ABERTURA: Ibov futuro segue exterior e tem alta no início da sessão desta sexta

ABERTURA: Ibov futuro segue exterior e tem alta no início da sessão desta sexta

Investing.com  | 20.09.2019 09:05

ABERTURA: Ibovespa futuro segue exterior e tem alta no início da sessão desta sexta

Investing.com - O índice Ibovespa Futuros inicia a sessão desta sexta-feira com alta de 0,23% ais 104.995 pontos, depois de fechar em queda na véspera. O dólar opera estável, com leve queda de 0,05% a R$ 4,1650.

A sexta-feira é um dia sem indicadores de destaque nos mercados, depois de uma semana marcada pelas decisões do Federal Reserve e do Banco Central do Brasil. Com isso, as atenções já começam a se voltar para a próxima semana, com foco na divulgação dos números do PIB dos Estados Unidos, e do IPCA-15 de setembro.

As atenções também devem voltar para Brasília, com a expectativa da votação da Reforma da Previdência no Senado e de avanços na proposta da reforma Tributária, pontos que são considerados fundamentais para estruturar a recuperação da economia brasileira.

- Cena Interna

ONU

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira que vai apresentar na próxima semana um discurso “bastante objetivo” na Assembleia Geral da ONU sobre a atuação do Brasil no combate a queimadas e desmatamento na Amazônia e, mais uma vez, criticou outros países sobre os reais interesses nos questionamentos às ações do governo na região.

“Estou me preparando com um discurso bastante objetivo”, disse Bolsonaro em transmissão ao vivo em rede social. “O que interessa (a outros países) é desgastar o Brasil. Se a nossa agricultura cair, é bom para países que vivem disso, vão acabar vendendo mais caro e nós ficaremos em situação complicada.”

Bolsonaro disse que haveria interesses escusos de países europeus em ampliar as áreas demarcadas por reservas indígenas, quilombolas e de proteção ambiental. Afirmou também que eles querem deixar índios segregados da sociedade brasileira para futuramente explorar o Brasil.

Indústria

A confiança da indústria caiu em setembro ante agosto, com a média móvel trimestral mostrando a sexta retração consecutiva, apontaram dados da Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta sexta-feira.

A prévia da Sondagem da Indústria de setembro de 2019 sinalizou recuo de 0,2 ponto do Índice de Confiança da Indústria (ICI) em relação a agosto, para 95,4 pontos. Em médias móveis trimestrais, o índice cedeu 0,1 ponto, pela sexta vez consecutiva, para 95,3 pontos, ainda de acordo com dados preliminares.

“O resultado negativo do índice seria determinado pela piora das expectativas dos empresários para os próximos meses”, disse a FGV em nota.

Reforma da Previdência

Representantes de guardas municipais, agentes de trânsito e vigilantes privados reivindicaram as mesmas regras especiais concedidas aos policiais na reforma da Previdência, que o Senado deve votar na próxima semana (PEC 6/2019). Em audiência nesta quinta-feira (19), na Comissão de Direitos Humanos (CDH), eles explicaram os riscos das suas atividades e argumentaram que isso justifica condições diferenciadas de aposentadoria.

Cerca de um quinto dos 5.562 municípios brasileiros têm guardas municipais próprias, que contam com um efetivo total entre 150 mil e 200 mil profissionais. O objetivo das corporações é proteger as instalações públicas das cidades, fazer vigilância e policiamento e colaborar com as demais forças de segurança. A atividade é regulamentada desde 2014 (Lei 13.022).

Os representantes dos guardas argumentaram que a profissão está sujeita aos mesmos riscos físicos, psicológicos e emocionais que os policiais federais, civis e militares, que foram incluídos à parte na reforma da Previdência. Sob essas condições, afirmaram eles, a exigência da idade mínima de 65 anos para a aposentadoria é “desumana”.

Dólar

O dólar encerrou em forte alta contra o real nesta quinta-feira, superando a marca de 4,16 reais, um dia depois de o Banco Central cortar a Selic e sinalizar mais redução na taxa básica de juros à frente.

O dólar à vista teve alta de 1,50%, a 4,1642 reais na venda, maior nível de fechamento desde 3 de setembro.

Segundo relatório da equipe de análise da Correparti Corretora de Câmbio, a valorização do dólar teve como principal ‘driver’ a fuga de capital estrangeiro, especialmente de fundos especulativos, em busca de melhor remuneração, após o BC cortar a taxa Selic.

- Cena Externa

Disputa Comercial

Negociadores comerciais de segundo escalão dos Estados Unidos e da China retomaram conversas presenciais pela primeira vez em quase dois meses na quinta-feira, enquanto as duas maiores economias do mundo tentam superar profundas diferenças e encontrar uma saída para a prolongada guerra comercial.

As negociações, que se estenderão até sexta-feira, visam lançar as bases para rodadas de negociação de alto nível no início de outubro que determinarão se os dois países estão trabalhando para uma solução ou se caminham para impor novas e mais elevadas tarifas um ao outro.

Uma delegação de cerca de 30 funcionários chineses, liderada pelo vice-ministro das Finanças do país, Liao Min, reuniu-s com contrapartes do Escritório do Representante Comercial dos EUA (USTR, na sigla em inglês) perto da Casa Branca. O representante comercial adjunto, Jeffrey Gerrish, chefiou a delegação dos EUA.

Juros na China

A China cortou sua nova taxa de juros de referência de um ano pelo segundo mês consecutivo nesta sexta-feira, um passo do banco central para tentar reduzir os custos de empréstimos e apoiar a economia enquanto a guerra comercial entre o país e os Estados Unidos se arrasta.

Mas a medida foi muito mais branda do que as flexibilizações de política monetária do Federal Reserve (Fed) e do Banco Central Europeu (BCE) deste mês, sugerindo que os formuladores de política monetária da China continuam relutantes em se juntar a uma onda de estímulo global devido a preocupações com o aumento da dívida.

Ainda assim, analistas dizem que a restrição de Pequim está sendo posta à prova, já que a piora dos dados econômicos em agosto levantou temores de que o crescimento no terceiro trimestre poderia cair abaixo de 6%, aquém do limite inferior da meta do governo para 2019.

BOLSAS INTERNACIONAIS

Em TÓQUIO, o índice Nikkei avançou 0,16%, a 22.079 pontos. Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 0,13%, a 26.435 pontos. Em XANGAI, o índice SSEC ganhou 0,24%, a 3.006 pontos. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, avançou 0,29%, a 3.935 pontos.

A sexta-feira se mostra indefinida nos principais mercados de ações do continente europeu. Em Frankfurt, o DAX opera perto da estabilidade, com leve queda de 0,03% aos 12.452 pontos, enquanto que em Londres, o FTSE soma 0,05% aos 7.360 pontos. Já em Paris, o CAC avança 0,32% aos 5.677 pontos.

COMMODITIES

A jornada desta sexta-feira foi marcada mais uma vez por uma importante desvalorização para os contratos futuros do minério de ferro, que são transacionados na bolsa de mercadorias da cidade de Dalian, na China. O ativo com o maior volume de negócios, com data de vencimento para janeiro de 2020, fechou a 635,00 iuanes por tonelada. Em relação ao valor de liquidação de ontem, 647,00 iuanes, a variação negativa foi de 1,85%, ou 12,00 iuanes.

No caso do vergalhão de aço, a sexta-feira também foi uma sessão de queda nas cotações dos papéis futuros do produto, que são transacionados na bolsa de mercadorias de Xangai, também na China. O contrato de maior liquidez, para janeiro do próximo ano, perdeu 59 iuanes para 3.388 iuanes por tonelada. Já o segundo mais negociado, de maio de 2020, cedeu 51 iuanes para 3.219 iuanes por tonelada.

Na direção oposta, a sexta-feira é marcada por ganhos nos contratos internacionais de petróleo. Em Nova York, o barril do tipo WTI soma 0,76%, ou US$ 0,44, a US$ 58,63, enquanto que em Londres, o Brent avança 0,75%, ou US$ 0,49, a US$ 64,89.

MERCADO CORPORATIVO

- Eletrobras (SA:ELET3)

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), afirmou nesta quinta-feira que não há um clima favorável e que o governo não conta com uma base sólida para aprovar a privatização da Eletrobras (SA:ELET3).

Segundo ele, há resistência entre senadores, principalmente das bancadas do Norte e do Nordeste, e paira a percepção de que seria mais interessante iniciar o processo de privatizações por outras estatais.

“Há esse sentimento: para que vamos começar com esse sentimento se há uma resistência?”, disse o senador em evento em Brasília.

“Então vamos ver o que é possível fazer, e como o governo não tem uma base sólida para defender as suas pautas porque não quis construir, o governo tem que entender que o Senado tem o seu tempo próprio e é isso que vai acontecer diante das privatizações”,

- Petrobras (SA:PETR4)

O presidente Jair Bolsonaro avalia que os postos de combustíveis não têm acompanhado os ajustes de preços da Petrobras (SA:PETR4), acrescentando que pedirá uma apuração do que acontece, com o objetivo de verificar se há algum tipo de cartel.

Segundo ele, os preços de combustíveis da Petrobras (SA:PETR4) estão mais baixos do que o registrado em meados do ano passado, mesmo após os reajustes de 4,2% no diesel e de 3,5% na gasolina, anunciados na véspera, após os ataques a instalações de petróleo da Arábia Saudita, que elevaram as cotações no mercado internacional.

“O presidente da Petrobras (SA:PETR4) (Roberto Castello Branco) resolveu segurar o máximo possível (o reajuste). Segurou, mas infelizmente ontem —a decisão é da Petrobras, não tem interferência nossa, a Petrobras que faz sua política de preços— aumentou em média 3% o diesel e a gasolina”, disse ele.

E o presidente continuou, em transmissão ao vivo em rede social, que acontece semanalmente.

- Neoenergia

O Conselho de Administração da Neonergia aprovou nesta quinta-feira a construção da totalidade do complexo eólico Oitis, no Nordeste, com investimentos de 1,9 bilhão de reais em dez novos parques, segundo fato relevante.

O complexo, situado nos Estados do Piauí e Bahia, terá capacidade de 566,5 megawatts (MW), sendo composto por 12 parques, dos quais dois tiveram 30% de sua energia vendida em leilão A-4 do governo, realizado neste ano.

Os novos dez parques do empreendimento, que será construído pela Força Eólica do Brasil, sociedade controlada pela Neoenergia, terão sua energia destinada à comercialização no mercado livre de energia, com fator de capacidade médio de 50%. A previsão é que o parque inicie operação comercial em meados de 2022.

Segundo a elétrica, foi aprovada ainda a contratação de todos os aerogeradores do complexo junto a “fornecedor de primeira linha, bem como a outorga pela Neoenergia de garantias associadas a projetos dessa natureza”.

- Aço

A produção brasileira de aço bruto caiu 13,4% em agosto sobre um ano antes, a 2,52 milhões de toneladas, e as vendas no mercado interno recuaram 7,2%, para 1,61 milhão de toneladas, afirmou nesta quinta-feira a IABr, que representa siderúrgicas do país.

Parte na queda de produção pode ser atribuída a paradas programadas de manutenção de fornos de parte do setor, incluindo CSN (SA:CSNA3) e Gerdau (SA:GGBR4).

Além da queda na produção de aço bruto, a produção de laminados também caiu, recuando 3,3% em agosto ano a ano, a 1,84 milhão de toneladas. A queda na produção de laminados planos foi de 4,1% e em longos houve recuo de 2,2%.

No acumulado do ano, a produção de aço bruto do país mostra queda de 5,4%, a 22,21 milhões de toneladas, em meio à debilidade da economia. Já as vendas de aço no Brasil acumulam baixa de 1,5%, a 12,37 milhões de toneladas.

- Energia Elétrica

Uma proposta inicial do governo de promover até 2021 a revisão extraordinária da oferta de energia de hidrelétricas e térmicas do país acendeu entre especialistas temores de uma disputa judicial, dado o impacto direto que o processo teria sobre as receitas de empresas que operam os empreendimentos.

A medida, colocada em consulta pública pelo Ministério de Minas e Energia na semana passada, visa equilibrar o sistema elétrico, em meio a uma percepção generalizada de que muitas usinas não têm conseguido entregar energia conforme o esperado.

A legislação atual define limites para redução da chamada garantia física das hidrelétricas, que representa o volume de energia que eles podem negociar no mercado, mas a proposta sugere acabar com essa regra em meio ao processo de revisão, o que acendeu preocupação entre investidores, segundo advogados.

A proposta de ajuste contempla um cálculo das novas garantias físicas no primeiro trimestre de 2020, para início de vigência a partir de janeiro de 2021.

- CNP e Caixa

A CNP Assurances acertou nesta quinta-feira um novo acordo com a Caixa Econômica Federal para venda de seguros nas mais de 3 mil agências do banco estatal até fevereiro de 2046, em um negócio de 7 bilhões de reais, informou a Caixa em comunicado ao mercado.

A Reuters publicou mais cedo que o grupo francês deveria concluir ainda nesta quinta-feira a negociação com a Caixa.

A Caixa Seguridade terá participação de 60% por cento na joint venture e a CNP, o restante, informaram fontes à Reuters mais cedo. O acordo envolve seguros de vida e prestamista e produtos de previdência.

Um ano atrás, ambas as instituições financeiras tinham concordado em criar uma joint venture similar, mas na ocasião a CNP pagaria 4,65 bilhões de reais por um contrato para vender produtos de seguro de vida até 2041. O negócio acabou sendo revisado sob novos termos.

- Vale (SA:VALE3)

O juiz Rodrigo Heleno Chaves determinou que a mineradora Vale (SA:VALE3) indenize em 11,875 milhões de reais os familiares de dois irmãos e de uma grávida falecidos na tragédia de Brumadinho (MG), ocorrida em 25 de janeiro.

De acordo com nota do Tribunal de Justiça de Minas Gerais divulgada nesta quinta-feira, esta foi a primeira sentença em ação individual movida contra a empresa.

As vítimas foram Luiz e Fernanda, que eram casados e esperavam um menino, e a irmã do primeiro, Camila. Na tragédia, decorrente do rompimento de uma barragem de rejeitos de mineração, mais de 240 pessoas morreram, a maioria funcionários da Vale (SA:VALE3).

A ação de indenização foi ajuizada por Helena, mãe de Luiz e Camila, e pela família de Fernanda. Segundo comunicado do TJ, as partes pediram indenização por danos morais.

- Oi (SA:OIBR4)

A Oi (SA:OIBR4) está em negociações com a espanhola Telefónica e com a Telecom Italia para vender seu negócio de telefonia móvel, a fim de evitar uma liquidação, disseram cinco pessoas com conhecimento do assunto.

A Oi (SA:OIBR4) tem enfrentado dificuldades para se reerguer desde que entrou com pedido de recuperação judicial em junho de 2016 para reestruturar uma dívida de aproximadamente 65 bilhões de reais.

A maior operadora de telefonia fixa do Brasil espera levantar mais de 10 bilhões de reais com a venda do segmento móvel, de acordo com duas das fontes, que falaram na condição de anonimato porque as negociações são confidenciais.

A Oi (SA:OIBR4) contava com uma base de cerca de 35 milhões de clientes em telefonia móvel em 30 de junho, de acordo com o balanço do segundo trimestre.

Os recursos provenientes da venda do negócio seriam usados para fortalecer o serviço de banda larga conhecido como “fiber-to-the-home”, considerado chave para o crescimento da companhia, conforme plano estratégico divulgado em julho.

AGENDA DE AUTORIDADES

- Jair Bolsonaro

O presidente da República participa nesta sexta-feira da Solenidade de Sanção do Projeto de Lei de Conversão 21/2019 (MP da Liberdade Econômica).

- Paulo Guedes

Confira a programação desta sexta-feira do ministro da Economia:

- Audiência com o governador do Estado de Minas Gerais, Romeu Zema;

- Audiência com o economista-chefe da Legacy Capital, Pedro Jobim;

- Almoço com o presidente do BNDES, Gustavo Montezano;

- Audiência com o presidente-executivo da SulAmérica (SA:SULA11), Gabriel Portella;

- Audiência com a presidente do IBGE, Susana Guerra;

- Audiência com o diretor da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Carlos Langoni;

- Audiência com o presidente do Fórum das Américas, José Carlos dos Santos.

Com Reuters.

Relacionadas

Últimos comentários

Adicionar comentário
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Discussão
Escrever uma resposta...
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.

Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos neste site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas neste site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos neste site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos neste site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.

English (USA) English (UK) English (India) English (Canada) English (Australia) English (South Africa) English (Philippines) English (Nigeria) Deutsch Español (España) Español (México) Français Italiano Nederlands Português (Portugal) Polski Русский Türkçe ‏العربية‏ Ελληνικά Svenska Suomi עברית 日本語 한국어 中文 香港 Bahasa Indonesia Bahasa Melayu ไทย Tiếng Việt हिंदी
Sair
Tem certeza de que deseja sair?
NãoSim
CancelarSim
Salvando Alterações

+