Com Petrobras e bancos, Bolsa fecha em alta de 1,50% e avança 11,83% em novembro

Com Petrobras e bancos, Bolsa fecha em alta de 1,50% e avança 11,83% em novembro

Estadão Conteúdo  | 10.11.2020 19:10

Com Petrobras e bancos, Bolsa fecha em alta de 1,50% e avança 11,83% em novembro

Mesmo em dia pouco firme em Nova York, sem direção única após o entusiasmo observado nas últimas sessões com a definição da eleição americana e o progresso na vacina da Pfizer, o Ibovespa emendou nesta terça-feira a sexta sessão de ganhos, estendendo a melhor série desde a passagem de maio para junho, e alcançando, na máxima intradia, o maior nível do ciclo de recuperação iniciado em abril na B3. Hoje, o índice de referência foi a 105.758,29 pontos, superando a marca de 105.703,62 pontos registrada em 29 de julho, que até aqui era a melhor desde o fundo de vale observado em março, mês em que acumulou perda de 29,90%.

Nesta terça-feira, o Ibovespa fechou em alta de 1,50%, aos 105.066,96 pontos, também o melhor nível de fechamento desde 29 de julho, então a 105.605,17 pontos, o mais alto desde a mínima de encerramento do ano, a 63.569,62 pontos, em 23 de março. Considerando o encerramento de hoje, foi a terceira vez em que o índice da B3 (SA:B3SA3) conseguiu fechar na casa de 105 mil pontos desde que superou o pior momento da crise global deflagrada pela pandemia - em 30 de julho, estava em 105.008,70 pontos. Considerando o fechamento de 23 de março, o Ibovespa acumula até aqui avanço de 65,27%, mas ainda tem perda de 9,15% no ano.

Mais uma vez bem reforçado, o giro financeiro desta terça-feira foi de R$ 51,2 bilhões, em sessão na qual o índice da B3 saiu de mínima a 103.452,64, com abertura a 103.516,37 pontos. No mês, ainda sem revés nestas seis primeiras sessões de novembro, o Ibovespa acumula ganho de 11,83%, superando o avanço de 10,25% em abril, até aqui o maior do ciclo de recuperação que se estendeu até o fim de julho. Na semana, o índice sobe 4,10%, superando Wall Street.

"A notícia de ontem (da Pfizer) era algo que o mercado precisava ouvir. Uma vacina tangível, próxima, melhora a perspectiva para a retomada global e a propensão do investidor a assumir risco maior, inclusive o estrangeiro. O modo volta a ser 'risk on', o que beneficia os emergentes", observa João Vitor Freitas, analista da Toro Investimentos.

"Nos EUA, há agora uma rotação de setores, o que pressiona em particular o Nasdaq, que reúne empresas que performaram bem ao longo deste ano de pandemia, as de tecnologia. Assim, as ações que haviam ficado um pouco largadas, como as industriais, voltam a ser procuradas, o que se reflete nesta recuperação do Dow Jones", acrescenta o analista. Neste começo de novembro, o índice blue chip de NY avança 11,02%, acima do desempenho de S&P 500 (+8,43%) e Nasdaq (+5,89%).

"O mercado está engatando em perspectiva de alta mesmo, com rotação de setores, que impacta positivamente aqui também. Na B3, a alta é bem heterogênea, favorecendo alguns setores, como bancos, shoppings, aviação, e não outros. Há assim uma rotação a partir de setores que estavam mais esticados no ano, como o de siderurgia, em direção a aqueles que avançaram menos", aponta Pedro Paulo Silveira, economista-chefe da Nova Futura.

No quadro doméstico, o mercado deixou em segundo plano novos ruídos políticos em torno da vacina da chinesa Sinovac, cujos testes foram suspensos ontem à noite por determinação da Anvisa, em razão de intercorrência considerada grave, mas não especificada, em participante. As autoridades de saúde de São Paulo reafirmaram hoje a segurança da vacina, desenvolvida em conjunto com o Instituto Butantan, e disseram que o evento não tem relação com o teste.

Declarações do ministro da Economia, Paulo Guedes, sobre a necessidade de colocar em movimento o programa de privatizações agradaram ao mercado, assim como comentários da noite anterior do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), de que não há opção para 2021 que não seja a votação no Congresso da agenda de ajuste fiscal - uma combinação que contribuiu para que o Ibovespa levasse um pouco mais adiante o movimento de recuperação.

Como ontem, a retomada do petróleo impulsionou os ganhos em Petrobras ON (SA:PETR3) (+7,95%) e PN (+6,80%), após avanço entre 9% e 10% nas ações da empresa no dia anterior, quando o Brent fechou em alta de 7,5% - hoje, o avanço da commodity foi relativamente moderado, ainda assim de 2,85% na referência global. Destaque também, como na segunda-feira, para outro segmento de peso, bancos, no qual os ganhos nesta sessão ficaram entre 4,52% (Itaú PN (SA:ITUB4)) e 7,66% (Santander (SA:SANB11)), com os investidores mostrando apetite aguçado por ações ainda muito atrasadas no ano - em 2020, as perdas em Petrobras ON  ainda estão em 25,38% e, entre os bancos, chegam a 33,21% (BB ON (SA:BBAS3)).

Na ponta do Ibovespa, Ultrapar (SA:UGPA3) fechou hoje em alta de 8,45%, à frente de Petrobras ON (+7,95%) e de Santander (+7,66%). No lado oposto, B2W (SA:BTOW3) cedeu 8,31%, seguida por Totvs (SA:TOTS3) (-6,81%) e Gerdau PN (SA:GGBR4) (-5,32%) - o dia foi negativo para as ações de mineração (Vale ON (SA:VALE3) -0,05%) e siderurgia (CSN (SA:CSNA3) -4,49%, Usiminas (SA:USIM5) -3,87%).

Relacionadas

Últimos comentários

Adicionar comentário
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Discussão
Escrever uma resposta...
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.

Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos neste site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas neste site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos neste site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos neste site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.

English (USA) English (UK) English (India) English (Canada) English (Australia) English (South Africa) English (Philippines) English (Nigeria) Deutsch Español (España) Español (México) Français Italiano Nederlands Português (Portugal) Polski Русский Türkçe ‏العربية‏ Ελληνικά Svenska Suomi עברית 日本語 한국어 简体中文 繁體中文 Bahasa Indonesia Bahasa Melayu ไทย Tiếng Việt हिंदी
Sair
Tem certeza de que deseja sair?
NãoSim
CancelarSim
Salvando Alterações

+

Baixe o aplicativo do Investing.com

Receba gratuitamente cotações, gráficos e alertas em tempo real sobre ações, índices, moedas, commodities e títulos. Acesse gratuitamente as melhores análises e previsões técnicas.

Investing.com é melhor no App!

Mais conteúdo, cotações e gráficos mais rápidos e uma experiência melhor estão disponíveis apenas no aplicativo.