ainda sem indícios de reversão a despeito do que possa dizer os gráficos de curto prazo.

Rodrigo Lima

Artigos Relacionados

Últimos comentários

Adicionar comentário
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Henri Carpenter
Henri Carpenter

Negócio altamente suspeito, típico dos negócios do submundo ...  ... (Leia Mais)

08.07.2019 20:06 GMT· 1 · Responder
Trader MisterOz
Trader MisterOz

Hum... Se não fosse um ativo lastreado, eu ficaria com medo de ser um mercado manipulado. Não, pera...  ... (Leia Mais)

08.07.2019 18:59 GMT· 1 · Responder
Discussão
Escrever uma resposta...
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.

Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos neste site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas neste site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos neste site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos neste site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.

English (USA) English (UK) English (India) English (Canada) English (Australia) English (South Africa) English (Philippines) English (Nigeria) Deutsch Español (España) Español (México) Français Italiano Nederlands Português (Portugal) Polski Русский Türkçe ‏العربية‏ Ελληνικά Svenska Suomi עברית 日本語 한국어 中文 香港 Bahasa Indonesia Bahasa Melayu ไทย Tiếng Việt हिंदी
Sair
Tem certeza de que deseja sair?
NãoSim
CancelarSim
Salvando Alterações

+