Walmart Coin: Verdadeira Criptomoeda Concorrente da Libra, do Facebook?

Walmart Coin: Verdadeira Criptomoeda Concorrente da Libra, do Facebook?

Investing.com  | 27.08.2019 11:39

A gigante do varejo Walmart (NYSE:WMT) está desenvolvendo sua própria moeda digital. A megavarejista anunciou, no dia 1 de agosto, que havia solicitado junto à Secretaria de Marcas Comerciais e Patentes dos EUA o registro da patente de uma moeda baseada em blockchain, lastreada em uma moeda tradicional, geralmente chamada de moeda estável, ou stablecoin.

De forma superficial, o registro parece indicar que a moeda proposta pela varejista tem natureza similar à moeda digital Libra, do Facebook (NASDAQ:FB). Além do lastro em uma moeda fiduciária, algo também presente na Libra, “o registro sugere que a moeda proposta pode ajudar a financiar pessoas com acesso limitado a serviços bancários – um dos principais argumentos do Facebook para a criação da Libra, em um esforço para atrair o público (e os órgãos regulatórios) para o token”, informou a CoinDesk.

Uma análise mais aprofundada, contudo, mostra um quadro diferente. Ao contrário da Libra, o projeto de criação de uma criptomoeda pelo Walmart é muito menos ambicioso. O Facebook quer revolucionar o segmento de serviços bancários mundiais, ao permitir transferências monetárias internacionais a baixo custo, em parceria com um consórcio de grandes empresas internacionais, como Mastercard, Visa, Uber (NYSE:UBER) e eBay.

Já a essência da proposta do Walmart é simplesmente criar uma moeda de fidelidade para seus clientes regulares. As informações sobre cada uma das unidades da sua moeda digital serão armazenadas em um bloco de blockchain, e a moeda será usada para comprar produtos no Walmart. Haverá um registro simultâneo do histórico de compras do cliente na plataforma, que calculará quaisquer economias ou créditos para aplicá-los nas compras atuais ou futuras do cliente no Walmart.

Essa iniciativa, respaldada pela sólida reputação dessa gigante do varejo, deve favorecer o uso da moeda do Walmart e fazer com que seja muito mais aceitável aos órgãos reguladores. Por outro lado, os planos mais ambiciosos do Facebook para a Libra geraram sinais de alerta regulatórios em escala mundial. A ética corporativa questionável da empresa provavelmente não ajudará. Uma reportagem publicada no início da semana passada observou que a Comissão Europeia está investigando a moeda Libra por “possível comportamento anticoncorrencial”.

“Ao contrário do Facebook, a entrada do Walmart no mundo das moedas digitais foi objeto de um ceticismo notavelmente menor”, declarou Lilin Sun, CEO da PlatON, rede mundial de computação para a proteção da privacidade. Segundo o executivo, o uso do blockchain via registro de patente pode ser visto como um passo razoável do Walmart em suas atividades de desenvolvimento corporativo.

“Há grandes diferenças entre a Libra e a moeda estável do Walmart: primeiro, a stablecoin da megavarejista não tem a intenção de se tornar uma 'moeda mundial'. Seu lastro se restringe ao dólar estadunidense e seu uso se limitará a determinados pontos de varejo e parceiros. Assim, o token do Walmart pode ser mais bem comparado a um cartão pré-pago que reduz o custo dos pagamentos ao longo do ecossistema de varejo, a fim de melhorar suas taxas de lucro e competitividade.”

“O Walmart é uma empresa muito mais tradicional do que o Facebook”, afirmou Alex Lam, CEO da RockX, nova plataforma de serviços para ativos digitais. “Está baseada em locais físicos, não só na internet. Isso elimina certa ‘escala global’ do Walmart e da sua criptomoeda pretendida, restringindo sua capacidade de ameaçar o atual sistema financeiro e os bancos centrais mundiais”. Lam diz ainda:

“O Walmart pode ressaltar que o Walmart Coin se concentrará na aplicação efetiva da tecnologia blockchain, com a possibilidade de integrar pessoas fora do sistema bancário, criando um tipo de ecossistema monetário para clientes e parceiros. A Libra, por outro lado, enfatizou que pretende implementar a ideia de moeda global. Para o Walmart, o foco na inovação tecnológica gerará uma resistência regulatória muito menor.”

A empresa sediada em Bentonville, Arkansas, também citou o fato de que sua moeda pode contribuir para oferecer serviços financeiros a pessoas fora do sistema financeiro tradicional. Nesse caso, Lam alerta que o Walmart precisará ter cuidado ao promover a aplicação da sua criptomoeda, para não passar pela mesma experiência da Libra, do Facebook, que fez a empresa e seus executivos entrarem na linha de fogo de órgãos reguladores e governos ao redor do mundo.

Lam diz ainda:

“Ao aprender com os erros da Libra, o Walmart pode evitar igualar sua criptomoeda planejada a uma moeda fiduciária ou sugerir que pode servir de sucessora dos sistemas monetários atuais. O fato de a Libra desafiar o poder dos bancos centrais explica a recepção hostil por parte dos governos."

Nova fase para o Blockchain?

Benjamin Simatos, CFO da OV, acredita que esse registro mostra que estamos entrando na fase em que o blockchain alcançará a adoção em massa.

“Empresas tradicionais mudaram para o comércio eletrônico e estão agora começando a ver o valor do lançamento de suas próprias moedas para uso em sua grande base de clientes, além de novos recursos digitais que podem implementar a tecnologia blockchain. As duas abordagens – a Libra, do Facebook, e o Walmart Coin – são, portanto, similares em natureza e podem definitivamente coexistir.”

Investing.com

Artigos Relacionados

Últimos comentários

Adicionar comentário
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Darlan Delmondes
Darlan Delmondes

xdex é furada. vc compra moeda mas não pode tela em outra carteira. Somente saca em dinheiro. Que vantagem isso tem.Sai da xdex meu amigo.  ... (Leia Mais)

28.08.2019 12:19 GMT· Responder
Fernando Guerra
Fernando Guerra

Essa ai tem tudo para virar bem mais que a Libra. Walmart é f@#$. Varejo cria capilaridade para aquilo que quer, com a possibilidade de montar uma "própria" moeda eles criam asas.  ... (Leia Mais)

28.08.2019 00:26 GMT· Responder
Claudio Vinícios Silveira Corrêa
Claudio Vinícios Silveira Corrêa

xdex  ... (Leia Mais)

27.08.2019 23:14 GMT· 1 · Responder
Lourival Anacleto
Lourival Anacleto

Como poderemos comprar essas moedas?  ... (Leia Mais)

27.08.2019 23:10 GMT· Responder
Lourival Anacleto
Lourival Anacleto

Como poderemos comprar essas moedas?  ... (Leia Mais)

27.08.2019 23:10 GMT· 3 · Responder
Discussão
Escrever uma resposta...
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.

Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos neste site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas neste site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos neste site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos neste site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.

English (USA) English (UK) English (India) English (Canada) English (Australia) English (South Africa) English (Philippines) English (Nigeria) Deutsch Español (España) Español (México) Français Italiano Nederlands Português (Portugal) Polski Русский Türkçe ‏العربية‏ Ελληνικά Svenska Suomi עברית 日本語 한국어 中文 香港 Bahasa Indonesia Bahasa Melayu ไทย Tiếng Việt हिंदी
Sair
Tem certeza de que deseja sair?
NãoSim
CancelarSim
Salvando Alterações

+