Mercado Monitora Riscos

Mercado Monitora Riscos

Olivia Bulla  | 05.06.2018 08:38

A recuperação dos ativos de risco no mundo até que trouxe algum alívio ao mercado financeiro no Brasil ontem. Mas o movimento deve ser temporário e já perde força nos negócios lá fora nesta manhã, com o investidor em busca de um novo catalisador. A disposição por posições mais arriscadas não parece ter vida longa, em meio às chances de uma guerra comercial, enquanto aqui o receio é com a vulnerabilidade política do governo.

Os índices futuros das bolsas de Nova York têm leve alta, recompondo fôlego após Wall Street encerrar no maior nível em três meses. As bolsas europeias sobem, mas também perdem tração, após o dado final do índice composto de atividade em maio repetir a leitura preliminar. Na Ásia, a sessão foi de ganhos. O dólar tem leve oscilação e o petróleo avança.

Por ora, o que motiva a busca por risco é uma recomposição de carteira, em um típico movimento de início de mês. Ainda mais diante do nível de preço mais atrativo, após maio manter a tendência de venda (“sell in May…”) dos ativos. O investidor se apoia nos dados econômicos, que mostram um crescimento global robusto, para continuar se arriscando.

Porém, esse humor pode mudar com a noção sobre o tempo que o Federal Reserve aceitará conviver com uma inflação acima do alvo de 2%. Afinal, os números do payroll de maio indicam que há um acúmulo de pressão inflacionária no horizonte à frente, em um ambiente de pleno emprego nos Estados Unidos, em meio à resiliência da maior economia do mundo.

A possibilidade de que uma guerra comercial seja, de fato, instalada também está no radar e o presidente norte-americano, Donald Trump, pode estar apenas começando. Se ele mantiver todas as ameaças tarifárias e seguir dando novos passos, cerca de US$ 500 bilhões em produtos seriam afetados, acelerando a inflação e chamando a atenção do Fed para um aperto mais agressivo.

Mas o mercado financeiro ainda não vê um risco iminente. Tal noção pode receber o calibre adequado na semana que vem, quando o Fed reúne-se e deve promover a segunda alta na taxa de juros norte-americana deste ano. O foco estará na entrevista do presidente, Jerome Powell, ao final do encontro, que pode dar pistas sobre o ritmo de aperto no segundo semestre.

Internamente, permanece o desconforto quanto aos impactos da greve dos caminhoneiros no cenário político-econômico. A piora nas previsões deste ano para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), a inflação ao consumidor (IPCA) e a taxa de câmbio já reflete efeitos pontuais na atividade e nos preços, além de maior desconfiança na capacidade do governo.

Aliás, a confiança tem sido o principal indicador do mercado financeiro, uma vez que o otimismo do investidor com o crescimento econômico e a inflação baixa é o crédito no governo e na equipe econômica. Mas com a imagem da Petrobras (SA:PETR4) arranhada e o presidente Michel Temer fragilizado, a incerteza tende a ganhar espaço - até as eleições de outubro.

A proximidade do período eleitoral eleva a pressão, seja diante do receio de que o movimento dos caminhoneiros sirva de inspiração para mobilizações futuras ou porque não há nenhuma plataforma, de nenhum candidato competitivo, com convicção na necessidade de uma agenda reformista. Fica difícil, então, vislumbrar que a situação do país irá mudar no médio prazo.

Para o dia, o destaque fica com os números da produção industrial brasileira em abril. Após a inesperada oscilação negativa em março (-0,1%), a atividade do setor deve ter ganhado tração e crescido 0,5%, em base mensal. Já no confronto anual, a indústria deve avançar 8,50%, no décimo segundo resultado positivo consecutivo.

O resultado efetivo será conhecido às 9h. No exterior, também saem dados sobre a atividade, só que no setor de serviços, na zona do euro e nos EUA. Ainda no calendário norte-americano, merece atenção o relatório Jolts sobre o número de vagas de emprego disponíveis no país em abril (11h).

Olivia Bulla

Artigos Relacionados

Últimos comentários

Adicionar comentário
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Discussão
Escrever uma resposta...
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.

Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos neste site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas neste site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos neste site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos neste site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.

English (USA) English (UK) English (India) English (Canada) English (Australia) English (South Africa) English (Philippines) English (Nigeria) Deutsch Español (España) Español (México) Français Italiano Nederlands Português (Portugal) Polski Русский Türkçe ‏العربية‏ Ελληνικά Svenska Suomi עברית 日本語 한국어 中文 香港 Bahasa Indonesia Bahasa Melayu ไทย Tiếng Việt हिंदी
Sair
Tem certeza de que deseja sair?
NãoSim
CancelarSim
Salvando Alterações

+

Baixe o App

Mais informações sobre o mercado, mais alertas, mais opções de personalizar seus ativos em sua carteira, apenas pelo App

Baixe o App

Mais informações sobre o mercado, mais alertas, mais opções de personalizar seus ativos em sua carteira, apenas pelo App