Ouro Pode Voltar a Subir Apesar do Fed e da Incerteza com Estímulos

Ouro Pode Voltar a Subir Apesar do Fed e da Incerteza com Estímulos

Investing.com  | 15.12.2020 09:08

Publicado originalmente em inglês em 15/12/2020

Se já houve um momento de incerteza para os investidores do ouro, muito provavelmente é o que estamos vivendo agora.  O mais paradoxal de tudo é que o momento atual também está repleto de oportunidades para o metal subir, apesar dos obstáculos pelo caminho.

Tanto o mercado futuro quanto o à vista do ouro seguiam em um canal estreito de alta no pregão desta terça-feira na Ásia, depois de derraparem na sessão anterior por causa de notícias mistas sobre as campanhas de vacinação contra a covid-19, os anúncios de bloqueios econômicos e a falta de compromisso político para um pacote de auxílio fiscal nos EUA antes da reunião mensal do Federal Reserve.

LEIA MAIS: Fed será testado em 2021 à medida que vacinas impulsionam perspectivas econômicas dos EUA

Ouro diário

Desde que despencou do nível de US$ 1.900 por onça no dia 5 de novembro, o ouro futuro ficou preso em uma consolidação entre US$ 1.830-1.850.

Após tocar a mínima de cinco meses a US$ 1.767,20 três semanas antes, a retomada até cerca de US$ 1.880, em 8 de dezembro, deu alguma força técnica aos futuros do ouro. Mas sua incapacidade dar continuidade à força inicial da semana passada também trouxe novos riscos para o metal amarelo.

Os investidores do ouro estavam tentando novamente fazer o metal atingir níveis mais altos nesta semana, mas deram de cara com a parede da resistência técnica a US$ 1.845.

Os fundamentos no ouro estão mais complexos do que nunca. Os republicanos no Senado e os democratas na Câmara dos EUA não conseguem chegar a um acordo sobre os detalhes dos planos de estímulo de cerca de US$ 900 bilhões, uma saga que já fez os preços do ouro cair 15% desde meados do ano. A chegada da vacina da Pfizer (NYSE:PFE) contra a covid-19 – um feito histórico –, combinada com novos lockdowns, criou um ambiente extremamente confuso para os investidores na maioria dos mercados.

Chance de disparada

Mesmo assim, o ouro pode tentar disparar novamente antes da reunião do Fed nesta semana, já que o Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc) do banco central pode aproveitar a única oportunidade do ano para ajustar a política monetária.

Não está previsto um corte de juros, já que a taxa referencial do Fed já está ancorada perto de zero.

Mas, entre as possibilidades do banco central, está a expansão das compras de títulos em US$ 120 bilhões por mês através do afrouxamento quantitativo, seja ajustando o vencimento dessas compras ou fornecendo diretrizes "baseadas em resultados” que a instituição precisará ver antes de fazer um aperto monetário dos estímulos historicamente elevados.

Fed pode gerar mais movimentação

O jogo do Fed, portanto, estará nas nuances e entrelinhas da política monetária, e não em medidas ousadas.

Diante das tentativas de dividir o pacote de alívio que está sob discussão agora no Congresso, pode ser que ocorram avanços concretos desta vez e um acordo antes do fim do pregão de sexta-feira.

As tratativas do grupo bipartidário já se estendem por duas semanas e podem abrir espaço para um pacote de US$ 748 bilhões, que inclui novos benefícios a desempregados e pequenas empresas, além de outros programas que receberam amplo apoio de ambos os partidos.

Uma lei de estímulo pode finalmente ser aprovada

A segunda lei contém dois artigos controversos entre os parlamentares: proteções a empresas contra obrigações legais e quase US$ 160 bilhões em auxílio a governos locais e estaduais. A expectativa é que ambos sejam excluídos do acordo final para garantir a aprovação dos artigos mais populares. Essa segunda lei pode acaba ficando de fora do acordo final, se não houver um consenso entre os parlamentares, em meio à ampla oposição dos democratas para aprovar a proteção contra obrigações legais.

Portanto, para onde o ouro pode ir em caso de um minirrali?

Bem, abaixo de US$ 1.900, o metal brilhante pode testar o pico de 8 de dezembro a US$ 1.879,80. Acima desse patamar, o metal terá pela frente a resistência de US$ 1.898 definida em 16 de dezembro.

Em seguida, será preciso romper e se firmar acima da consolidação de US$ 1.820-1.850, de acordo com Jeffrey Halley, analista da OANDA. O analista complementou:

“Os investidores na Ásia parecem estar se protegendo contra a perda de força nas ações, o Fomc e a falta de avanço nas negociações de estímulo nos EUA. O resultado é que o ouro continua consolidado entre US$ 1820 e US$ 1850 por onça”.

“A expectativa é que o Fomc continue com os estímulos, possivelmente não tanto quanto o mercado esperava, em vista da falta de progresso nas negociações para o estímulo fiscal. Qualquer movimento do Fomc para conter a alta dos rendimentos dos títulos mais longos do tesouro americano deve ser positivo para os preços do ouro”.

Minirrali pode fazer o ouro superar US$ 1.900

Se o ouro tiver mais espaço para subir, pode ser que supere US$ 1.900, de acordo com os aspectos técnicos do Investing.com.

O grafista Sunil Kumar Dixit, da SK Dixit Charting, concorda com esse cenário e explica:

“O ouro se segurou no suporte de US$ 1.822 e repicou para US$ 1.845. Para subir mais, é preciso ultrapassar a faixa de US$ 1.852-1.854, e o nível seguinte é o topo duplo a US$ 1.880 nos gráficos de quatro horas”.

“O otimismo pode fazer o metal atingir US$ 1.898-1.907. O Indicador Estocástico de Força Relativa dá suporte ao movimento de alta atual, que está condicionado à manutenção do suporte a US$ 1.822. Caso contrário, o metal pode ficar exposto a uma queda até a zona de US$ 1.800-1.790”.

O Indicador Técnico Diário do Investing.com indica neutralidade no ouro, com a resistência de nível três de Fibonacci a US$ 1.842,35, depois a US$ 1.848.39 e US$ 1.858,17.

Se a tendência mudar para baixa, o ouro provavelmente encontrará o primeiro suporte de Fibonacci a US$ 1.822,79, depois a US$ 1.816,97, e por fim a US$ 1.806,97.

O ponto de pivô entre essas faixas é US$ 1.832,57.

Como em todas as projeções, interprete as visões apresentadas com base nos fundamentos e opere com moderação – sempre que possível.

Aviso de isenção: Barani Krishnan utiliza diversas visões além da sua para oferecer aos leitores uma variedade de análises sobre os mercados. O analista não possui posições nos ativos e commodities sobre os quais escreve.

Investing.com

Artigos Relacionados

Últimos comentários

Adicionar comentário
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Remela Gadoso
Remela Gadoso

Madeeeeeiiiiraaaa !  ... (Leia Mais)

15.12.2020 15:41 GMT· Responder
Discussão
Escrever uma resposta...
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.

Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos neste site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas neste site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos neste site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos neste site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.

English (USA) English (UK) English (India) English (Canada) English (Australia) English (South Africa) English (Philippines) English (Nigeria) Deutsch Español (España) Español (México) Français Italiano Nederlands Português (Portugal) Polski Русский Türkçe ‏العربية‏ Ελληνικά Svenska Suomi עברית 日本語 한국어 简体中文 繁體中文 Bahasa Indonesia Bahasa Melayu ไทย Tiếng Việt हिंदी
Sair
Tem certeza de que deseja sair?
NãoSim
CancelarSim
Salvando Alterações

+

Baixe o aplicativo do Investing.com

Receba gratuitamente cotações, gráficos e alertas em tempo real sobre ações, índices, moedas, commodities e títulos. Acesse gratuitamente as melhores análises e previsões técnicas.

Investing.com é melhor no App!

Mais conteúdo, cotações e gráficos mais rápidos e uma experiência melhor estão disponíveis apenas no aplicativo.